Devido à tragédia climática no RS, os prazos de entrega poderão ser afetados.
Formação

Milagres Eucarísticos: o que são e por que acontecem?

Já ouviu falar nos Milagres Eucarísticos? Saiba o que a Igreja diz sobre eles e conheça os mais famosos que temos documentado.

Milagres Eucarísticos: o que são e por que acontecem?
Formação

Milagres Eucarísticos: o que são e por que acontecem?

Já ouviu falar nos Milagres Eucarísticos? Saiba o que a Igreja diz sobre eles e conheça os mais famosos que temos documentado.

Data da Publicação: 26/04/2024
Tempo de leitura:
Autor: MBC
Data da Publicação: 26/04/2024
Tempo de leitura:
Autor: MBC

Já ouviu falar nos Milagres Eucarísticos? Saiba o que a Igreja diz sobre eles e conheça os mais famosos que temos documentado.


A Fé Católica desde sempre professou e ensinou que uma hóstia consagrada por um sacerdote é verdadeiramente Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo. Este ensinamento perene do magistério da Igreja é o que coloca todos os fiéis em torno do Santo Sacrifício da Missa – ou seja, do ritual sacramental que atualiza o único sacrifício de Jesus Cristo na Cruz, que, querendo permanecer com os homens de todos os tempos, se deu a si mesmo como verdadeira comida e verdadeira bebida.

Este centro da vida cristã, que move os fiéis a estarem em torno de Cristo eucarístico, e dele comungarem, é explicado teologicamente por um termo conhecido como transubstanciação: o milagre da transformação do pão e do vinho em Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo.

O que configura um milagre Eucarístico?


Ao serem consagradas as espécies na Santa Missa, a substância delas (o pão e o vinho) é transformada em Corpo e Sangue de Cristo, porém ainda permanecendo com os seus acidentes, isto é, com as suas aparências de pão e vinho. Contudo, ao longo dos séculos houve diversos eventos na história da Igreja nos quais ocorreu também a transformação das aparências, a qual pôde ser vista por todos os fiéis, estando em alguns casos conservadas as espécies até hoje.

A esses casos extraordinários se deu o nome de milagres eucarísticos. Embora sejam raros, são muito bem documentados. Diversas exposições trazem uma descrição geral dos casos através da história. O Beato Carlo Acutis, inclusive, realizou durante a sua vida um belíssimo trabalho de mapeamento histórico e geográfico desses milagres, levantando o incrível número de 136 casos notórios, apresentados numa exposição virtual, que pode ser consultada pela internet.

Beato Carlo Acutis, que realizou o um mapeamento de milagres eucarísticos pelo mundo, apresentando-os em uma exposição virtual.
Beato Carlo Acutis

Veja também: A Santa Missa ao longo da história.


Milagre Eucarístico de Lanciano


O mais famoso e notório dos Milagres Eucarísticos é o de Lanciano, ocorrido em meados do século VIII, na cidade italiana de Lanciano. Enquanto celebrava a Missa na Igreja dos Santos Degonciano e Domiciano, um monge da Ordem de São Basílio, que andava descrente com a sua fé, notou que dentro do cálice da consagração o pão e vinho haviam se transformado em carne e sangue, fato que o fez cair em lágrimas, pedindo perdão a Deus.

O monge então anunciou o milagre aos fiéis, que exultaram em êxtase e adoraram Jesus presente na Eucaristia. Depois disso as relíquias foram postas em um tabernáculo de marfim até 1713, onde a carne passou a ser conservada numa custódia de prata, e o sangue em um cálice de cristal, onde se conservam até hoje.

Os 5 coágulos do sangue de Jesus Cristo, que comprovam o mais famoso dos milagres Eucarísticos: Lanciano
Milagre de Lanciano


Ainda no século passado, os Frades Menores Conventuais, que detêm a guarda das relíquias, pediram que cientistas analisassem o conteúdo delas. Os doutores Odoardo Linoli, chefe de serviço dos hospitais reunidos de Arezzo e livre docente de anatomia e histologia patológica, e Ruggero Bertelli, professor emérito de anatomia humana da Universidade de Siena, foram os responsáveis pela análise do material conservado.

