Devido à tragédia climática no RS, os prazos de entrega poderão ser afetados.
Devoção, Notícias

Irmã Lúcia, a guardiã do “terceiro segredo” de Fátima

Conheça quem foi a Irmã Lúcia, a guardiã do "terceiro segredo" de Fátima, que teve suas virtudes heroicas reconhecidas pela Igreja.

Irmã Lúcia, a guardiã do “terceiro segredo” de Fátima
Devoção, Notícias

Irmã Lúcia, a guardiã do “terceiro segredo” de Fátima

Conheça quem foi a Irmã Lúcia, a guardiã do "terceiro segredo" de Fátima, que teve suas virtudes heroicas reconhecidas pela Igreja.

Data da Publicação: 23/06/2023
Tempo de leitura:
Autor: MBC
Data da Publicação: 23/06/2023
Tempo de leitura:
Autor: MBC

Conheça quem foi a Irmã Lúcia, a guardiã do “terceiro segredo” de Fátima, que teve suas virtudes heroicas reconhecidas pela Igreja.

No cenário das aparições marianas na Cova da Iria, em Portugal, um dos nomes que se destaca é o da Irmã Lúcia, um dos três pastorinhos de Fátima. Sua presença e testemunho foram fundamentais ao lado de seus primos, Francisco e Jacinta Marto, durante os momentos extraordinários em que a Virgem Maria se manifestou.

No entanto, a Irmã Lúcia desempenhou um papel ainda mais significativo: ela foi encarregada de guardar um segredo especial, conhecido como o “terceiro segredo” de Fátima. Neste artigo, mergulharemos na vida desta serva de Deus e compreenderemos a estreita relação que ela teve com Nossa Senhora. Acompanharemos sua jornada desde a infância até o reconhecimento de suas virtudes heroicas, que a elevaram à categoria de Venerável.

As aparições de Nossa Senhora de Fátima


As aparições de Nossa Senhora de Fátima ocorreram entre maio e outubro de 1917, na Cova da Iria, em Portugal. Três crianças, Lúcia dos Santos e seus primos, Francisco e Jacinta Marto, testemunharam as aparições da Virgem Maria.

A Senhora do Céu enfatizou a importância da oração constante, da devoção ao Imaculado Coração de Maria e da penitência como meio de alcançar a conversão das almas. Além disso, ela revelou visões do inferno, compartilhou um segredo específico e pediu a consagração da Rússia ao Seu Imaculado Coração. “Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores; para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a Meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz.” 1

As aparições atraíram a atenção de milhares de pessoas, o que gerou um movimento de devoção e peregrinação ao local. Tempos depois, os eventos de Fátima foram reconhecidos pela Igreja Católica como autênticos; e a mensagem de Nossa Senhora de Fátima se tornou um chamado à conversão e à paz mundial.

A Irmã Lúcia desempenhou um papel fundamental na divulgação das aparições e na disseminação da mensagem de Fátima ao longo de sua vida. Sua devoção e obediência ao chamado divino são um exemplo de como cada um de nós pode responder à vontade de Deus e participar da construção do Reino dos Céus aqui na Terra.

Conheça a história completa das aparições de Nossa Senhora de Fátima.

Quem foi a irmã Lúcia?


Nascimento e infância


A Irmã Lúcia, cujo nome de batismo era Lúcia de Jesus dos Santos, nasceu em 22 de março de 1907, na pequena aldeia de Aljustrel, localizada perto de Fátima, em Portugal. Ela era a filha mais nova de António dos Santos e Maria Rosa Ferreira. Sua família era humilde e vivia da agricultura, dedicando-se ao trabalho árduo do campo.

Desde cedo, Lúcia demonstrou uma natureza sensível e uma vida de fé. Sua família, embora simples, era muito unida e profundamente religiosa. Sendo assim, a educação cristã que recebeu em seu lar, aliada às tradições católicas da região, moldaram sua devoção e amor a Deus.

Além disso, na infância, Lúcia desempenhava as tarefas comuns da vida campestre, como cuidar dos rebanhos e ajudar nas tarefas domésticas. Sua vida era, portanto, tranquila e repleta de momentos de oração e devoção familiar. Essa simplicidade e inocência infantil seriam fundamentais para o chamado divino que ela receberia mais tarde, tornando-se uma das figuras centrais das aparições de Nossa Senhora de Fátima.

