Destaque, Formação

Os dons do Espírito Santo

Tudo o que um católico precisa saber sobre os dons do Espírito Santo: o que são, quantos são, quais são e qual é a sua importância.

Os dons do Espírito Santo
Destaque, Formação

Os dons do Espírito Santo

Tudo o que um católico precisa saber sobre os dons do Espírito Santo: o que são, quantos são, quais são e qual é a sua importância.

Data da Publicação: 12/03/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação da Minha Biblioteca Católica
Data da Publicação: 12/03/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação da Minha Biblioteca Católica

Confira, neste artigo, o que são os dons do Espírito Santo e porque eles são necessários para nossa salvação.

Bem sabemos que no mistério da Santíssima Trindade, mistério central de nossa fé, cada Pessoa possui uma missão específica na ordem da redenção. Saiba como se dá a ação do Espírito Santo em nossa alma e como agem, em nós, os dons e a sua diferença para com as virtudes e os carismas.

Quem é o Espírito Santo?

Em linhas gerais, o Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Com Deus Pai e com Deus Filho, o Deus Espírito Santo é adorado como um único Deus. É o mistério da Santíssima Trindade: um só Deus em três Pessoas distintas entre si. Esse mistério está no centro de nossa fé. Dele provém toda nossa doutrina revelada.

Cada pessoa da Santíssima Trindade possui uma missão. A missão do Espírito Santo é a de santificar a Igreja. Nos diz o Catecismo que:

 O protagonista de toda a missão eclesial é o Espírito Santo. É Ele que conduz a Igreja pelos caminhos da missão 1

Quando Cristo, na sua morte e ressurreição, conclui a obra da redenção e sobe aos céus, deixa Ele, de modo mais evidente, o Espírito Santo, como presença divina para conduzir os homens e a Igreja fundada. O modo com o qual a Boa Nova é difundida por Deus se dá pela assistência dos carismas e dons do Espírito Santo.

Para aprofundar um pouco mais sobre quem é a Trindade e quem é o Espírito Santo, separamos dois artigos: O que é o Espírito Santo? e Santíssima Trindade: um mistério para se celebrar.

A ação do Espírito Santo na alma

Santa Teresa de Ávila inspirada em seus escritos pelos dons do Espírito Santo.
Santa Teresa de Ávila inspirada em seus escritos pelo Espírito Santo.

O Espírito Santo é, com efeito, o doce hóspede de nossas almas – dulcis hospes animae – 2. Mas a presença Dele em nós não se dá de forma passiva e inoperante. O Espírito Santo em nós age de forma viva! Através da graça santificante, das virtudes infusas e dos dons do Espírito Santo nos tornamos capazes de produzir frutos sobrenaturais e de viver, com maestria, as bem-aventuranças.

Sem o auxílio divino jamais conseguiríamos, por nossas forças, viver atos sobrenaturais em nosso cotidiano. Por meio da ação do Espírito Santo é nos proporcionado vivermos à estatura de Filhos de Deus.

Qual é a diferença entre dons do Espírito Santo e virtudes infusas?

Quando falamos de dons do Espírito Santo é interessante percebermos que Ele mesmo é o primeiro dom de Deus Pai à humanidade. O Espírito Santo é, segundo o Hino Veni Creator, da liturgia de Pentecostes, Altissimi donum Dei, sendo o Amor com que Deus nos ama e se ama. 

Mas, num sentido estrito, chamamos de dons do Espírito Santo “certos hábitos sobrenaturais infundidos por Deus nas almas juntamente com a graça santificante e as virtudes infusas, para sua plena santificação.” 3 Em si, esses dons são derramados nas potências da alma para que esta receba auxílio e realize, com facilidade, as moções que o próprio Espírito Santo inspira.

O que são, então, as virtudes infusas? Elas também são hábitos operativos infundidos por Deus na alma para que esta opere de modo sobrenatural. Mas a particularidade é que estas operam mais diretamente na razão iluminada pela fé. Royo Marin faz uma distinção clara:

“Às virtudes infusas as move [o Espírito Santo] com o impulso de uma graça atual ao modo humano (embora de ordem estritamente sobrenatural…), enquanto que a seus próprios dons os move o Espírito Santo com uma graça atual ao modo divino ou sobre-humano. O resultado é, naturalmente, que os atos procedentes dos dons do Espírito Santo são incomparavelmente mais perfeitos do que os procedentes das virtudes infusas.” 4

árvore com os dons do espírito santo
Desenho da árvore (tronco de Jessé) dos dons do Espírito Santo.