Os laudos emitidos pelos dois foram publicados no dia 4 de março de 1971, doze séculos após a ocorrência do milagre. A conclusão foi a seguinte: “A carne é verdadeira carne, o sangue é verdadeiro sangue. A carne é do tecido muscular do coração (miocárdio, endocárdio e nervo vago). A carne e o sangue são do mesmo tipo sanguíneo (AB) e pertencem à espécie humana. No sangue foram encontrados, além das proteínas normais, os seguintes materiais: cloretos, fósforos, magnésio, potássio, sódio e cálcio. A conservação da carne e do sangue, deixados em estado natural por doze séculos e expostos à ação de agentes atmosféricos e biológicos, permanece um fenômeno extraordinário”.

Após as investigações, os cientistas enviaram um telegrama aos Frades nos seguintes termos: “O verbo se fez carne!”. Fazendo referência ao Evangelho de São João, e admitindo a presença verdadeira de Cristo na Sagrada Eucaristia.

Milagre Eucarístico de Santarém


Outro caso bastante conhecido e notório é o Milagre Eucarístico de Santarém, cidade portuguesa não muito distante da capital Lisboa. O milagre ocorreu no dia 16 de fevereiro de 1247, quando uma dona de casa portuguesa, chamada Euvira, decidiu consultar uma bruxa para resolver os problemas de infidelidade em seu casamento. 

A bruxa lhe disse que certamente poderia ajudá-la caso trouxesse uma hóstia consagrada como pagamento. A mulher, então, enganando o padre, tomou a hóstia em uma missa semanal e, sem que ninguém percebesse, envolveu-a em seu véu, que de imediato tomou-se inteiramente de um tom vermelho sangue. Desesperada, a mulher correu para a casa na Rua das Esteiras, perto da antiga Igreja de São Cristóvão, onde havia roubado a hóstia, e a colocou dentro de um pequeno baú que tinha em sua casa. 

Ao acordar pela madrugada, ela e o marido depararam com uma visão espetacular: anjos adorando a hóstia que sangrava, enquanto uma luz sobrenatural resplandecia por todo o cômodo. Imediatamente contaram ao padre tudo o que havia acontecido, e ele, presenciando o milagre pela manhã, notificou as autoridades da Igreja para que começassem as investigações do caso.

Milagre Eucarístico de Santarém
Milagre Eucarístico de Santarém

As investigações duraram séculos, sendo intensificadas em 1340, quando foi aberto o sacrário onde ficava a relíquia do milagre, envolta em uma custódia feita de cera, para exposição aos fiéis. Mas ao fazerem isso, todos os presentes depararam com a custódia de cera completamente destruída, e a Sagrada Partícula envolta milagrosamente numa âmbula de cristal, configurando-se um segundo milagre.

Depois disso, as investigações duraram até 1612, quando finalmente todos os laudos provaram a autenticidade do milagre, que pode ser visto até hoje na antiga Igreja de São Cristóvão, a qual em abril de 1997 foi elevada a Santuário Eucarístico do Santíssimo Sangue, pelo Bispo de Santarém. A antiga casa da mulher também foi transformada em uma capela, conhecida como Ermida do Milagre, recebendo todos os anos a visita de milhares de fiéis.

Milagres Eucarísticos: Orvieto ou Bolsena


Também vale a pena citar o caso do Milagre Eucarístico de Orvieto/Bolsena, ocorrido na Itália no ano de 1263, e que marcou o início da celebração da Festa de Corpus Christi.

O milagre ocorreu enquanto um padre chamado Pedro de Praga, da Boêmia, celebrava uma missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena. Após a consagração da Sagrada Partícula, o padre e todos os presentes foram tomados pela surpresa de verem gotas de sangue caindo sobre o corporal.

O Papa Urbano IV, que vivia em Orvieto, cidade muito próxima de Bolsena, pediu que fossem levadas as relíquias até a sua cidade, o que foi feito por uma multidão em procissão. Na entrada da cidade, o Papa foi ao encontro da procissão e, após ver com seus próprios olhos o milagre, proclamou: “Corpus Christi!”.