A única das crianças que conversava com Nossa Senhora


Dos três pastorinhos que testemunharam as aparições de Nossa Senhora de Fátima, Lúcia desempenhou um papel único e especial. Pois, enquanto seus primos Francisco e Jacinta Marto eram abençoados com a visão da Virgem Maria, era Lúcia quem conversava diretamente com a Mãe de Jesus. De tal modo que esse aspecto distinto da dinâmica das aparições de Fátima conferiu à Irmã Lúcia uma responsabilidade singular e a tornou uma figura central na divulgação dessa mensagem do Céu.

O seu chamado fica evidente já na segunda aparição, a 13 de junho de 1917:

“– Queria pedir-lhe para nos levar para o Céu.
– Sim; a Jacinta e o Francisco levo-os em breve. Mas tu [Lúcia] ficas cá mais algum tempo. Jesus quer servir-Se de ti para me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. [A quem a abraçar, prometo a salvação; e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por Mim a adornar o Seu trono].
– Fico cá sozinha? – perguntei, com pena.
– Não, filha. E tu sofres muito? Não desanimes. Eu nunca te deixarei. O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus.” 1

Dessa forma, Lúcia foi especialmente designada para ser o canal principal de comunicação entre Nossa Senhora e o mundo. Além de transmitir as mensagens e visões que recebia, Nossa Senhora pediu aos pastorinhos que aprendessem a ler e escrever. E essa instrução foi fundamental para que Lúcia pudesse registrar as palavras e as revelações divinas, bem como compartilhar a mensagem de Fátima com precisão e clareza.

Lúcia realizou tal missão com devoção e coragem. Ela compartilhou as mensagens recebidas com os seus superiores religiosos, com as autoridades eclesiásticas e com os fiéis. Sem dúvida, sua responsabilidade era grande, mas sua fé e confiança nas palavras da Virgem — “Eu nunca te deixarei” — a impulsionaram a cumprir esse papel. E, assim, levar a humanidade a reconhecer a urgência da oração — em especial do Santo Terço —, bem como da penitência e da devoção ao Imaculado Coração.

Entenda o papel das visões e aparições na fé católica

Irmã Lúcia


Em 1948, a Irmã Lúcia seguiu sua vocação religiosa e ingressou no Carmelo de Santa Teresa, em Coimbra, Portugal. Dessa forma, ela se entregou à vida contemplativa e reclusa; dedicou-se à oração constante e à busca de uma união mais profunda com Deus. No entanto, como religiosa carmelita, continuou a cumprir sua missão de intercessão e sacrifício pelos pecados do mundo e pela conversão dos corações.

De fato, a Irmã Lúcia nunca abandonou seu compromisso com a mensagem de Fátima. No convento, ela escreveu várias cartas, memórias e livros, compartilhando suas experiências e conhecimentos espirituais. Por meio desses escritos, ela continuou a disseminar a importância da oração, da penitência e da devoção mariana.

E, depois de uma vida inteira dedicada à oração, à contemplação e à obediência à vontade de Deus, a Irmã Lúcia faleceu em 13 de fevereiro de 2005, aos 97 anos de idade. Sua partida foi marcada por uma profunda comoção e gratidão por parte dos fiéis, devido ao seu papel como mensageira das aparições de Fátima.

Desse modo, ela cumpriu sua missão não apenas durante as aparições, mas também ao longo de sua vida religiosa reclusa, deixando um impacto duradouro no coração dos fiéis e mantendo viva a mensagem de Fátima para as gerações futuras.

Por que a Irmã Lúcia é chamada de guardiã do segredo de Fátima?


A Irmã Lúcia é chamada de guardiã do segredo de Fátima, em primeiro lugar, porque, após a morte de seus primos, ela permaneceu como a única testemunha e guardiã da mensagem que lhe foi confiada por Nossa Senhora. 2 E, depois, recebeu instruções diretas da Virgem Maria sobre esses segredos e foi encarregada de mantê-los em sigilo até que o momento apropriado chegasse para sua divulgação.

Entre 1935 e 1941, a pedido do bispo de Leiria, a Irmã Lúcia transcreveu essas mensagens em documentos. 2 E entre eles estava a terceira parte do segredo de Fátima, conhecido como o “terceiro segredo”.

Além disso, ela teve encontros significativos com alguns Papas, como São Paulo VI, São João Paulo II, Bento XVI e Papa Francisco. Ademais, a irmã Lúcia testemunhou o segredo de Fátima sendo revelado ao mundo pelo Papa João Paulo II em 2000. 2 Ela desempenhou seu papel como guardiã do segredo de Fátima com zelo e fidelidade, protegendo a mensagem confiada a ela e contribuindo para a propagação da devoção ao Imaculado Coração.