Os dons do Espírito Santo estão na Bíblia?

A Sagrada Escritura atesta, já no Antigo Testamento, a existência dos dons do Espírito Santo, na qual a teologia se fundamenta. O texto de Isaías 11, 1-3, é clássico para destacar os dons:

“Um renovo sairá do trono de Jessé, e um rebento brotará de suas raízes. Sobre ele repousará o Espírito do Senhor, Espírito de sabedoria e de entendimento, Espírito de prudência e de coragem, Espírito de ciência e de temor ao Senhor.” 5

É um texto claramente messiânico, e fala do Messias, segundo a exegese. Mas, desde o início do cristianismo, lá nos padres da Igreja, já se lia esse trecho o estendendo aos fieis cristãos que são chamados a ser “conformes à imagem de seu Filho” 6

Quantos são os dons?

Ainda que o texto acima citado tenha somente seis dons, a teologia, ancorada na versão da Bíblia dos Setenta, que traduz o termo hebraico yira’t (temor) também por piedade, enumera como sendo sete os dons do Espírito Santo.

Ora, bem sabemos que segundo a própria tradição bíblica, o número sete é empregado para significar plenitude. “Santo Ambrósio e Santo Agostinho insistem que o número sete tem aqui um valor de plenitude; ou seja, todo o acúmulo de dons desejáveis habitavam no Messias.”7

Quais são os dons do Espírito Santo?

E quais são os sete dons do Espírito Santo? Vamos resumir brevemente cada um deles: 8

Temor de Deus: é um hábito sobrenatural pelo qual o justo, sob o instinto do Espírito Santo e dominado por um sentimento reverencial para com a majestade de Deus, adquire docilidade especial para apartar-se do pecado e submeter-se totalmente à divina vontade.

Fortaleza: é um hábito sobrenatural que robustece a alma para praticar, por instinto do Espírito Santo, toda classe de virtudes heroicas com invencível confiança em superar os maiores perigos ou dificuldades que possam surgir.

Piedade: hábito sobrenatural infundido para excitar em nossa vontade, por instinto do Espírito Santo, um afeto filial para com Deus, considerado como Pai, e um sentimento enquanto irmãos nossos e filhos do mesmo Pai, que está nos céus.

Conselho: hábito sobrenatural pelo qual a alma em graça, sob a ação do Espírito Santo, intui retamente, nos casos particulares, o que convém fazer para alcançar o fim último sobrenatural.

Ciência: hábito sobrenatural infundido por Deus com a grala santificante, pelo qual a inteligência do homem, sob o influxo do Espírito Sant, julga retamente as coisas criadas em função do fim último sobrenatural.

Entendimento: é um hábito sobrenatural pelo qual a inteligência do homem, sob a ação do Espírito Santo, se faz apta para uma penetrante intuição das coisas reveladas e também das naturais, em função do fim último sobrenatural.

Sabedoria: é um hábito sobrenatural, inseparado da caridade, pelo qual julgamos retamente de Deus e das coisas divinas por suas últimas e altíssimas causas sob o instinto especial do Espírito Santo, que nos faz saboreá-las por certa conaturalidade e simpatia.

A diferença entre dons infusos e carismas

Ícone de Pentecostes

De um modo mais concreto na alma do fiel em vista de sua salvação, os carismas são influxos do Espírito Santo, dados do alto, de modo extraordinário, em vista da edificação da comunidade. Os carismas, como São Paulo atesta na Primeira carta aos Coríntios 9 são derramados no fiel e orientados para a edificação da Igreja. 

“Quer extraordinários quer simples e humildes, os carismas são graças do Espírito Snto que, direta ou indiretamente, têm uma utilidade eclesial, pois são ordenados à edificação da Igreja, ao bem dos homens e às necessidades do mundo.” 10 

A palavra carisma significa, do vocábulo grego, favor, dom gratuito, benefício. 11. São Paulo cita quais são os carismas dados por Deus em suas cartas, especialmente em Romanos e em Coríntios. Sem pretender dar um número fechado, Paulo cita, em Coríntios 12, os seguintes carismas: palavra de sabedoria, de ciência, a fé, o dom de curas, dom de milagres, profecia, discernimento dos espíritos, dom de línguas, dom de interpretação de línguas. E, na carta aos Romanos cita: serviço, ensino, exortação, distribuição de bens, presidência e dom da misericórdia. 13

São, em suma, benefícios extraordinários que Deus concede a alguém ou a um grupo de fieis, em vista da edificação da Igreja. 

