Devido à tragédia climática no RS, os prazos de entrega poderão ser afetados.
Espiritualidade

Meditação para a Terça-feira Santa

Pautados pelo Evangelho do Senhor, no capítulo 13, nesta terça-feira santa, o Senhor vai anunciar que um dentre eles irá traí-lo.

Meditação para a Terça-feira Santa
Espiritualidade

Meditação para a Terça-feira Santa

Pautados pelo Evangelho do Senhor, no capítulo 13, nesta terça-feira santa, o Senhor vai anunciar que um dentre eles irá traí-lo.

Data da Publicação: 03/04/2023
Tempo de leitura:
Autor: MBC
Data da Publicação: 03/04/2023
Tempo de leitura:
Autor: MBC

Pautados pelo Evangelho do Senhor, no capítulo 13, nesta terça-feira santa, O Senhor vai estar à mesa com os seus discípulos e vai anunciar que um dentre eles irá traí-lo. Os discípulos ficam perplexos e começam a se questionar: “Serei eu, Senhor?”

Mas nós queremos hoje, nesta Terça-feira Santa, nos determos num outro personagem: Pedro — e as suas negações.

Pedro, no Evangelho da Santa Missa, vai dizer: “Senhor, eu irei para onde tu fores.” E Nosso Senhor vai dizer: “Não, Pedro, tu não podes me seguir agora, mas depois tu me seguirás.”

Jesus está, aqui, já prefigurando também a negação de Pedro, mas ao mesmo tempo confirmando na graça o seu arrependimento. Como não nos lembrarmos de um outro Evangelho, de uma outra passagem bíblica de João, onde o Senhor está pregando e as palavras de Jesus começam a soar duras nos ouvidos do povo. Então, o povo começa a ir embora. E Nosso Senhor chega para Pedro e pergunta: “Quereis também ir embora?

Pedro responde como um bom colérico: “Para onde irei, Senhor? Só Tu tens palavras de vida eterna.”

É interessante e acaba que é um pouco engraçado este movimento de Pedro. Pedro tem estes ímpetos no Evangelho, de perguntar, de questionar, de sempre tomar a palavra, de se posicionar. Mas, chegada a hora derradeira, ele nega o Senhor. Ele O trai, assim como Judas.

Poderíamos dizer que aqui existe uma apostasia. Pedro faz uma apostasia porque jura, faz o juramento de que não conhece o Senhor, àquela mulher na multidão que o pergunta se O conhece, se é um dos discípulos. Como pode isto acontecer? Como pode um apóstolo, unido ao Senhor, o negar sobre juramento? A verdade é que isto acontece com Pedro, porque Pedro é orgulhoso e soberbo.

Ele confia em si mesmo. E quando alguém segue este caminho, a consequência é uma só: ele abandona. Ele rejeita. Ele nega. Sobre juramento, ele abandona a fé.

Conheça mais sobre a vida de São Pedro.

O que São Pedro pode nos ensinar nesta Terça-feira Santa?


Nesta Terça-feira Santa, Pedro quer nos ensinar. Aquela expressão de São Josemaria Escrivá, quando ele dizia: “Eu sou capaz de cometer todos os erros e todos os horrores possíveis.” Pedro quer nos ensinar que nós somos capazes das piores coisas.

E nós não podemos nos escandalizar com isso. Não podemos. Nós somos capazes das piores coisas. Somos capazes de negar o próprio Senhor, que nos confirmou tantas vezes na caminhada. A exemplo de Pedro, nós queremos ter um coração verdadeiramente arrependido, arrependido por termos renegado o Senhor, inúmeras vezes, no nosso existir.

Talvez você possa se recordar, examinar a tua mente, a tua alma. Quantas vezes você negou, abandonou o Senhor como Pedro?

Mas como ele, depois, amargamente, a Tradição vai dizer que houve uma queimadura na pele de Pedro — de tantas lágrimas que, noite após noite, chorava por ter traído o Senhor.

Que nós possamos também chorar amargamente, mas de uma forma arrependida por termos negado o Senhor, inúmeras vezes, no nosso dia a dia.