Assim, Irmã Lúcia é lembrada e honrada como a guardiã do segredo de Fátima, uma fiel mensageira que cumpriu sua missão até o fim, deixando um legado de fé e devoção.

Que tal rezar a Novena a Nossa Senhora de Fátima?

Venerável Irmã Lúcia


A Irmã Lúcia dos Santos tornou-se Venerável — que alegria para a Igreja! Em uma audiência com o Papa Francisco, a 22 de junho de 2023, o cardeal Marcello Semeraro, prefeito do Dicastério para as Causas dos Santos, recebeu autorização para promulgar o Decreto que reconhece as virtudes exemplares da religiosa.

A vida da Irmã Lúcia foi marcada por sua dedicação em custodiar a mensagem mariana que lhe foi confiada por Nossa Senhora de Fátima. Sendo assim, ela enfrentou dificuldades em manter unidas as experiências extraordinárias das aparições e a rotina de uma vida monástica no Carmelo. 2

Com a declaração de Venerável, reconhecem-se as virtudes heroicas da Irmã Lúcia e seu exemplo de vida virtuosa. Quando a Igreja Católica reconhece as “virtudes heroicas” de uma pessoa, significa que esta viveu uma vida de santidade e virtude de maneira extraordinária. Essas virtudes incluem a fé, a esperança, a caridade, a humildade, a obediência e a paciência, por exemplo. Além de outras qualidades cristãs, demonstradas de maneira excepcional.

O reconhecimento das “virtudes heroicas” é, portanto, um passo importante no processo de canonização, que é o reconhecimento oficial de uma pessoa como santa pela Igreja Católica. Assim, ao ser declarada Venerável, a Irmã Lúcia é reconhecida como alguém que viveu as virtudes cristãs de forma heroica, servindo como exemplo para os fiéis.

Agora, cabe a nós pedir a intercessão da Venerável Irmã Lúcia em nossas vidas. Que, seguindo seu exemplo, possamos não apenas rezar o terço diariamente, mas também difundir essa belíssima devoção e praticar a penitência. Dessa forma, estaremos nós também correspondendo aos apelos da mensagem de Fátima, como ela fez ao longo de sua vida. 

Referências

  1. Santuário de Fátima, NARRATIVA DAS APARIÇÕES DE FÁTIMA[][]
  2. Vatican News, RECONHECIDAS AS VIRTUDES HEROICAS DE IRMÃ LÚCIA E DE DOM ANTÔNIO DE ALMEIDA LUSTOSA[][][][]

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Avatar

    MBC

    O que você vai encontrar neste artigo?

    Conheça quem foi a Irmã Lúcia, a guardiã do “terceiro segredo” de Fátima, que teve suas virtudes heroicas reconhecidas pela Igreja.

    No cenário das aparições marianas na Cova da Iria, em Portugal, um dos nomes que se destaca é o da Irmã Lúcia, um dos três pastorinhos de Fátima. Sua presença e testemunho foram fundamentais ao lado de seus primos, Francisco e Jacinta Marto, durante os momentos extraordinários em que a Virgem Maria se manifestou.

    No entanto, a Irmã Lúcia desempenhou um papel ainda mais significativo: ela foi encarregada de guardar um segredo especial, conhecido como o “terceiro segredo” de Fátima. Neste artigo, mergulharemos na vida desta serva de Deus e compreenderemos a estreita relação que ela teve com Nossa Senhora. Acompanharemos sua jornada desde a infância até o reconhecimento de suas virtudes heroicas, que a elevaram à categoria de Venerável.

    As aparições de Nossa Senhora de Fátima


    As aparições de Nossa Senhora de Fátima ocorreram entre maio e outubro de 1917, na Cova da Iria, em Portugal. Três crianças, Lúcia dos Santos e seus primos, Francisco e Jacinta Marto, testemunharam as aparições da Virgem Maria.

    A Senhora do Céu enfatizou a importância da oração constante, da devoção ao Imaculado Coração de Maria e da penitência como meio de alcançar a conversão das almas. Além disso, ela revelou visões do inferno, compartilhou um segredo específico e pediu a consagração da Rússia ao Seu Imaculado Coração. “Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores; para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a Meu Imaculado Coração. Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz.” 1

    As aparições atraíram a atenção de milhares de pessoas, o que gerou um movimento de devoção e peregrinação ao local. Tempos depois, os eventos de Fátima foram reconhecidos pela Igreja Católica como autênticos; e a mensagem de Nossa Senhora de Fátima se tornou um chamado à conversão e à paz mundial.