Em 8 de agosto de 1264, cerca de um ano após o ocorrido, o Papa Urbano IV promulgou, através da bula Transiturus de hoc mundo, que todos os anos, na quinta-feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente celebrada a festa do Corpo do Senhor, intitulada Corpus Christi. E com isso foi oficialmente introduzida a festa no calendário litúrgico da Igreja. O seu ofício de celebração foi composto pelo doutor angélico, Santo Tomás de Aquino, a pedido do próprio Papa Urbano IV: o belíssimo Lauda Sion Salvatorem, até hoje cantado pelos fiéis ao redor do mundo.

Milagre Eucarístico de Orvieto


Milagres Eucarísticos de Ferrara e de Offida.


Seguindo ainda com esses casos notórios na Itália, é mister que se conheça o Milagre Eucarístico de Ferrara e o Milagre Eucarístico de Offida. O primeiro, ocorrido em 28 de março de 1171, na Basílica de Santa Maria in Vado. A este milagre se atribui uma importância especial, por conta de todo o contexto no qual a Cristandade se encontrava naquela época, em luta contra a heresia de Berengário de Tours, que negava a presença real de Cristo na Eucaristia.

Aconteceu que, na Páscoa daquele ano, um padre chamado Pedro de Verona celebrava a Missa e, no momento de partir a hóstia, após a consagração, ela se tornou carne e despejou um fluxo de sangue na parte superior do altar, que pode ser vista até os dias de hoje. Diversos documentos foram encontrados narrando o fato, dentre eles uma descrição por parte do Cardeal Migliatori (1404), e também uma bula de Eugênio IV (1442), todas originais e encontradas em Roma no último século.

Milagre Eucarístico de Ferrara


Já o segundo dos milagres eucarísticos, o Milagre Eucarístico de Offida, ou também chamado de Segundo Milagre de Lanciano, ocorreu em 1273, mais um vez em Lanciano. Uma mulher, chamada Ricciarela, roubou uma hóstia a mando de uma feiticeira, que lhe disse para pô-la no fogo e espalhar as cinzas na refeição do marido, com a intenção de que a relação entre o casal melhorasse. Entretanto, quando posta no fogo, a hóstia começou a transbordar sangue, e suas bordas se transformaram em carne.

Em desespero, a mulher acabou enterrando a hóstia envolta numa malha no estábulo, para que o marido não a descobrisse. O que ela não esperava é que uma série de eventos estranhos começasse a acontecer, como o caso dos animais que, passando por lá, ao entrarem no estábulo, reverenciavam e se prostravam em direção do local onde a hóstia havia sido enterrada.

Offida é um dos milagres eucarísticos mais impressionantes.
Milagre Eucarístico de Offida

Passados sete anos, a mulher, sentindo-se muito culpada, confessou o seu pecado ao Padre Diotallevi, pertencente à Ordem de Santo Agostinho, cuja sede ficava em Offida. O padre, escandalizado com o ocorrido, foi com a mulher até a sua casa e desenterrou a hóstia. Para a surpresa deles, encontrava-se completamente incorrupta. O padre então transferiu as relíquias com todo o cuidado para a Igreja de Santo Agostinho em Offida. A igreja passou então a ser considerada Santuário do Milagre Eucarístico.

A hóstia se conserva lá até os dias atuais, onde é exposta todos os anos para veneração dos fiéis. Além disso, a telha usada para apoiar a hóstia que seria queimada, e a toalha onde a mulher envolveu a hóstia ao enterrá-la, ambas com resquícios de sangue, estão expostas publicamente numa capela anexa ao Santuário.

Veja também: Eucaristia — o pulsar do coração de Cristo.

Livro sobre Milagres Eucarísticos

livro milagres eucarísticos

O livro “Milagres Eucarísticos” é uma das poucas obras que reúne, com detalhes, os acontecimentos sobrenaturais com o Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento do altar. Além de esmiuçar cada um dos milagres relatados, o autor apresenta os fenômenos sobrenaturais que alguns santos tiveram com a Sagrada Comunhão. De fato, esta é uma obra que nos ajuda, através dos sentidos, a crer e amar ainda mais a Divina Eucaristia.

