Devido à tragédia climática no RS, os prazos de entrega poderão ser afetados.
Devoção, Formação

São João Crisóstomo, o boca de ouro

Conheça a vida de São João Crisóstomo, desde o nascimento até o exílio e a morte, passando pela sua juventude e seu vasto legado literário.

São João Crisóstomo, o boca de ouro
Devoção, Formação

São João Crisóstomo, o boca de ouro

Conheça a vida de São João Crisóstomo, desde o nascimento até o exílio e a morte, passando pela sua juventude e seu vasto legado literário.

Data da Publicação: 11/09/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC
Data da Publicação: 11/09/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC

São João Crisóstomo foi um dos Padres da Igreja do Oriente e ficou conhecido como “boca de ouro”. Este título foi atribuído a ele como um elogio à sua eloquência e à maneira pela qual conseguia cativar e inspirar as pessoas por meio de suas palavras.

A Igreja venera a sua memória no dia 13 de setembro. Neste artigo, vamos conhecer a história deste grande santo, o seu valioso legado literário e algumas de suas frases célebres que perduram até hoje.

Quem foi São João Crisóstomo?

São João Crisóstomo (347-407 d.C.) é um dos Padres da Igreja do século IV. Conhecido por suas habilidades retóricas, ele se tornou arcebispo de Constantinopla. Suas pregações enfatizavam a moralidade, a caridade e a importância da Palavra de Deus. O Papa Bento XVI destacou a sua importância como um dos grandes oradores cristãos e doutores da Igreja, sobretudo pelos seus muitos escritos, tratados e homilias, que chegaram até nós. 1

A vida de São João Crisóstomo

Estátua de São João Crisóstomo

Nascimento e Educação de São João Crisóstomo

São João Crisóstomo nasceu por volta de 349, em Antioquia. Órfão de pai em tenra idade, foi criado por sua mãe, Antusa, que lhe transmitiu a fé. 1 Ele recebeu uma educação sólida, incluindo estudos superiores em filosofia e retórica com o famoso mestre Libânio.

Seu treinamento eclesiástico começou em 371, quando foi nomeado leitor por Melézio, o Bispo local. Além disso, Crisóstomo também frequentou o ascetério (uma espécie de mosteiro) de Antioquia, sob a orientação de Diodoro de Tarso, o que o introduziu na exegese bíblica antioquena. 1

Vida Monástica

Após seus estudos, São João Crisóstomo retirou-se para uma vida monástica. Desse modo, passou quatro anos com eremitas no Monte Silpio e mais dois anos em reclusão em uma gruta. 1 Nesse período, dedicou-se intensamente à meditação sobre as Escrituras e aprofundou sua compreensão espiritual.

A convivência profunda com a Palavra de Deus, nutrida ao longo desses anos, despertou em Crisóstomo um profundo desejo de proclamar o Evangelho e, assim, doar aos outros o que tinha recebido nos anos de meditação. 1

Ordenação Sacerdotal

Devido a uma doença, João Crisóstomo teve que retornar à comunidade cristã de Antioquia, onde foi ordenado diácono em 381 e presbítero em 386. Sua habilidade como pregador se destacou, e ele se tornou famoso sobretudo por suas homilias contra os arianos e por suas pregações sobre festas litúrgicas e mártires. 1

Arcebispo de Constantinopla

Em 397, João Crisóstomo foi nomeado Bispo de Constantinopla, a capital do Império Romano do Oriente. Desse modo, ele empreendeu reformas pastorais e caritativas, tornando-se conhecido como “esmoler” devido à sua preocupação com os pobres. 2

Além disso, promoveu a reforma da sua Igreja — com ênfase na austeridade do palácio episcopal, que devia servir de exemplo para todos — e incentivou a participação dos fiéis na vida litúrgica. 

Exílio e morte de São João Crisóstomo

Pintura sobre o exílio São João Crisóstomo

O exílio e a morte de São João Crisóstomo foram resultado de uma série de conflitos e adversidades. Suas críticas à imperatriz Eudóxia e seus seguidores, bem como seu envolvimento em questões políticas e suas relações com autoridades civis. Além disso, acusações de transgressão da jurisdição eclesiástica e a presença de monges egípcios excomungados em Constantinopla aumentaram as controvérsias.

Assim, ele foi destituído injustamente de sua posição e exilado por influência da imperatriz Eudóxia. No entanto, foi reconduzido pelo imperador Arcádio e, mais tarde, foi novamente exilado na Armênia. Por fim, no seu último exílio às margens do Mar Negro, morreu no dia 14 de setembro de 407, encerrando uma vida marcada por desafios e conflitos e, sobretudo, por uma grande dedicação à fé cristã e ao seu chamado pastoral.