    A Irmã Lúcia desempenhou um papel fundamental na divulgação das aparições e na disseminação da mensagem de Fátima ao longo de sua vida. Sua devoção e obediência ao chamado divino são um exemplo de como cada um de nós pode responder à vontade de Deus e participar da construção do Reino dos Céus aqui na Terra.

    Conheça a história completa das aparições de Nossa Senhora de Fátima.

    Quem foi a irmã Lúcia?


    Nascimento e infância


    A Irmã Lúcia, cujo nome de batismo era Lúcia de Jesus dos Santos, nasceu em 22 de março de 1907, na pequena aldeia de Aljustrel, localizada perto de Fátima, em Portugal. Ela era a filha mais nova de António dos Santos e Maria Rosa Ferreira. Sua família era humilde e vivia da agricultura, dedicando-se ao trabalho árduo do campo.

    Desde cedo, Lúcia demonstrou uma natureza sensível e uma vida de fé. Sua família, embora simples, era muito unida e profundamente religiosa. Sendo assim, a educação cristã que recebeu em seu lar, aliada às tradições católicas da região, moldaram sua devoção e amor a Deus.

    Além disso, na infância, Lúcia desempenhava as tarefas comuns da vida campestre, como cuidar dos rebanhos e ajudar nas tarefas domésticas. Sua vida era, portanto, tranquila e repleta de momentos de oração e devoção familiar. Essa simplicidade e inocência infantil seriam fundamentais para o chamado divino que ela receberia mais tarde, tornando-se uma das figuras centrais das aparições de Nossa Senhora de Fátima.

    A única das crianças que conversava com Nossa Senhora


    Dos três pastorinhos que testemunharam as aparições de Nossa Senhora de Fátima, Lúcia desempenhou um papel único e especial. Pois, enquanto seus primos Francisco e Jacinta Marto eram abençoados com a visão da Virgem Maria, era Lúcia quem conversava diretamente com a Mãe de Jesus. De tal modo que esse aspecto distinto da dinâmica das aparições de Fátima conferiu à Irmã Lúcia uma responsabilidade singular e a tornou uma figura central na divulgação dessa mensagem do Céu.

    O seu chamado fica evidente já na segunda aparição, a 13 de junho de 1917:

    “– Queria pedir-lhe para nos levar para o Céu.
    – Sim; a Jacinta e o Francisco levo-os em breve. Mas tu [Lúcia] ficas cá mais algum tempo. Jesus quer servir-Se de ti para me fazer conhecer e amar. Ele quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração. [A quem a abraçar, prometo a salvação; e serão queridas de Deus estas almas, como flores postas por Mim a adornar o Seu trono].
    – Fico cá sozinha? – perguntei, com pena.
    – Não, filha. E tu sofres muito? Não desanimes. Eu nunca te deixarei. O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus.” 1

    Dessa forma, Lúcia foi especialmente designada para ser o canal principal de comunicação entre Nossa Senhora e o mundo. Além de transmitir as mensagens e visões que recebia, Nossa Senhora pediu aos pastorinhos que aprendessem a ler e escrever. E essa instrução foi fundamental para que Lúcia pudesse registrar as palavras e as revelações divinas, bem como compartilhar a mensagem de Fátima com precisão e clareza.

    Lúcia realizou tal missão com devoção e coragem. Ela compartilhou as mensagens recebidas com os seus superiores religiosos, com as autoridades eclesiásticas e com os fiéis. Sem dúvida, sua responsabilidade era grande, mas sua fé e confiança nas palavras da Virgem — “Eu nunca te deixarei” — a impulsionaram a cumprir esse papel. E, assim, levar a humanidade a reconhecer a urgência da oração — em especial do Santo Terço —, bem como da penitência e da devoção ao Imaculado Coração.

    Entenda o papel das visões e aparições na fé católica

    Irmã Lúcia


    Em 1948, a Irmã Lúcia seguiu sua vocação religiosa e ingressou no Carmelo de Santa Teresa, em Coimbra, Portugal. Dessa forma, ela se entregou à vida contemplativa e reclusa; dedicou-se à oração constante e à busca de uma união mais profunda com Deus. No entanto, como religiosa carmelita, continuou a cumprir sua missão de intercessão e sacrifício pelos pecados do mundo e pela conversão dos corações.

    De fato, a Irmã Lúcia nunca abandonou seu compromisso com a mensagem de Fátima. No convento, ela escreveu várias cartas, memórias e livros, compartilhando suas experiências e conhecimentos espirituais. Por meio desses escritos, ela continuou a disseminar a importância da oração, da penitência e da devoção mariana.

