Formação

O que é o Espírito Santo?

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, saiba como ele aparece na Bíblia e qual seu papel na condução da Igreja.

O que é o Espírito Santo?
Formação

O que é o Espírito Santo?

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, saiba como ele aparece na Bíblia e qual seu papel na condução da Igreja.

Data da Publicação: 23/02/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação Minha Biblioteca Católica
Data da Publicação: 23/02/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação Minha Biblioteca Católica

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, saiba como ele aparece na Bíblia e qual seu papel na condução da Igreja.

O Espírito Santo, pela sua graça, desempenha um papel fundamental no despertar da nossa e na experiência de uma vida nova que consiste em conhecer o Pai e o Filho, Jesus Cristo. Sendo assim, precisamos ser tocados pelo Espírito de Deus para estar em contato com Cristo, e é no Batismo, que o Seu Espírito nos comunica a Vida verdadeira e suscita em nós a fé. 1

Além disso, é grande o papel do Espírito Santo em nossa vida espiritual. Se compreendêssemos plenamente seu poder em nós, certamente o invocaríamos sem cessar. Ele é a promessa do Pai e o guia da Igreja desde os primórdios até os dias atuais. Vamos conhecer neste artigo a importância e a atuação do Espírito Santo na missão dos apóstolos, da Igreja e também na nossa vida interior.

O que é o Espírito Santo: a terceira pessoa da Trindade

A Trindade é o mistério central da fé cristã, revelando um único Deus em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo.

As pessoas divinas não dividem entre Si a divindade única: cada uma delas é Deus por inteiro 2

Não declaramos, portanto, a existência de três deuses, mas professamos a unicidade de Deus em três pessoas. Assim como o Pai é o mesmo que o Filho, e o Filho é o mesmo que o Pai, o Pai e o Filho são iguais ao Espírito Santo — ou seja, um único Deus por natureza. No entanto, a unidade divina é trina. 3

Este mistério é a fonte de todos os outros mistérios da fé — e a luz que os ilumina. Desse modo, não precisamos nos preocupar em compreender a Trindade, não seria possível humanamente, mas sim em crer, uma vez que é um dogma da Igreja.

O Espírito Santo, a terceira pessoa da Trindade, é quem nos auxilia no caminho da fé, pois

Ninguém será capaz de dizer ‘Jesus é o Senhor’, a não ser sob influência do Espírito Santo. 4

Ele guia, fortalece e consola os fiéis. Além disso, concede dons espirituais, transforma os corações, intercede por nós e orienta-nos, possibilitando uma comunhão íntima com Deus. Seu papel é fundamental na revelação do amor divino, a fim de nos capacitar a viver uma vida alinhada ao Evangelho.

A  finalidade da missão do Espírito Santo em toda a ação litúrgica é pôr-nos em comunhão com Cristo, , para formarmos o seu corpo. O Espírito Santo é como que a seiva da Videira do Pai, que dá fruto nos sarmentos. 5
Santíssima Trindade, da qual o Espírito Santo é a terceira Pessoa.

Confira aqui um artigo completo sobre a Santíssima Trindade.

O que é o Espírito Santo: o que dizem as Escrituras?

Ao longo das Escrituras, encontramos diversas referências ao Espírito Santo. No Antigo Testamento, Ele já pairava sobre as águas. Nos Evangelhos, as palavras de Jesus destacam a vinda do Consolador e a importância do Espírito na nossa vida. Depois, nos Atos dos Apóstolos e nas Cartas de São Paulo, testemunhamos o poder transformador do Espírito Santo na formação e edificação da Igreja primitiva.

Antigo Testamento

No Antigo Testamento, o Espírito Santo atuava de maneira restrita, frequentemente associado aos profetas, que desempenhavam um papel fundamental como mediadores entre Deus e o povo. Isso fica evidente no livro de Números quando Moisés diz:

“[…] Prouvera a Deus que todo o povo do Senhor profetizasse, e que o Senhor lhe desse o seu espírito!” 6

No entanto, desde o início, na criação, o Espírito pairava sobre as águas, indicando Sua presença na formação do mundo.

A terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. 7

Além disso, a visão do profeta Ezequiel 8, registrada no livro de mesmo nome, destaca o poder transformador do Espírito Santo. Ao renovar os ossos secos, a passagem simboliza a capacidade divina de restaurar e revitalizar a vida.

Essa ação profética do Espírito demonstra a Sua atuação na história de Israel, que se reflete também na nossa história, uma vez que somos hoje família de Deus na Igreja, ou seja, o Seu povo.

Profetiza ao espírito, disse-me o Senhor, profetiza, filho do homem, e dirige-te ao espírito: eis o que diz o Senhor Javé: vem, espírito, dos quatro cantos do céu, sopra sobre esses mortos para que reviva. […] Quando eu colocar em vós o meu espírito para vos fazer voltar à vida […] Sabereis então que sou eu o Senhor, que o disse e o executei – oráculo do Senhor. 9

Por fim, o Antigo Testamento também revela o Espírito Santo como o “sopro da vida”, no relato da criação no livro de Gênesis. Deus, ao formar o homem, sopra em suas narinas, infundindo-lhe vida. Essa imagem poética ilustra a relação íntima entre a vida humana e a presença do Espírito de Deus, que não apenas dá origem à existência, mas também a sustenta ao longo do tempo. 10

Assim, a atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento, apesar de restrita, já aponta para Sua plenitude e universalidade na Nova Aliança, inaugurada com a vinda do Messias.

Evangelhos

imagem da ascensão do senhor, quando ele promete o espírito santo

Nos Evangelhos, a presença do Espírito Santo é enfatizada pelas próprias palavras de Jesus. No Evangelho de João, Jesus promete o Consolador, o Espírito da Verdade, que permanecerá com os discípulos para sempre.

E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós. Não vos deixarei órfãos. Voltarei a vós. 11

Depois, quando anuncia a sua partida, Cristo encoraja os discípulos dizendo que isso é necessário, a fim de que o Espírito Santo venha

 […] convém a vós que eu vá! Porque, se eu não for, o Paráclito não virá a vós; mas se eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do juízo. 12

O evangelista São Lucas recorda, nas palavras de Jesus, a necessidade de invocar o Espírito Santo, a fim de que Ele nos seja dado

Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celestial dará o Espírito Santo aos que lho pedirem. 13

Este mesmo espírito é o responsável por nos fazer “nascer do Espírito”, como relata o evangelista São João ao narrar o diálogo entre Jesus e Nicodemos. Este nascimento é a transformação interior que o Espírito Santo deseja realizar em nós, começando no nosso batismo e depois por meio da vivência dos sacramentos, para que tenhamos comunhão com Cristo e cheguemos um dia à glória celeste.

Mas essa transformação interior realizada pelo Espírito depende também do nosso querer. As palavras de Jesus, no Evangelho de São Mateus, são firmes

Todo o que tiver falado contra o Filho do Homem será perdoado. Se, porém, falar contra o Espírito Santo, não alcançará perdão nem neste século nem no século vindouro.” 14

Isso quer dizer que se rejeitamos a salvação que Ele nos oferece, por meio do seu Espírito Santo, não podemos alcançar o perdão dos pecados, uma vez que estaremos recusando a ação transformadora do Seu Espírito em nós.

Atos dos Apóstolos

Nos Atos dos Apóstolos 15, vemos a promessa de Deus sendo cumprida em Pentecostes. Quando os discípulos estavam reunidos em Jerusalém, o Espírito Santo desceu sobre eles como línguas de fogo, de modo que “começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” 16

descida do espírito santo sobre maria e os apóstolos

Neste acontecimento, por meio do Seu Espírito, Deus capacita os apóstolos a transmitirem de maneira eficaz a mensagem do Evangelho a pessoas de diversas nações.

Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: “Não são, porventura, galileus todos estes que falam? Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? 17

A atuação do Espírito Santo continua na condução da Igreja primitiva. A manifestação do Espírito de Deus em Pentecostes resulta na comunhão profunda, no compartilhamento de bens e no crescimento constante da comunidade cristã. Além disso, também é o Espírito quem guia a escolha dos líderes da Igreja e direciona as atividades missionárias. 18

Ainda, a missão dos apóstolos é claramente impulsionada por esse mesmo Espírito. Jesus havia prometido que os capacitaria para testemunhar a Palavra de Deus em Jerusalém, Judeia, Samaria e até os confins da terra. 19 E, de fato, vemos o Espírito de Deus fortalecendo e guiando os apóstolos em suas viagens missionárias, nas quais enfrentavam muitos desafios, a fim de disseminar a mensagem cristã.

Em resumo, nos Atos dos Apóstolos, o Espírito Santo aparece como o prometido do Pai que capacita, unifica e guia a Igreja primitiva. Sua presença dinâmica e contínua é evidente em Pentecostes, na condução da comunidade cristã e na missão ousada dos apóstolos, demonstrando a centralidade do Espírito prometido do Pai na expansão do cristianismo.

Que tal rezar a Novena de Pentecostes?

Cartas de São Paulo

Nas cartas de Paulo, o Espírito Santo é retratado como aquele que conduz para uma vida nova, orientando os fiéis a viverem de acordo com os princípios cristãos. Paulo destaca a importância de caminhar no Espírito, evitando os desejos da carne. Essa orientação divina é fundamental para a transformação que o Espírito deseja realizar em nós.

Digo, pois: deixai-vos conduzir pelo Espírito, e não satisfareis os apetites da carne. Porque os desejos da carne se opõem aos do Espírito, e estes aos da carne; pois são contrários uns aos outros. É por isso que não fazeis o que quereríeis. 20

Além disso, Paulo enfatiza o papel do Espírito Santo no reconhecimento dos fiéis como filhos de Deus. Ele destaca que aqueles guiados pelo Espírito são verdadeiramente filhos de Deus, pois apreciam as coisas do Espírito.

De fato, se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras da carne, vivereis, pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 21

Outro aspecto destacado nas cartas de Paulo é que o Espírito Santo concede carismas, ou dons espirituais, para a edificação da Igreja. Desse modo, esses dons capacitam os fiéis a desempenharem papéis específicos na comunidade cristã, contribuindo para o crescimento e fortalecimento da Igreja.

Há diversidade de dons, mas um só Espírito. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor. A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum. A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito; a outro, a fé, pelo mesmo Espírito; a outro, a graça de curar as doenças, no mesmo Espírito […] 22

O que é o Espírito Santo: seu papel na condução da Igreja

Jesus sobe aos céus, mas não abandona os seus, Ele envia o Espírito Santo para guiar a Igreja.

O protagonista de toda a missão eclesial é o Espírito Santo. É Ele que conduz a Igreja pelos caminhos da missão 23

A manifestação pública da Igreja no dia de Pentecostes é marcada pela vinda do Espírito Santo, que a santifica continuamente. Esse evento inaugura a difusão do Evangelho entre os gentios, evidenciando a natureza missionária intrínseca da Igreja, enviada por Cristo a todas as nações para fazer discípulos.

Desse modo, conduzida pelo Espírito Santo, a Igreja, que continua a missão de Cristo ao anunciar a Boa-Nova, percorrendo o mesmo caminho de pobreza, obediência e serviço de Nosso Senhor. E, para que ela cumpra bem a sua missão, o Espírito de Deus a enriquece e guia com diversos dons e carismas, que capacitam os fiéis a anunciar e instaurar o Reino de Deus em todos os lugares.

Além disso, o Espírito Santo atua como guia não apenas na missão geral da Igreja, mas também na liderança específica, inspirando e orientando o sucessor de Pedro na terra, o Papa. Portanto, é evidente que a terceira pessoa da Santíssima Trindade é a força vital que orienta, capacita e inspira toda Igreja, dando a graça e a força de que necessita para manter-se fiel aos preceitos divinos.

