Devoção

A vida de Santa Teresinha

Aprofunde-se na vida e na espiritualidade de Santa Teresinha, que defendia a Pequena Via como forma prática e efetiva de alcançar a santidade.

A vida de Santa Teresinha
Devoção

A vida de Santa Teresinha

Aprofunde-se na vida e na espiritualidade de Santa Teresinha, que defendia a Pequena Via como forma prática e efetiva de alcançar a santidade.

Data da Publicação: 01/10/2023
Tempo de leitura:
Autor: MBC
Data da Publicação: 01/10/2023
Tempo de leitura:
Autor: MBC

O que a vida de uma jovem que morreu aos 24 anos pode ter de tão interessante e quais foram os feitos que a levaram ser conhecida em todo o mundo e ser proclamada padroeira das missões e doutora da Igreja? Muitos podem pensar que Santa Teresinha, que passou grande parte de sua vida no interior de um convento, nada poderia ter realizado de grandioso e extraordinário.

No entanto, é justamente na sua simplicidade, humildade e no ordinário vivido com amor e entrega incondicional que Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face alcançou e tocou os corações de pessoas do mundo todo, que tiveram a oportunidade de conhecer a sua espiritualidade e a sua forma de viver a santidade, no escondimento e na pequenez. 

Neste artigo, você vai se aprofundar na vida e na espiritualidade de Santa Teresinha, que defendia a infância espiritual como forma prática e efetiva de alcançar a santidade.

Quem foi Santa Teresinha do Menino Jesus?

Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face foi uma jovem carmelita com alma de missionária que desejava ardentemente viver e morrer por Cristo. Ela viveu na França entre os anos de 1873 e 1897, tendo morrido precocemente com apenas 24 anos, por conta de uma tuberculose. A alma de Teresinha ardia por Jesus, ela oferecia todas as suas ações a Ele, mesmo as mais insignificantes, e deixou para nós um legado: a sua espiritualidade que se resume à infância espiritual, pela qual ela nos ensina a construir um caminho de intimidade com Nosso Senhor.

Os principais episódios da vida de Santa Teresinha

A infância de Santa Teresinha

Maria Francisca Teresa Martin era o nome que os pais de Santa Teresinha escolheram para a caçula de seus oito filhos. Ela nasceu no dia 02 de janeiro de 1873 em Alençon, na França. Os seus pais, Luís Joseph Aloys Martin e Zélia Marie Guérin eram católicos muito devotos que aspiravam a santidade. Eram de confissão frequente e missa diária, e Santa Teresinha referia-se a eles como “dignos mais do céu do que da terra”. 

Em 2015, foram canonizados e passaram a ser inspiração para inúmeros casais que anseiam um matrimônio santo. Você pode ler mais sobre a vida de São Luís e Santa Zélia acessando este artigo.

Quando Teresinha tinha apenas quatro anos, perdeu a sua mãe, que foi vítima de um câncer, e nos anos seguintes viu suas irmãs irem para o convento, o que levou São Luís, pai das meninas, a desenvolver problemas psiquiátricos. Toda a vida da Santa do menino Jesus foi um caminho de sofrimento e amadurecimento, o que a levou a confiar cada dia mais na divina providência e entregar toda a sua vida a Jesus.

Santa Teresinha quando criança.

Santa Teresinha e Nossa Senhora do Sorriso

Após a perda de sua mãe Zélia e a ida das irmãs para o convento, Santa Teresinha passou por momentos de muita dor, chorava pelos cantos e tinha muita tristeza em seu coração. Até que, aos 10 anos de idade, teve uma experiência mística com a Santíssima Virgem Maria: “a Santíssima Virgem sorriu para mim. Foi por causa das orações que eu tive a graça do sorriso da Rainha do Céu” 1. O sorriso de Maria foi a causa da cura de Teresinha e, a partir dessa experiência, ela teve uma grande transformação em sua vida.

No Natal, uma conversão

Um outro momento marcante na história da jovem Teresinha foi quando, aos 13 anos, durante o Natal, ela viveu uma experiência com o Menino Jesus. Tendo compreendido que Ele é a fonte da verdadeira conversão, este fato foi importantíssimo no crescimento espiritual da jovem que, alguns anos depois, adotaria o nome de Teresinha do Menino Jesus.

Do carmelo à morte

Santa Teresinha entrou para o carmelo com apenas 15 anos, após ter ido até Roma suplicar a autorização do Papa Leão XIII. Seu grande lema era rezar pela salvação das almas dos pecadores e pelos sacerdotes. Ela também nutria um desejo missionário no coração de se tornar uma verdadeira cruzada e morrer por Cristo e em nome da Igreja, mas percebeu que a sua missão era rezar pela Igreja de dentro do carmelo e servir a Cristo nos pequenos atos do seu cotidiano. 