Este é o risco de viver, o risco da vida é negarmos o Senhor. Que nós possamos professar a nossa fé. Que nós possamos não abandonar Aquele que nunca nos abandona: o Cristo Senhor, o Filho de Deus.

Tenha acesso a um e-book gratuito com meditações da Via Sacra do Papa Bento XVI

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Avatar

    MBC

    O que você vai encontrar neste artigo?

    Pautados pelo Evangelho do Senhor, no capítulo 13, nesta terça-feira santa, O Senhor vai estar à mesa com os seus discípulos e vai anunciar que um dentre eles irá traí-lo. Os discípulos ficam perplexos e começam a se questionar: “Serei eu, Senhor?”

    Mas nós queremos hoje, nesta Terça-feira Santa, nos determos num outro personagem: Pedro — e as suas negações.

    Pedro, no Evangelho da Santa Missa, vai dizer: “Senhor, eu irei para onde tu fores.” E Nosso Senhor vai dizer: “Não, Pedro, tu não podes me seguir agora, mas depois tu me seguirás.”

    Jesus está, aqui, já prefigurando também a negação de Pedro, mas ao mesmo tempo confirmando na graça o seu arrependimento. Como não nos lembrarmos de um outro Evangelho, de uma outra passagem bíblica de João, onde o Senhor está pregando e as palavras de Jesus começam a soar duras nos ouvidos do povo. Então, o povo começa a ir embora. E Nosso Senhor chega para Pedro e pergunta: “Quereis também ir embora?

    Pedro responde como um bom colérico: “Para onde irei, Senhor? Só Tu tens palavras de vida eterna.”

    É interessante e acaba que é um pouco engraçado este movimento de Pedro. Pedro tem estes ímpetos no Evangelho, de perguntar, de questionar, de sempre tomar a palavra, de se posicionar. Mas, chegada a hora derradeira, ele nega o Senhor. Ele O trai, assim como Judas.

    Poderíamos dizer que aqui existe uma apostasia. Pedro faz uma apostasia porque jura, faz o juramento de que não conhece o Senhor, àquela mulher na multidão que o pergunta se O conhece, se é um dos discípulos. Como pode isto acontecer? Como pode um apóstolo, unido ao Senhor, o negar sobre juramento? A verdade é que isto acontece com Pedro, porque Pedro é orgulhoso e soberbo.

    Ele confia em si mesmo. E quando alguém segue este caminho, a consequência é uma só: ele abandona. Ele rejeita. Ele nega. Sobre juramento, ele abandona a fé.

    Conheça mais sobre a vida de São Pedro.

    O que São Pedro pode nos ensinar nesta Terça-feira Santa?


    Nesta Terça-feira Santa, Pedro quer nos ensinar. Aquela expressão de São Josemaria Escrivá, quando ele dizia: “Eu sou capaz de cometer todos os erros e todos os horrores possíveis.” Pedro quer nos ensinar que nós somos capazes das piores coisas.

    E nós não podemos nos escandalizar com isso. Não podemos. Nós somos capazes das piores coisas. Somos capazes de negar o próprio Senhor, que nos confirmou tantas vezes na caminhada. A exemplo de Pedro, nós queremos ter um coração verdadeiramente arrependido, arrependido por termos renegado o Senhor, inúmeras vezes, no nosso existir.

    Talvez você possa se recordar, examinar a tua mente, a tua alma. Quantas vezes você negou, abandonou o Senhor como Pedro?

    Mas como ele, depois, amargamente, a Tradição vai dizer que houve uma queimadura na pele de Pedro — de tantas lágrimas que, noite após noite, chorava por ter traído o Senhor.

    Que nós possamos também chorar amargamente, mas de uma forma arrependida por termos negado o Senhor, inúmeras vezes, no nosso dia a dia.

    Este é o risco de viver, o risco da vida é negarmos o Senhor. Que nós possamos professar a nossa fé. Que nós possamos não abandonar Aquele que nunca nos abandona: o Cristo Senhor, o Filho de Deus.

    Tenha acesso a um e-book gratuito com meditações da Via Sacra do Papa Bento XVI

    Avatar

    MBC

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.