Ele é o Senhor que dá a vida

O Espírito Santo de Deus é aquele mesmo que soprou vida nas narinas do primeiro homem, sendo assim é também aquele que “sopra” sobre a nossa vida espiritual, a fim de nos assemelhar a Cristo — fim último de nossa vida.

A  Igreja é o Templo do Espírito Santo. O Espírito é como que a alma do Corpo Místico, princípio da sua vida, da unidade na diversidade e da riqueza dos seus dons e carismas. 24

A nossa vida interior é iluminada e fortalecida pelo Espírito Santo, a fim de que dê frutos em cada aspecto da nossa existência. O Espírito de Deus é o responsável pela nossa comunhão íntima com o Pai. Precisamos da ação do Seu Espírito em nós para cultivar as virtudes, que moldam nosso caráter, e receber os dons que nos impulsionam.

Os dons do Espírito Santo, como sabedoria, entendimento e fortaleza, são presentes especiais concedidos aos fiéis para enriquecer a sua vida espiritual e servir aos outros. Esses dons capacitam-nos a viver de acordo com os ensinamentos e valores cristãos, auxiliando-nos na busca por uma vida virtuosa.

Portanto, a relação entre o Espírito Santo e a vida interior, as virtudes e os dons é intrínseca. Ele impulsiona a vida espiritual, inspirando virtudes que moldam o caráter e infundindo na nossa alma os dons que nos permitem viver em conformidade com os princípios do Evangelho. Essa dinâmica espiritual reflete a profunda atuação do Espírito de Deus na formação e no enriquecimento da vida cristã.

Saiba mais sobre o Espírito Santo nas nossas vidas.

Referências

  1. CIC, 683[]
  2. CIC, 253[]
  3. CIC, 254[]
  4. I Cor 12,3[]
  5. CIC, 1108[]
  6. Nm 11, 29[]
  7. Gn 1, 2[]
  8. Ez 37[]
  9. Ez 37, 9.141[]
  10. CIC, 320[]
  11. Jo 14, 16-18[]
  12. Jo 16, 8[]
  13. Lc 11, 13[]
  14. Mt 12, 32[]
  15. At 2[]
  16. At 2, 4[]
  17. At 2, 7-8[]
  18. At 2, 41-47[]
  19. At 1, 8[]
  20. Gl 5, 16-17[]
  21. Rm 8, 14[]
  22. ICor 12, 4-5.7-9[]
  23. CIC, 852[]
  24. CIC, 809[]

Redação Minha Biblioteca Católica

O maior clube de leitores católicos do Brasil.

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, saiba como ele aparece na Bíblia e qual seu papel na condução da Igreja.

O Espírito Santo, pela sua graça, desempenha um papel fundamental no despertar da nossa e na experiência de uma vida nova que consiste em conhecer o Pai e o Filho, Jesus Cristo. Sendo assim, precisamos ser tocados pelo Espírito de Deus para estar em contato com Cristo, e é no Batismo, que o Seu Espírito nos comunica a Vida verdadeira e suscita em nós a fé. 1

Além disso, é grande o papel do Espírito Santo em nossa vida espiritual. Se compreendêssemos plenamente seu poder em nós, certamente o invocaríamos sem cessar. Ele é a promessa do Pai e o guia da Igreja desde os primórdios até os dias atuais. Vamos conhecer neste artigo a importância e a atuação do Espírito Santo na missão dos apóstolos, da Igreja e também na nossa vida interior.

O que é o Espírito Santo: a terceira pessoa da Trindade

A Trindade é o mistério central da fé cristã, revelando um único Deus em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo.

As pessoas divinas não dividem entre Si a divindade única: cada uma delas é Deus por inteiro 2

Não declaramos, portanto, a existência de três deuses, mas professamos a unicidade de Deus em três pessoas. Assim como o Pai é o mesmo que o Filho, e o Filho é o mesmo que o Pai, o Pai e o Filho são iguais ao Espírito Santo — ou seja, um único Deus por natureza. No entanto, a unidade divina é trina. 3

Este mistério é a fonte de todos os outros mistérios da fé — e a luz que os ilumina. Desse modo, não precisamos nos preocupar em compreender a Trindade, não seria possível humanamente, mas sim em crer, uma vez que é um dogma da Igreja.