Santa Teresinha morreu em 1897 em face de uma tuberculose. Após 9 anos de vida religiosa, com apenas 24 anos, deixou um legado extraordinário de uma vida devota e vivida intensamente em cada detalhe. Sua vida foi um constante oferecimento de rosas a Jesus Cristo.

imagem de Santa Teresinha sendo velada no Carmelo.

A espiritualidade de Santa Teresinha

A pequena via

A pequena via, também chamada “infância espiritual” era a espiritualidade que Santa Teresinha vivia e defendia como forma de alcançar a verdadeira santidade. Basicamente, trata-se de reconhecer-se pequeno e frágil diante de Deus e permitir que Ele guie e engrandeça as nossas ações. Isso se dá através da nossa entrega total e constante a Ele, nos detalhes do nosso cotidiano. A Pequena Via é um caminho de humildade, sacrifício e amor.

Santa Teresinha nos faz perceber o quanto é grandioso para Deus o oferecimento das nossas simples ações cotidianas que parecem insignificantes e até mesmo chatas. Se forem feitas com amor e dedicação, tais ações tornam-se flores no jardim de Cristo. Em sua autobiografia, Teresinha escreve: “Há somente uma coisa a ser feita: oferecer a Jesus as flores dos pequenos sacrifícios”.

Saiba mais sobre a pequena neste vídeo:

Oferta ao amor misericordioso

Santa Teresinha recebeu uma inspiração durante a Santa Missa, de oferecer-se ao amor misericordioso, e entregou-se no dia 11 de junho de 1895 como “Vítima de Holocausto ao Amor Misericordioso do Bom Deus”. Através deste ato, Teresa entregou a Cristo o seu sofrimento como um auxílio para a salvação das almas. Ela verdadeiramente uniu o seu sofrimento ao sofrimento de Cristo. 

Para realizar tal oferta, ela compôs uma fórmula que posteriormente passou a ser utilizada pelas irmãs carmelitas e por toda a Igreja.

A Sagrada Face

Santa Teresinha nutria uma profunda devoção pela Sagrada Face de Jesus. Existem, inclusive fotos, dela carregando a imagem da Santa Face de Tours. Em sua época. estava sendo muito difundida a devoção a Face de Jesus. Essa imagem se tratava de uma gravura trazida de Roma, e muitos milagres estavam sendo associados à devoção à Sagrada Face. 

Teresinha almejava reparar as injúrias sofridas pela Face de Jesus, face que carrega a expressão de toda a dor e sofrimento da Paixão de Cristo. Por isso, adotou ao seu nome religioso o termo “da Sagrada Face” quando recebeu o hábito.

Santa Teresinha segurando imagens que simbolizam o que deu origem ao seu nome de consagrada: o Menino Jesus e a Sagrada Face de Nosso Senhor.

O legado de Santa Teresinha

A história de uma alma

A “A História de uma Alma” é a grande obra autobiográfica de Santa Teresinha, que fez com que ela e toda a sua família ficassem conhecidos no mundo todo. Nesta obra, ela descreve toda a sua vida, seus sofrimentos e o período que viveu como religiosa. Além disso, demonstra de modo resumido a pequena via, por meio da qual ela crê que as almas podem alcançar a verdadeira santidade ao entregar-se a Deus nos pequenos detalhes.

Cartas de Santa Teresinha

Teresinha também escreveu cartas. Através delas, comunicava aos seus correspondentes aspectos práticos da sua vivência da pequena via. Por meio dessas cartas, ela abriu o seu coração e não escondeu nada. Elas são um perfeito complemento para a autobiografia de Teresinha.

Poemas

Algumas irmãs, vendo o dom da escrita que Santa Teresinha possuía, passaram a solicitar que ela escrevesse poemas (e ela compôs mais de sessenta poemas), cujos temas eram relacionados a festas litúrgicas, vida espiritual e outros.

Beatificação e Canonização de Santa Teresinha

Em 1923, ela foi beatificada e em 1925 ,foi canonizada pelo Papa Pio XI. Também foi declarada padroeira das missões, tal como era o desejo de seu coração. Por fim, o Papa João Paulo II a proclamou como Doutora da Igreja em 1997.

Devoção

Santa Teresinha fez brotar o amor nos corações de pessoas do mundo todo, que buscam e alcançam inúmeras graças através da devoção a ela. Antes de morrer, Santa Teresinha disse que “Depois da minha morte, farei cair do Céu uma chuva de rosas ”, e muitos devotos que rezam a Novena das Rosas de todo o coração, recebem a promessa de Teresinha: as graças cujas rosas simbolizam.