Por que precisamos dos dons do Espírito Santo?

A resposta a essa pergunta reside em algo bem simples: a salvação é dom de Deus. E Deus é o primeiro interessado em nos salvar. Como nossa humanidade é ferida pelo pecado original, damos por óbvio que nem sempre fazemos o bem que queremos fazer (e que devemos), ou evitamos o mal que não podemos fazer (e que não devemos). 14. É São Paulo que nos ilumina que devemos pedir as luzes do Espírito Santo, pois não sabemos o que nem como pedir o necessário para nossa salvação. 15

Os dons do Espírito Santo são um transbordar do Espírito Santo em si, primeiro dom do Pai à humanidade, que nos impulsionam na busca da perfeição da santidade. Nós bem sabemos que a salvação, dom imerecido do Pai a nós, é gratuita. Mas cabe a nós, obviamente, a fidelidade aos dons que Deus derrama em nossos corações constantemente. 

Um autor afirma que somente três meses de fidelidade perfeita à todas as inspirações do Espírito Santo colocam a alma em um estado que lhe conduzirá com toda a segurança ao cume da perfeição. “Que alguém faça a prova, durante três meses, de não recusar absolutamente nada a Deus, e verá que profunda mudança experimentará em sua vida” 16

Não deixe de rezar a Novena de Pentecostes!

Referências

  1. CEC 852[]
  2. Sequência de Pentecostes[]
  3. ROYO MARIN, Antonio. O GRANDE DESCONHECIDO, p.119[]
  4. ROYO MARIN, Antonio. O GRANDE DESCONHECIDO, p.118[]
  5. Isaías 11, 1-3[]
  6. Romanos 8, 29[]
  7. ROYO MARIN, Antonio. O GRANDE DESCONHECIDO, p.121[]
  8. Royo Marin elenca os dons a partir do menos excelente ao mais excelente, ainda que todos são perfeitíssimos[]
  9. 1 Coríntios 12[]
  10. CEC 799[]
  11. cf. LG 12[]
  12. 1Cor 12,8-11[]
  13. Romanos 12, 3ss[]
  14. Romanos 7, 19[]
  15. Romanos 8, 26[]
  16. Cf. MAHIEU, Probatio Caritatis p. 271.[]

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Redação da Minha Biblioteca Católica

    Equipe de redação da MBC, o maior clube de leitores católicos do Brasil.

    O que você vai encontrar neste artigo?

    Confira, neste artigo, o que são os dons do Espírito Santo e porque eles são necessários para nossa salvação.

    Bem sabemos que no mistério da Santíssima Trindade, mistério central de nossa fé, cada Pessoa possui uma missão específica na ordem da redenção. Saiba como se dá a ação do Espírito Santo em nossa alma e como agem, em nós, os dons e a sua diferença para com as virtudes e os carismas.

    Quem é o Espírito Santo?

    Em linhas gerais, o Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Com Deus Pai e com Deus Filho, o Deus Espírito Santo é adorado como um único Deus. É o mistério da Santíssima Trindade: um só Deus em três Pessoas distintas entre si. Esse mistério está no centro de nossa fé. Dele provém toda nossa doutrina revelada.

    Cada pessoa da Santíssima Trindade possui uma missão. A missão do Espírito Santo é a de santificar a Igreja. Nos diz o Catecismo que:

     O protagonista de toda a missão eclesial é o Espírito Santo. É Ele que conduz a Igreja pelos caminhos da missão 1

    Quando Cristo, na sua morte e ressurreição, conclui a obra da redenção e sobe aos céus, deixa Ele, de modo mais evidente, o Espírito Santo, como presença divina para conduzir os homens e a Igreja fundada. O modo com o qual a Boa Nova é difundida por Deus se dá pela assistência dos carismas e dons do Espírito Santo.

    Para aprofundar um pouco mais sobre quem é a Trindade e quem é o Espírito Santo, separamos dois artigos: O que é o Espírito Santo? e Santíssima Trindade: um mistério para se celebrar.

    A ação do Espírito Santo na alma

    Santa Teresa de Ávila inspirada em seus escritos pelos dons do Espírito Santo.
    Santa Teresa de Ávila inspirada em seus escritos pelo Espírito Santo.