    E, depois de uma vida inteira dedicada à oração, à contemplação e à obediência à vontade de Deus, a Irmã Lúcia faleceu em 13 de fevereiro de 2005, aos 97 anos de idade. Sua partida foi marcada por uma profunda comoção e gratidão por parte dos fiéis, devido ao seu papel como mensageira das aparições de Fátima.

    Desse modo, ela cumpriu sua missão não apenas durante as aparições, mas também ao longo de sua vida religiosa reclusa, deixando um impacto duradouro no coração dos fiéis e mantendo viva a mensagem de Fátima para as gerações futuras.

    Por que a Irmã Lúcia é chamada de guardiã do segredo de Fátima?


    A Irmã Lúcia é chamada de guardiã do segredo de Fátima, em primeiro lugar, porque, após a morte de seus primos, ela permaneceu como a única testemunha e guardiã da mensagem que lhe foi confiada por Nossa Senhora. 2 E, depois, recebeu instruções diretas da Virgem Maria sobre esses segredos e foi encarregada de mantê-los em sigilo até que o momento apropriado chegasse para sua divulgação.

    Entre 1935 e 1941, a pedido do bispo de Leiria, a Irmã Lúcia transcreveu essas mensagens em documentos. 2 E entre eles estava a terceira parte do segredo de Fátima, conhecido como o “terceiro segredo”.

    Além disso, ela teve encontros significativos com alguns Papas, como São Paulo VI, São João Paulo II, Bento XVI e Papa Francisco. Ademais, a irmã Lúcia testemunhou o segredo de Fátima sendo revelado ao mundo pelo Papa João Paulo II em 2000. 2 Ela desempenhou seu papel como guardiã do segredo de Fátima com zelo e fidelidade, protegendo a mensagem confiada a ela e contribuindo para a propagação da devoção ao Imaculado Coração.

    Assim, Irmã Lúcia é lembrada e honrada como a guardiã do segredo de Fátima, uma fiel mensageira que cumpriu sua missão até o fim, deixando um legado de fé e devoção.

    Que tal rezar a Novena a Nossa Senhora de Fátima?

    Venerável Irmã Lúcia


    A Irmã Lúcia dos Santos tornou-se Venerável — que alegria para a Igreja! Em uma audiência com o Papa Francisco, a 22 de junho de 2023, o cardeal Marcello Semeraro, prefeito do Dicastério para as Causas dos Santos, recebeu autorização para promulgar o Decreto que reconhece as virtudes exemplares da religiosa.

    A vida da Irmã Lúcia foi marcada por sua dedicação em custodiar a mensagem mariana que lhe foi confiada por Nossa Senhora de Fátima. Sendo assim, ela enfrentou dificuldades em manter unidas as experiências extraordinárias das aparições e a rotina de uma vida monástica no Carmelo. 2

    Com a declaração de Venerável, reconhecem-se as virtudes heroicas da Irmã Lúcia e seu exemplo de vida virtuosa. Quando a Igreja Católica reconhece as “virtudes heroicas” de uma pessoa, significa que esta viveu uma vida de santidade e virtude de maneira extraordinária. Essas virtudes incluem a fé, a esperança, a caridade, a humildade, a obediência e a paciência, por exemplo. Além de outras qualidades cristãs, demonstradas de maneira excepcional.

    O reconhecimento das “virtudes heroicas” é, portanto, um passo importante no processo de canonização, que é o reconhecimento oficial de uma pessoa como santa pela Igreja Católica. Assim, ao ser declarada Venerável, a Irmã Lúcia é reconhecida como alguém que viveu as virtudes cristãs de forma heroica, servindo como exemplo para os fiéis.

    Agora, cabe a nós pedir a intercessão da Venerável Irmã Lúcia em nossas vidas. Que, seguindo seu exemplo, possamos não apenas rezar o terço diariamente, mas também difundir essa belíssima devoção e praticar a penitência. Dessa forma, estaremos nós também correspondendo aos apelos da mensagem de Fátima, como ela fez ao longo de sua vida. 

    Referências

    1. Santuário de Fátima, NARRATIVA DAS APARIÇÕES DE FÁTIMA[][]
    2. Vatican News, RECONHECIDAS AS VIRTUDES HEROICAS DE IRMÃ LÚCIA E DE DOM ANTÔNIO DE ALMEIDA LUSTOSA[][][][]
    Avatar

    MBC

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.