Entenda a relação de Santa Teresinha com as rosas

Referências

  1. História de uma alma[]

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    MBC

    O que você vai encontrar neste artigo?

    O que a vida de uma jovem que morreu aos 24 anos pode ter de tão interessante e quais foram os feitos que a levaram ser conhecida em todo o mundo e ser proclamada padroeira das missões e doutora da Igreja? Muitos podem pensar que Santa Teresinha, que passou grande parte de sua vida no interior de um convento, nada poderia ter realizado de grandioso e extraordinário.

    No entanto, é justamente na sua simplicidade, humildade e no ordinário vivido com amor e entrega incondicional que Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face alcançou e tocou os corações de pessoas do mundo todo, que tiveram a oportunidade de conhecer a sua espiritualidade e a sua forma de viver a santidade, no escondimento e na pequenez. 

    Neste artigo, você vai se aprofundar na vida e na espiritualidade de Santa Teresinha, que defendia a infância espiritual como forma prática e efetiva de alcançar a santidade.

    Quem foi Santa Teresinha do Menino Jesus?

    Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face foi uma jovem carmelita com alma de missionária que desejava ardentemente viver e morrer por Cristo. Ela viveu na França entre os anos de 1873 e 1897, tendo morrido precocemente com apenas 24 anos, por conta de uma tuberculose. A alma de Teresinha ardia por Jesus, ela oferecia todas as suas ações a Ele, mesmo as mais insignificantes, e deixou para nós um legado: a sua espiritualidade que se resume à infância espiritual, pela qual ela nos ensina a construir um caminho de intimidade com Nosso Senhor.

    Os principais episódios da vida de Santa Teresinha

    A infância de Santa Teresinha

    Maria Francisca Teresa Martin era o nome que os pais de Santa Teresinha escolheram para a caçula de seus oito filhos. Ela nasceu no dia 02 de janeiro de 1873 em Alençon, na França. Os seus pais, Luís Joseph Aloys Martin e Zélia Marie Guérin eram católicos muito devotos que aspiravam a santidade. Eram de confissão frequente e missa diária, e Santa Teresinha referia-se a eles como “dignos mais do céu do que da terra”. 

    Em 2015, foram canonizados e passaram a ser inspiração para inúmeros casais que anseiam um matrimônio santo. Você pode ler mais sobre a vida de São Luís e Santa Zélia acessando este artigo.

    Quando Teresinha tinha apenas quatro anos, perdeu a sua mãe, que foi vítima de um câncer, e nos anos seguintes viu suas irmãs irem para o convento, o que levou São Luís, pai das meninas, a desenvolver problemas psiquiátricos. Toda a vida da Santa do menino Jesus foi um caminho de sofrimento e amadurecimento, o que a levou a confiar cada dia mais na divina providência e entregar toda a sua vida a Jesus.

    Santa Teresinha quando criança.

    Santa Teresinha e Nossa Senhora do Sorriso

    Após a perda de sua mãe Zélia e a ida das irmãs para o convento, Santa Teresinha passou por momentos de muita dor, chorava pelos cantos e tinha muita tristeza em seu coração. Até que, aos 10 anos de idade, teve uma experiência mística com a Santíssima Virgem Maria: “a Santíssima Virgem sorriu para mim. Foi por causa das orações que eu tive a graça do sorriso da Rainha do Céu” 1. O sorriso de Maria foi a causa da cura de Teresinha e, a partir dessa experiência, ela teve uma grande transformação em sua vida.

    No Natal, uma conversão

    Um outro momento marcante na história da jovem Teresinha foi quando, aos 13 anos, durante o Natal, ela viveu uma experiência com o Menino Jesus. Tendo compreendido que Ele é a fonte da verdadeira conversão, este fato foi importantíssimo no crescimento espiritual da jovem que, alguns anos depois, adotaria o nome de Teresinha do Menino Jesus.

    Do carmelo à morte

    Santa Teresinha entrou para o carmelo com apenas 15 anos, após ter ido até Roma suplicar a autorização do Papa Leão XIII. Seu grande lema era rezar pela salvação das almas dos pecadores e pelos sacerdotes. Ela também nutria um desejo missionário no coração de se tornar uma verdadeira cruzada e morrer por Cristo e em nome da Igreja, mas percebeu que a sua missão era rezar pela Igreja de dentro do carmelo e servir a Cristo nos pequenos atos do seu cotidiano. 