“João moribundo, foi levado para a capela do mártir São Basilisco, onde rendeu a alma a Deus e foi sepultado, mártir ao lado do mártir.” 2

O legado de São João Crisóstomo

Pregação: o boca de ouro

São João Crisóstomo confrontando a imperatriz
Augustins – Saint Jean Chrysostome et l’Impératrice Eudoxie – Jean Paul Laurens 2004 1 156

São João Crisóstomo deixou um legado duradouro na arte da pregação, sendo reverenciado como o “Boca de Ouro”, devido à sua eloquência e ao impacto de suas mensagens. Ademais, suas habilidades retóricas e seu dom de comunicar as verdades da fé cristã de maneira acessível e convincente cativaram os fiéis de sua época e transcenderam gerações. Ele enfatizava a importância da coerência entre a fé e a vida, incentivando os fiéis a viver de acordo com os princípios cristãos.

Além disso, suas homilias tinham como base as Escrituras e frequentemente abordavam questões morais e sociais, refletindo uma profunda preocupação com a moral, os pobres e a justiça. Portanto, o exemplo de João Crisóstomo como pregador influenciou significativamente a tradição homilética da Igreja e continua a inspirar oradores e pregadores cristãos até hoje.

Liturgia

Além de seu impacto na pregação, São João Crisóstomo também deixou uma marca na liturgia cristã. Ele desempenhou um papel crucial na reforma e no enriquecimento da liturgia na cidade de Constantinopla, tornando-a mais esplêndida e atraente. Suas contribuições litúrgicas incluíram a elaboração de homilias para festas litúrgicas, que aprofundaram a compreensão da fé e da devoção dos fiéis.

Crisóstomo enfatizou ainda a importância da Eucaristia como o centro da vida litúrgica e espiritual da Igreja, influenciando a compreensão da centralidade da Santa Missa. Desse modo, ele incentivou a participação ativa dos fiéis na vida litúrgica da Igreja, destacando a comunhão eucarística como sinal eficaz de unidade. Na liturgia bizantina, a pregação de São João Crisóstomo desempenhou um papel significativo, comparável ao de Agostinho no Ocidente. Suas palavras foram amplamente lidas, copiadas e traduzidas, além de serem atuais para a Igreja até os dias de hoje.

São João Crisóstomo e a Bíblia

Os escritos, sobretudo sermões e comentários de São João Crisóstomo estão intimamente ligados às Sagradas Escrituras. “Crisóstomo coloca-se entre os Padres mais fecundos: dele chegaram até nós 17 tratados, mais de 700 homilias autênticas, os comentários a Mateus e a Paulo (Cartas aos Romanos, aos Coríntios, aos Efésios e aos Hebreus), e 241 cartas.” 2

Seus sermões exegéticos sobre esses textos bíblicos não apenas esclareceram as passagens, mas também destacaram a relevância e a aplicação das mensagens divinas à vida cotidiana dos fiéis. Por isso, Crisóstomo é conhecido por uma série de sermões notáveis em sua extensa obra, que abrangem uma variedade de temas, como os capítulos iniciais do Gênesis, os Evangelhos, a Quaresma, a Virgem Maria, os Santos, a Eucaristia, a Justiça e a Caridade etc.

Seus sermões inflamados duravam horas inteiras e combatiam os vícios e as friezas dos monges indolentes. Através de suas pregações, Crisóstomo também inspirou os fiéis a mergulhar profundamente nas Escrituras, bem como a entender e colocar em prática na vida de fé os ensinamentos de Cristo. Portanto, ele é lembrado não apenas como um grande orador, mas também como um exegeta habilidoso da Bíblia. 

Frases célebres de São João Crisóstomo

“Nada vale tanto como a oração. Ela torna possível aquilo que é impossível, fácil o que é difícil. É impossível que o homem que reza continue pecando.”

“Deus demora em atender-nos, não por repelir as nossas orações, mas para nos tornar mais fervorosos e nos atrair para Si”

“Não há diferença alguma em dar ao Senhor e dar ao pobre, pois Ele mesmo disse: ‘quem dá a estes pequenos é a mim que dá’.”

“Considerai como Jesus Cristo nos ensina a ser humildes, ao fazer-nos ver que nossa virtude não depende só do nosso trabalho, mas da graça de Deus.”

“Se nós cristãos vivêssemos como deveríamos, os filhos dos gentios nos olhariam com mais espanto do que quando olham para aqueles que operam milagres.”

“Nada se torna tão semelhante a Deus quanto o ser aberto ao perdão para com os maus e quantos nos fazem mal.”

“Quem estivesse no calvário veria dois altares, onde se consumavam dois grandes sacrifícios: um era o do corpo de Jesus, o outro, o do coração de Maria.”

“Para constituir a esmola não importa a medida do dom, mas a medida da intenção.”

“Não cairemos jamais em pecados maiores, se nos abstivermos dos pequenos.”

