Devido à tragédia climática no RS, os prazos de entrega poderão ser afetados.
Santidade

A refeição de Santa Clara e São Francisco

A refeição de Santa Clara e São Francisco
Santidade

A refeição de Santa Clara e São Francisco

Data da Publicação: 23/09/2021
Tempo de leitura:
Autor: MBC
Data da Publicação: 23/09/2021
Tempo de leitura:
Autor: MBC

No oitavo capítulo do Il Fioretti, livro que reúne diversas histórias significativas de Santa Clara, temos uma bela descrição de um almoço na floresta da santa com o seu pai espiritual, São Francisco.

O poverello de Assis estava de volta de mais uma viagem e passava pelas imediações do convento de São Damião, onde viviam as Damas Pobres. Clara soube desta passagem e logo quis encontrar o mestre e amigo.

São Francisco, porém, não era muito chegado a se aproximar daquele convento feminino, porque entendia que não ficava bem um homem ter muita frequência em uma casa de mulheres. Clara, da sua parte, desejava muito poder comer junto do mestre, assim como os apóstolos um dia fizeram suas refeições ao lado de Jesus.

Depois da insistência de Clara e do conselho de amigos, São Francisco decidiu atendê-la. Convidou Clara para uma refeição, à sombra do bosque, num lugar chamado Santa Maria dos Anjos. Chegando lá, descalça, Clara encontrou-se à beira de um riacho com Pai Francisco, e sentaram-se para a refeição que se reduzia a cascas de pão e uma jarra d’água.

Mas São Francisco, antes de tocar na comida, começou a falar com Clara sobre o Senhor e Sua caridade. A fala ia se estendendo, e Clara, extasiada com palavras tão sublimes, esqueceu também do alimento. São Francisco se elevou tanto em suas meditações que uma luz feito chama tomou conta de todo o bosque, o que preocupou até mesmo os habitantes da Porciúncula, que pensaram que se tratava de um incêndio.

As pessoas correram para lá, a fim de apagar o fogo, mas o que viram era São Francisco e Santa Clara, em êxtase, falando de Deus. Levantaram-se todos, finalmente, saciados por esta comida sólida, que é puramente espiritual, e foi assim que a refeição de dois santos provou que ambos, se pudessem, viveriam apenas alimentados de Cristo.

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Avatar

    MBC

    O que você vai encontrar neste artigo?

    No oitavo capítulo do Il Fioretti, livro que reúne diversas histórias significativas de Santa Clara, temos uma bela descrição de um almoço na floresta da santa com o seu pai espiritual, São Francisco.

    O poverello de Assis estava de volta de mais uma viagem e passava pelas imediações do convento de São Damião, onde viviam as Damas Pobres. Clara soube desta passagem e logo quis encontrar o mestre e amigo.

    São Francisco, porém, não era muito chegado a se aproximar daquele convento feminino, porque entendia que não ficava bem um homem ter muita frequência em uma casa de mulheres. Clara, da sua parte, desejava muito poder comer junto do mestre, assim como os apóstolos um dia fizeram suas refeições ao lado de Jesus.

    Depois da insistência de Clara e do conselho de amigos, São Francisco decidiu atendê-la. Convidou Clara para uma refeição, à sombra do bosque, num lugar chamado Santa Maria dos Anjos. Chegando lá, descalça, Clara encontrou-se à beira de um riacho com Pai Francisco, e sentaram-se para a refeição que se reduzia a cascas de pão e uma jarra d’água.

    Mas São Francisco, antes de tocar na comida, começou a falar com Clara sobre o Senhor e Sua caridade. A fala ia se estendendo, e Clara, extasiada com palavras tão sublimes, esqueceu também do alimento. São Francisco se elevou tanto em suas meditações que uma luz feito chama tomou conta de todo o bosque, o que preocupou até mesmo os habitantes da Porciúncula, que pensaram que se tratava de um incêndio.

    As pessoas correram para lá, a fim de apagar o fogo, mas o que viram era São Francisco e Santa Clara, em êxtase, falando de Deus. Levantaram-se todos, finalmente, saciados por esta comida sólida, que é puramente espiritual, e foi assim que a refeição de dois santos provou que ambos, se pudessem, viveriam apenas alimentados de Cristo.

    Avatar

    MBC

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.