    O Espírito Santo é, com efeito, o doce hóspede de nossas almas – dulcis hospes animae – 2. Mas a presença Dele em nós não se dá de forma passiva e inoperante. O Espírito Santo em nós age de forma viva! Através da graça santificante, das virtudes infusas e dos dons do Espírito Santo nos tornamos capazes de produzir frutos sobrenaturais e de viver, com maestria, as bem-aventuranças.

    Sem o auxílio divino jamais conseguiríamos, por nossas forças, viver atos sobrenaturais em nosso cotidiano. Por meio da ação do Espírito Santo é nos proporcionado vivermos à estatura de Filhos de Deus.

    Qual é a diferença entre dons do Espírito Santo e virtudes infusas?

    Quando falamos de dons do Espírito Santo é interessante percebermos que Ele mesmo é o primeiro dom de Deus Pai à humanidade. O Espírito Santo é, segundo o Hino Veni Creator, da liturgia de Pentecostes, Altissimi donum Dei, sendo o Amor com que Deus nos ama e se ama. 

    Mas, num sentido estrito, chamamos de dons do Espírito Santo “certos hábitos sobrenaturais infundidos por Deus nas almas juntamente com a graça santificante e as virtudes infusas, para sua plena santificação.” 3 Em si, esses dons são derramados nas potências da alma para que esta receba auxílio e realize, com facilidade, as moções que o próprio Espírito Santo inspira.

    O que são, então, as virtudes infusas? Elas também são hábitos operativos infundidos por Deus na alma para que esta opere de modo sobrenatural. Mas a particularidade é que estas operam mais diretamente na razão iluminada pela fé. Royo Marin faz uma distinção clara:

    “Às virtudes infusas as move [o Espírito Santo] com o impulso de uma graça atual ao modo humano (embora de ordem estritamente sobrenatural…), enquanto que a seus próprios dons os move o Espírito Santo com uma graça atual ao modo divino ou sobre-humano. O resultado é, naturalmente, que os atos procedentes dos dons do Espírito Santo são incomparavelmente mais perfeitos do que os procedentes das virtudes infusas.” 4

    árvore com os dons do espírito santo
    Desenho da árvore (tronco de Jessé) dos dons do Espírito Santo.

    Os dons do Espírito Santo estão na Bíblia?

    A Sagrada Escritura atesta, já no Antigo Testamento, a existência dos dons do Espírito Santo, na qual a teologia se fundamenta. O texto de Isaías 11, 1-3, é clássico para destacar os dons:

    “Um renovo sairá do trono de Jessé, e um rebento brotará de suas raízes. Sobre ele repousará o Espírito do Senhor, Espírito de sabedoria e de entendimento, Espírito de prudência e de coragem, Espírito de ciência e de temor ao Senhor.” 5

    É um texto claramente messiânico, e fala do Messias, segundo a exegese. Mas, desde o início do cristianismo, lá nos padres da Igreja, já se lia esse trecho o estendendo aos fieis cristãos que são chamados a ser “conformes à imagem de seu Filho” 6

    Quantos são os dons?

    Ainda que o texto acima citado tenha somente seis dons, a teologia, ancorada na versão da Bíblia dos Setenta, que traduz o termo hebraico yira’t (temor) também por piedade, enumera como sendo sete os dons do Espírito Santo.

    Ora, bem sabemos que segundo a própria tradição bíblica, o número sete é empregado para significar plenitude. “Santo Ambrósio e Santo Agostinho insistem que o número sete tem aqui um valor de plenitude; ou seja, todo o acúmulo de dons desejáveis habitavam no Messias.”7

    Quais são os dons do Espírito Santo?

    E quais são os sete dons do Espírito Santo? Vamos resumir brevemente cada um deles: 8

    Temor de Deus: é um hábito sobrenatural pelo qual o justo, sob o instinto do Espírito Santo e dominado por um sentimento reverencial para com a majestade de Deus, adquire docilidade especial para apartar-se do pecado e submeter-se totalmente à divina vontade.

    Fortaleza: é um hábito sobrenatural que robustece a alma para praticar, por instinto do Espírito Santo, toda classe de virtudes heroicas com invencível confiança em superar os maiores perigos ou dificuldades que possam surgir.

    Piedade: hábito sobrenatural infundido para excitar em nossa vontade, por instinto do Espírito Santo, um afeto filial para com Deus, considerado como Pai, e um sentimento enquanto irmãos nossos e filhos do mesmo Pai, que está nos céus.

    Conselho: hábito sobrenatural pelo qual a alma em graça, sob a ação do Espírito Santo, intui retamente, nos casos particulares, o que convém fazer para alcançar o fim último sobrenatural.