“Nada eleva mais a virtude do que o conversar continuamente com Deus.”

Referências

  1. Papa Bento XVI, Audiência geral, 19 de Setembro de 2007[][][][][][]
  2. Papa Bento XVI, Audiência geral, 26 de Setembro de 2007[][][]
Avatar

Redação MBC

São João Crisóstomo foi um dos Padres da Igreja do Oriente e ficou conhecido como “boca de ouro”. Este título foi atribuído a ele como um elogio à sua eloquência e à maneira pela qual conseguia cativar e inspirar as pessoas por meio de suas palavras.

A Igreja venera a sua memória no dia 13 de setembro. Neste artigo, vamos conhecer a história deste grande santo, o seu valioso legado literário e algumas de suas frases célebres que perduram até hoje.

Quem foi São João Crisóstomo?

São João Crisóstomo (347-407 d.C.) é um dos Padres da Igreja do século IV. Conhecido por suas habilidades retóricas, ele se tornou arcebispo de Constantinopla. Suas pregações enfatizavam a moralidade, a caridade e a importância da Palavra de Deus. O Papa Bento XVI destacou a sua importância como um dos grandes oradores cristãos e doutores da Igreja, sobretudo pelos seus muitos escritos, tratados e homilias, que chegaram até nós. 1

A vida de São João Crisóstomo

Estátua de São João Crisóstomo

Nascimento e Educação de São João Crisóstomo

São João Crisóstomo nasceu por volta de 349, em Antioquia. Órfão de pai em tenra idade, foi criado por sua mãe, Antusa, que lhe transmitiu a fé. 1 Ele recebeu uma educação sólida, incluindo estudos superiores em filosofia e retórica com o famoso mestre Libânio.

Seu treinamento eclesiástico começou em 371, quando foi nomeado leitor por Melézio, o Bispo local. Além disso, Crisóstomo também frequentou o ascetério (uma espécie de mosteiro) de Antioquia, sob a orientação de Diodoro de Tarso, o que o introduziu na exegese bíblica antioquena. 1

Vida Monástica

Após seus estudos, São João Crisóstomo retirou-se para uma vida monástica. Desse modo, passou quatro anos com eremitas no Monte Silpio e mais dois anos em reclusão em uma gruta. 1 Nesse período, dedicou-se intensamente à meditação sobre as Escrituras e aprofundou sua compreensão espiritual.

A convivência profunda com a Palavra de Deus, nutrida ao longo desses anos, despertou em Crisóstomo um profundo desejo de proclamar o Evangelho e, assim, doar aos outros o que tinha recebido nos anos de meditação. 1

Ordenação Sacerdotal

Devido a uma doença, João Crisóstomo teve que retornar à comunidade cristã de Antioquia, onde foi ordenado diácono em 381 e presbítero em 386. Sua habilidade como pregador se destacou, e ele se tornou famoso sobretudo por suas homilias contra os arianos e por suas pregações sobre festas litúrgicas e mártires. 1

Arcebispo de Constantinopla

Em 397, João Crisóstomo foi nomeado Bispo de Constantinopla, a capital do Império Romano do Oriente. Desse modo, ele empreendeu reformas pastorais e caritativas, tornando-se conhecido como “esmoler” devido à sua preocupação com os pobres. 2

Além disso, promoveu a reforma da sua Igreja — com ênfase na austeridade do palácio episcopal, que devia servir de exemplo para todos — e incentivou a participação dos fiéis na vida litúrgica. 

Exílio e morte de São João Crisóstomo

Pintura sobre o exílio São João Crisóstomo

O exílio e a morte de São João Crisóstomo foram resultado de uma série de conflitos e adversidades. Suas críticas à imperatriz Eudóxia e seus seguidores, bem como seu envolvimento em questões políticas e suas relações com autoridades civis. Além disso, acusações de transgressão da jurisdição eclesiástica e a presença de monges egípcios excomungados em Constantinopla aumentaram as controvérsias.

Assim, ele foi destituído injustamente de sua posição e exilado por influência da imperatriz Eudóxia. No entanto, foi reconduzido pelo imperador Arcádio e, mais tarde, foi novamente exilado na Armênia. Por fim, no seu último exílio às margens do Mar Negro, morreu no dia 14 de setembro de 407, encerrando uma vida marcada por desafios e conflitos e, sobretudo, por uma grande dedicação à fé cristã e ao seu chamado pastoral.