Esta é uma edição exclusiva dos assinantes da Minha Biblioteca Católica. Saiba mais sobre o clube.

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Avatar

    MBC

    O que você vai encontrar neste artigo?

    Já ouviu falar nos Milagres Eucarísticos? Saiba o que a Igreja diz sobre eles e conheça os mais famosos que temos documentado.


    A Fé Católica desde sempre professou e ensinou que uma hóstia consagrada por um sacerdote é verdadeiramente Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo. Este ensinamento perene do magistério da Igreja é o que coloca todos os fiéis em torno do Santo Sacrifício da Missa – ou seja, do ritual sacramental que atualiza o único sacrifício de Jesus Cristo na Cruz, que, querendo permanecer com os homens de todos os tempos, se deu a si mesmo como verdadeira comida e verdadeira bebida.

    Este centro da vida cristã, que move os fiéis a estarem em torno de Cristo eucarístico, e dele comungarem, é explicado teologicamente por um termo conhecido como transubstanciação: o milagre da transformação do pão e do vinho em Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo.

    O que configura um milagre Eucarístico?


    Ao serem consagradas as espécies na Santa Missa, a substância delas (o pão e o vinho) é transformada em Corpo e Sangue de Cristo, porém ainda permanecendo com os seus acidentes, isto é, com as suas aparências de pão e vinho. Contudo, ao longo dos séculos houve diversos eventos na história da Igreja nos quais ocorreu também a transformação das aparências, a qual pôde ser vista por todos os fiéis, estando em alguns casos conservadas as espécies até hoje.

    A esses casos extraordinários se deu o nome de milagres eucarísticos. Embora sejam raros, são muito bem documentados. Diversas exposições trazem uma descrição geral dos casos através da história. O Beato Carlo Acutis, inclusive, realizou durante a sua vida um belíssimo trabalho de mapeamento histórico e geográfico desses milagres, levantando o incrível número de 136 casos notórios, apresentados numa exposição virtual, que pode ser consultada pela internet.

    Beato Carlo Acutis, que realizou o um mapeamento de milagres eucarísticos pelo mundo, apresentando-os em uma exposição virtual.
    Beato Carlo Acutis

    Veja também: A Santa Missa ao longo da história.


    Milagre Eucarístico de Lanciano


    O mais famoso e notório dos Milagres Eucarísticos é o de Lanciano, ocorrido em meados do século VIII, na cidade italiana de Lanciano. Enquanto celebrava a Missa na Igreja dos Santos Degonciano e Domiciano, um monge da Ordem de São Basílio, que andava descrente com a sua fé, notou que dentro do cálice da consagração o pão e vinho haviam se transformado em carne e sangue, fato que o fez cair em lágrimas, pedindo perdão a Deus.

    O monge então anunciou o milagre aos fiéis, que exultaram em êxtase e adoraram Jesus presente na Eucaristia. Depois disso as relíquias foram postas em um tabernáculo de marfim até 1713, onde a carne passou a ser conservada numa custódia de prata, e o sangue em um cálice de cristal, onde se conservam até hoje.

    Os 5 coágulos do sangue de Jesus Cristo, que comprovam o mais famoso dos milagres Eucarísticos: Lanciano
    Milagre de Lanciano


    Ainda no século passado, os Frades Menores Conventuais, que detêm a guarda das relíquias, pediram que cientistas analisassem o conteúdo delas. Os doutores Odoardo Linoli, chefe de serviço dos hospitais reunidos de Arezzo e livre docente de anatomia e histologia patológica, e Ruggero Bertelli, professor emérito de anatomia humana da Universidade de Siena, foram os responsáveis pela análise do material conservado.