    Santa Teresinha morreu em 1897 em face de uma tuberculose. Após 9 anos de vida religiosa, com apenas 24 anos, deixou um legado extraordinário de uma vida devota e vivida intensamente em cada detalhe. Sua vida foi um constante oferecimento de rosas a Jesus Cristo.

    imagem de Santa Teresinha sendo velada no Carmelo.

    A espiritualidade de Santa Teresinha

    A pequena via

    A pequena via, também chamada “infância espiritual” era a espiritualidade que Santa Teresinha vivia e defendia como forma de alcançar a verdadeira santidade. Basicamente, trata-se de reconhecer-se pequeno e frágil diante de Deus e permitir que Ele guie e engrandeça as nossas ações. Isso se dá através da nossa entrega total e constante a Ele, nos detalhes do nosso cotidiano. A Pequena Via é um caminho de humildade, sacrifício e amor.

    Santa Teresinha nos faz perceber o quanto é grandioso para Deus o oferecimento das nossas simples ações cotidianas que parecem insignificantes e até mesmo chatas. Se forem feitas com amor e dedicação, tais ações tornam-se flores no jardim de Cristo. Em sua autobiografia, Teresinha escreve: “Há somente uma coisa a ser feita: oferecer a Jesus as flores dos pequenos sacrifícios”.

    Saiba mais sobre a pequena neste vídeo:

    Oferta ao amor misericordioso

    Santa Teresinha recebeu uma inspiração durante a Santa Missa, de oferecer-se ao amor misericordioso, e entregou-se no dia 11 de junho de 1895 como “Vítima de Holocausto ao Amor Misericordioso do Bom Deus”. Através deste ato, Teresa entregou a Cristo o seu sofrimento como um auxílio para a salvação das almas. Ela verdadeiramente uniu o seu sofrimento ao sofrimento de Cristo. 

    Para realizar tal oferta, ela compôs uma fórmula que posteriormente passou a ser utilizada pelas irmãs carmelitas e por toda a Igreja.

    A Sagrada Face

    Santa Teresinha nutria uma profunda devoção pela Sagrada Face de Jesus. Existem, inclusive fotos, dela carregando a imagem da Santa Face de Tours. Em sua época. estava sendo muito difundida a devoção a Face de Jesus. Essa imagem se tratava de uma gravura trazida de Roma, e muitos milagres estavam sendo associados à devoção à Sagrada Face. 

    Teresinha almejava reparar as injúrias sofridas pela Face de Jesus, face que carrega a expressão de toda a dor e sofrimento da Paixão de Cristo. Por isso, adotou ao seu nome religioso o termo “da Sagrada Face” quando recebeu o hábito.

    Santa Teresinha segurando imagens que simbolizam o que deu origem ao seu nome de consagrada: o Menino Jesus e a Sagrada Face de Nosso Senhor.

    O legado de Santa Teresinha

    A história de uma alma

    A “A História de uma Alma” é a grande obra autobiográfica de Santa Teresinha, que fez com que ela e toda a sua família ficassem conhecidos no mundo todo. Nesta obra, ela descreve toda a sua vida, seus sofrimentos e o período que viveu como religiosa. Além disso, demonstra de modo resumido a pequena via, por meio da qual ela crê que as almas podem alcançar a verdadeira santidade ao entregar-se a Deus nos pequenos detalhes.

    Cartas de Santa Teresinha

    Teresinha também escreveu cartas. Através delas, comunicava aos seus correspondentes aspectos práticos da sua vivência da pequena via. Por meio dessas cartas, ela abriu o seu coração e não escondeu nada. Elas são um perfeito complemento para a autobiografia de Teresinha.

    Poemas

    Algumas irmãs, vendo o dom da escrita que Santa Teresinha possuía, passaram a solicitar que ela escrevesse poemas (e ela compôs mais de sessenta poemas), cujos temas eram relacionados a festas litúrgicas, vida espiritual e outros.

    Beatificação e Canonização de Santa Teresinha

    Em 1923, ela foi beatificada e em 1925 ,foi canonizada pelo Papa Pio XI. Também foi declarada padroeira das missões, tal como era o desejo de seu coração. Por fim, o Papa João Paulo II a proclamou como Doutora da Igreja em 1997.

    Devoção

    Santa Teresinha fez brotar o amor nos corações de pessoas do mundo todo, que buscam e alcançam inúmeras graças através da devoção a ela. Antes de morrer, Santa Teresinha disse que “Depois da minha morte, farei cair do Céu uma chuva de rosas ”, e muitos devotos que rezam a Novena das Rosas de todo o coração, recebem a promessa de Teresinha: as graças cujas rosas simbolizam.

    Entenda a relação de Santa Teresinha com as rosas

    Referências

    1. História de uma alma[]

    MBC

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.