“João moribundo, foi levado para a capela do mártir São Basilisco, onde rendeu a alma a Deus e foi sepultado, mártir ao lado do mártir.” 2

O legado de São João Crisóstomo

Pregação: o boca de ouro

São João Crisóstomo confrontando a imperatriz
Augustins – Saint Jean Chrysostome et l’Impératrice Eudoxie – Jean Paul Laurens 2004 1 156

São João Crisóstomo deixou um legado duradouro na arte da pregação, sendo reverenciado como o “Boca de Ouro”, devido à sua eloquência e ao impacto de suas mensagens. Ademais, suas habilidades retóricas e seu dom de comunicar as verdades da fé cristã de maneira acessível e convincente cativaram os fiéis de sua época e transcenderam gerações. Ele enfatizava a importância da coerência entre a fé e a vida, incentivando os fiéis a viver de acordo com os princípios cristãos.

Além disso, suas homilias tinham como base as Escrituras e frequentemente abordavam questões morais e sociais, refletindo uma profunda preocupação com a moral, os pobres e a justiça. Portanto, o exemplo de João Crisóstomo como pregador influenciou significativamente a tradição homilética da Igreja e continua a inspirar oradores e pregadores cristãos até hoje.

Liturgia

Além de seu impacto na pregação, São João Crisóstomo também deixou uma marca na liturgia cristã. Ele desempenhou um papel crucial na reforma e no enriquecimento da liturgia na cidade de Constantinopla, tornando-a mais esplêndida e atraente. Suas contribuições litúrgicas incluíram a elaboração de homilias para festas litúrgicas, que aprofundaram a compreensão da fé e da devoção dos fiéis.

Crisóstomo enfatizou ainda a importância da Eucaristia como o centro da vida litúrgica e espiritual da Igreja, influenciando a compreensão da centralidade da Santa Missa. Desse modo, ele incentivou a participação ativa dos fiéis na vida litúrgica da Igreja, destacando a comunhão eucarística como sinal eficaz de unidade. Na liturgia bizantina, a pregação de São João Crisóstomo desempenhou um papel significativo, comparável ao de Agostinho no Ocidente. Suas palavras foram amplamente lidas, copiadas e traduzidas, além de serem atuais para a Igreja até os dias de hoje.

São João Crisóstomo e a Bíblia

Os escritos, sobretudo sermões e comentários de São João Crisóstomo estão intimamente ligados às Sagradas Escrituras. “Crisóstomo coloca-se entre os Padres mais fecundos: dele chegaram até nós 17 tratados, mais de 700 homilias autênticas, os comentários a Mateus e a Paulo (Cartas aos Romanos, aos Coríntios, aos Efésios e aos Hebreus), e 241 cartas.” 2

Seus sermões exegéticos sobre esses textos bíblicos não apenas esclareceram as passagens, mas também destacaram a relevância e a aplicação das mensagens divinas à vida cotidiana dos fiéis. Por isso, Crisóstomo é conhecido por uma série de sermões notáveis em sua extensa obra, que abrangem uma variedade de temas, como os capítulos iniciais do Gênesis, os Evangelhos, a Quaresma, a Virgem Maria, os Santos, a Eucaristia, a Justiça e a Caridade etc.

Seus sermões inflamados duravam horas inteiras e combatiam os vícios e as friezas dos monges indolentes. Através de suas pregações, Crisóstomo também inspirou os fiéis a mergulhar profundamente nas Escrituras, bem como a entender e colocar em prática na vida de fé os ensinamentos de Cristo. Portanto, ele é lembrado não apenas como um grande orador, mas também como um exegeta habilidoso da Bíblia. 

Frases célebres de São João Crisóstomo

“Nada vale tanto como a oração. Ela torna possível aquilo que é impossível, fácil o que é difícil. É impossível que o homem que reza continue pecando.”

“Deus demora em atender-nos, não por repelir as nossas orações, mas para nos tornar mais fervorosos e nos atrair para Si”

“Não há diferença alguma em dar ao Senhor e dar ao pobre, pois Ele mesmo disse: ‘quem dá a estes pequenos é a mim que dá’.”

“Considerai como Jesus Cristo nos ensina a ser humildes, ao fazer-nos ver que nossa virtude não depende só do nosso trabalho, mas da graça de Deus.”

“Se nós cristãos vivêssemos como deveríamos, os filhos dos gentios nos olhariam com mais espanto do que quando olham para aqueles que operam milagres.”

“Nada se torna tão semelhante a Deus quanto o ser aberto ao perdão para com os maus e quantos nos fazem mal.”

“Quem estivesse no calvário veria dois altares, onde se consumavam dois grandes sacrifícios: um era o do corpo de Jesus, o outro, o do coração de Maria.”

“Para constituir a esmola não importa a medida do dom, mas a medida da intenção.”

“Não cairemos jamais em pecados maiores, se nos abstivermos dos pequenos.”

“Nada eleva mais a virtude do que o conversar continuamente com Deus.”

Referências

  1. Papa Bento XVI, Audiência geral, 19 de Setembro de 2007[][][][][][]
  2. Papa Bento XVI, Audiência geral, 26 de Setembro de 2007[][][]
Avatar

Redação MBC

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.