    Ciência: hábito sobrenatural infundido por Deus com a grala santificante, pelo qual a inteligência do homem, sob o influxo do Espírito Sant, julga retamente as coisas criadas em função do fim último sobrenatural.

    Entendimento: é um hábito sobrenatural pelo qual a inteligência do homem, sob a ação do Espírito Santo, se faz apta para uma penetrante intuição das coisas reveladas e também das naturais, em função do fim último sobrenatural.

    Sabedoria: é um hábito sobrenatural, inseparado da caridade, pelo qual julgamos retamente de Deus e das coisas divinas por suas últimas e altíssimas causas sob o instinto especial do Espírito Santo, que nos faz saboreá-las por certa conaturalidade e simpatia.

    A diferença entre dons infusos e carismas

    Ícone de Pentecostes

    De um modo mais concreto na alma do fiel em vista de sua salvação, os carismas são influxos do Espírito Santo, dados do alto, de modo extraordinário, em vista da edificação da comunidade. Os carismas, como São Paulo atesta na Primeira carta aos Coríntios 9 são derramados no fiel e orientados para a edificação da Igreja. 

    “Quer extraordinários quer simples e humildes, os carismas são graças do Espírito Snto que, direta ou indiretamente, têm uma utilidade eclesial, pois são ordenados à edificação da Igreja, ao bem dos homens e às necessidades do mundo.” 10 

    A palavra carisma significa, do vocábulo grego, favor, dom gratuito, benefício. 11. São Paulo cita quais são os carismas dados por Deus em suas cartas, especialmente em Romanos e em Coríntios. Sem pretender dar um número fechado, Paulo cita, em Coríntios 12, os seguintes carismas: palavra de sabedoria, de ciência, a fé, o dom de curas, dom de milagres, profecia, discernimento dos espíritos, dom de línguas, dom de interpretação de línguas. E, na carta aos Romanos cita: serviço, ensino, exortação, distribuição de bens, presidência e dom da misericórdia. 13

    São, em suma, benefícios extraordinários que Deus concede a alguém ou a um grupo de fieis, em vista da edificação da Igreja. 

    Por que precisamos dos dons do Espírito Santo?

    A resposta a essa pergunta reside em algo bem simples: a salvação é dom de Deus. E Deus é o primeiro interessado em nos salvar. Como nossa humanidade é ferida pelo pecado original, damos por óbvio que nem sempre fazemos o bem que queremos fazer (e que devemos), ou evitamos o mal que não podemos fazer (e que não devemos). 14. É São Paulo que nos ilumina que devemos pedir as luzes do Espírito Santo, pois não sabemos o que nem como pedir o necessário para nossa salvação. 15

    Os dons do Espírito Santo são um transbordar do Espírito Santo em si, primeiro dom do Pai à humanidade, que nos impulsionam na busca da perfeição da santidade. Nós bem sabemos que a salvação, dom imerecido do Pai a nós, é gratuita. Mas cabe a nós, obviamente, a fidelidade aos dons que Deus derrama em nossos corações constantemente. 

    Um autor afirma que somente três meses de fidelidade perfeita à todas as inspirações do Espírito Santo colocam a alma em um estado que lhe conduzirá com toda a segurança ao cume da perfeição. “Que alguém faça a prova, durante três meses, de não recusar absolutamente nada a Deus, e verá que profunda mudança experimentará em sua vida” 16

    Não deixe de rezar a Novena de Pentecostes!

    Referências

    1. CEC 852[]
    2. Sequência de Pentecostes[]
    3. ROYO MARIN, Antonio. O GRANDE DESCONHECIDO, p.119[]
    4. ROYO MARIN, Antonio. O GRANDE DESCONHECIDO, p.118[]
    5. Isaías 11, 1-3[]
    6. Romanos 8, 29[]
    7. ROYO MARIN, Antonio. O GRANDE DESCONHECIDO, p.121[]
    8. Royo Marin elenca os dons a partir do menos excelente ao mais excelente, ainda que todos são perfeitíssimos[]
    9. 1 Coríntios 12[]
    10. CEC 799[]
    11. cf. LG 12[]
    12. 1Cor 12,8-11[]
    13. Romanos 12, 3ss[]
    14. Romanos 7, 19[]
    15. Romanos 8, 26[]
    16. Cf. MAHIEU, Probatio Caritatis p. 271.[]

    Redação da Minha Biblioteca Católica

    Equipe de redação da MBC, o maior clube de leitores católicos do Brasil.

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.