    Os laudos emitidos pelos dois foram publicados no dia 4 de março de 1971, doze séculos após a ocorrência do milagre. A conclusão foi a seguinte: “A carne é verdadeira carne, o sangue é verdadeiro sangue. A carne é do tecido muscular do coração (miocárdio, endocárdio e nervo vago). A carne e o sangue são do mesmo tipo sanguíneo (AB) e pertencem à espécie humana. No sangue foram encontrados, além das proteínas normais, os seguintes materiais: cloretos, fósforos, magnésio, potássio, sódio e cálcio. A conservação da carne e do sangue, deixados em estado natural por doze séculos e expostos à ação de agentes atmosféricos e biológicos, permanece um fenômeno extraordinário”.

    Após as investigações, os cientistas enviaram um telegrama aos Frades nos seguintes termos: “O verbo se fez carne!”. Fazendo referência ao Evangelho de São João, e admitindo a presença verdadeira de Cristo na Sagrada Eucaristia.

    Milagre Eucarístico de Santarém


    Outro caso bastante conhecido e notório é o Milagre Eucarístico de Santarém, cidade portuguesa não muito distante da capital Lisboa. O milagre ocorreu no dia 16 de fevereiro de 1247, quando uma dona de casa portuguesa, chamada Euvira, decidiu consultar uma bruxa para resolver os problemas de infidelidade em seu casamento. 

    A bruxa lhe disse que certamente poderia ajudá-la caso trouxesse uma hóstia consagrada como pagamento. A mulher, então, enganando o padre, tomou a hóstia em uma missa semanal e, sem que ninguém percebesse, envolveu-a em seu véu, que de imediato tomou-se inteiramente de um tom vermelho sangue. Desesperada, a mulher correu para a casa na Rua das Esteiras, perto da antiga Igreja de São Cristóvão, onde havia roubado a hóstia, e a colocou dentro de um pequeno baú que tinha em sua casa. 

    Ao acordar pela madrugada, ela e o marido depararam com uma visão espetacular: anjos adorando a hóstia que sangrava, enquanto uma luz sobrenatural resplandecia por todo o cômodo. Imediatamente contaram ao padre tudo o que havia acontecido, e ele, presenciando o milagre pela manhã, notificou as autoridades da Igreja para que começassem as investigações do caso.

    Milagre Eucarístico de Santarém
    Milagre Eucarístico de Santarém

    As investigações duraram séculos, sendo intensificadas em 1340, quando foi aberto o sacrário onde ficava a relíquia do milagre, envolta em uma custódia feita de cera, para exposição aos fiéis. Mas ao fazerem isso, todos os presentes depararam com a custódia de cera completamente destruída, e a Sagrada Partícula envolta milagrosamente numa âmbula de cristal, configurando-se um segundo milagre.

    Depois disso, as investigações duraram até 1612, quando finalmente todos os laudos provaram a autenticidade do milagre, que pode ser visto até hoje na antiga Igreja de São Cristóvão, a qual em abril de 1997 foi elevada a Santuário Eucarístico do Santíssimo Sangue, pelo Bispo de Santarém. A antiga casa da mulher também foi transformada em uma capela, conhecida como Ermida do Milagre, recebendo todos os anos a visita de milhares de fiéis.

    Milagres Eucarísticos: Orvieto ou Bolsena


    Também vale a pena citar o caso do Milagre Eucarístico de Orvieto/Bolsena, ocorrido na Itália no ano de 1263, e que marcou o início da celebração da Festa de Corpus Christi.

    O milagre ocorreu enquanto um padre chamado Pedro de Praga, da Boêmia, celebrava uma missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena. Após a consagração da Sagrada Partícula, o padre e todos os presentes foram tomados pela surpresa de verem gotas de sangue caindo sobre o corporal.

    O Papa Urbano IV, que vivia em Orvieto, cidade muito próxima de Bolsena, pediu que fossem levadas as relíquias até a sua cidade, o que foi feito por uma multidão em procissão. Na entrada da cidade, o Papa foi ao encontro da procissão e, após ver com seus próprios olhos o milagre, proclamou: “Corpus Christi!”.

    Em 8 de agosto de 1264, cerca de um ano após o ocorrido, o Papa Urbano IV promulgou, através da bula Transiturus de hoc mundo, que todos os anos, na quinta-feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente celebrada a festa do Corpo do Senhor, intitulada Corpus Christi. E com isso foi oficialmente introduzida a festa no calendário litúrgico da Igreja. O seu ofício de celebração foi composto pelo doutor angélico, Santo Tomás de Aquino, a pedido do próprio Papa Urbano IV: o belíssimo Lauda Sion Salvatorem, até hoje cantado pelos fiéis ao redor do mundo.

    Milagre Eucarístico de Orvieto


    Milagres Eucarísticos de Ferrara e de Offida.


    Seguindo ainda com esses casos notórios na Itália, é mister que se conheça o Milagre Eucarístico de Ferrara e o Milagre Eucarístico de Offida. O primeiro, ocorrido em 28 de março de 1171, na Basílica de Santa Maria in Vado. A este milagre se atribui uma importância especial, por conta de todo o contexto no qual a Cristandade se encontrava naquela época, em luta contra a heresia de Berengário de Tours, que negava a presença real de Cristo na Eucaristia.

    Aconteceu que, na Páscoa daquele ano, um padre chamado Pedro de Verona celebrava a Missa e, no momento de partir a hóstia, após a consagração, ela se tornou carne e despejou um fluxo de sangue na parte superior do altar, que pode ser vista até os dias de hoje. Diversos documentos foram encontrados narrando o fato, dentre eles uma descrição por parte do Cardeal Migliatori (1404), e também uma bula de Eugênio IV (1442), todas originais e encontradas em Roma no último século.

    Milagre Eucarístico de Ferrara


    Já o segundo dos milagres eucarísticos, o Milagre Eucarístico de Offida, ou também chamado de Segundo Milagre de Lanciano, ocorreu em 1273, mais um vez em Lanciano. Uma mulher, chamada Ricciarela, roubou uma hóstia a mando de uma feiticeira, que lhe disse para pô-la no fogo e espalhar as cinzas na refeição do marido, com a intenção de que a relação entre o casal melhorasse. Entretanto, quando posta no fogo, a hóstia começou a transbordar sangue, e suas bordas se transformaram em carne.

    Em desespero, a mulher acabou enterrando a hóstia envolta numa malha no estábulo, para que o marido não a descobrisse. O que ela não esperava é que uma série de eventos estranhos começasse a acontecer, como o caso dos animais que, passando por lá, ao entrarem no estábulo, reverenciavam e se prostravam em direção do local onde a hóstia havia sido enterrada.

    Offida é um dos milagres eucarísticos mais impressionantes.
    Milagre Eucarístico de Offida

    Passados sete anos, a mulher, sentindo-se muito culpada, confessou o seu pecado ao Padre Diotallevi, pertencente à Ordem de Santo Agostinho, cuja sede ficava em Offida. O padre, escandalizado com o ocorrido, foi com a mulher até a sua casa e desenterrou a hóstia. Para a surpresa deles, encontrava-se completamente incorrupta. O padre então transferiu as relíquias com todo o cuidado para a Igreja de Santo Agostinho em Offida. A igreja passou então a ser considerada Santuário do Milagre Eucarístico.

    A hóstia se conserva lá até os dias atuais, onde é exposta todos os anos para veneração dos fiéis. Além disso, a telha usada para apoiar a hóstia que seria queimada, e a toalha onde a mulher envolveu a hóstia ao enterrá-la, ambas com resquícios de sangue, estão expostas publicamente numa capela anexa ao Santuário.

    Veja também: Eucaristia — o pulsar do coração de Cristo.

    Livro sobre Milagres Eucarísticos

    livro milagres eucarísticos

    O livro “Milagres Eucarísticos” é uma das poucas obras que reúne, com detalhes, os acontecimentos sobrenaturais com o Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento do altar. Além de esmiuçar cada um dos milagres relatados, o autor apresenta os fenômenos sobrenaturais que alguns santos tiveram com a Sagrada Comunhão. De fato, esta é uma obra que nos ajuda, através dos sentidos, a crer e amar ainda mais a Divina Eucaristia.

    Esta é uma edição exclusiva dos assinantes da Minha Biblioteca Católica. Saiba mais sobre o clube.

    Avatar

    MBC

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.