O Espírito Santo, a terceira pessoa da Trindade, é quem nos auxilia no caminho da fé, pois

Ninguém será capaz de dizer ‘Jesus é o Senhor’, a não ser sob influência do Espírito Santo. 4

Ele guia, fortalece e consola os fiéis. Além disso, concede dons espirituais, transforma os corações, intercede por nós e orienta-nos, possibilitando uma comunhão íntima com Deus. Seu papel é fundamental na revelação do amor divino, a fim de nos capacitar a viver uma vida alinhada ao Evangelho.

A  finalidade da missão do Espírito Santo em toda a ação litúrgica é pôr-nos em comunhão com Cristo, , para formarmos o seu corpo. O Espírito Santo é como que a seiva da Videira do Pai, que dá fruto nos sarmentos. 5
Santíssima Trindade, da qual o Espírito Santo é a terceira Pessoa.

Confira aqui um artigo completo sobre a Santíssima Trindade.

O que é o Espírito Santo: o que dizem as Escrituras?

Ao longo das Escrituras, encontramos diversas referências ao Espírito Santo. No Antigo Testamento, Ele já pairava sobre as águas. Nos Evangelhos, as palavras de Jesus destacam a vinda do Consolador e a importância do Espírito na nossa vida. Depois, nos Atos dos Apóstolos e nas Cartas de São Paulo, testemunhamos o poder transformador do Espírito Santo na formação e edificação da Igreja primitiva.

Antigo Testamento

No Antigo Testamento, o Espírito Santo atuava de maneira restrita, frequentemente associado aos profetas, que desempenhavam um papel fundamental como mediadores entre Deus e o povo. Isso fica evidente no livro de Números quando Moisés diz:

“[…] Prouvera a Deus que todo o povo do Senhor profetizasse, e que o Senhor lhe desse o seu espírito!” 6

No entanto, desde o início, na criação, o Espírito pairava sobre as águas, indicando Sua presença na formação do mundo.

A terra estava sem forma e vazia; as trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. 7

Além disso, a visão do profeta Ezequiel 8, registrada no livro de mesmo nome, destaca o poder transformador do Espírito Santo. Ao renovar os ossos secos, a passagem simboliza a capacidade divina de restaurar e revitalizar a vida.

Essa ação profética do Espírito demonstra a Sua atuação na história de Israel, que se reflete também na nossa história, uma vez que somos hoje família de Deus na Igreja, ou seja, o Seu povo.

Profetiza ao espírito, disse-me o Senhor, profetiza, filho do homem, e dirige-te ao espírito: eis o que diz o Senhor Javé: vem, espírito, dos quatro cantos do céu, sopra sobre esses mortos para que reviva. […] Quando eu colocar em vós o meu espírito para vos fazer voltar à vida […] Sabereis então que sou eu o Senhor, que o disse e o executei – oráculo do Senhor. 9

Por fim, o Antigo Testamento também revela o Espírito Santo como o “sopro da vida”, no relato da criação no livro de Gênesis. Deus, ao formar o homem, sopra em suas narinas, infundindo-lhe vida. Essa imagem poética ilustra a relação íntima entre a vida humana e a presença do Espírito de Deus, que não apenas dá origem à existência, mas também a sustenta ao longo do tempo. 10

Assim, a atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento, apesar de restrita, já aponta para Sua plenitude e universalidade na Nova Aliança, inaugurada com a vinda do Messias.

Evangelhos

imagem da ascensão do senhor, quando ele promete o espírito santo

Nos Evangelhos, a presença do Espírito Santo é enfatizada pelas próprias palavras de Jesus. No Evangelho de João, Jesus promete o Consolador, o Espírito da Verdade, que permanecerá com os discípulos para sempre.

E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Paráclito, para que fique eternamente convosco. É o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós. Não vos deixarei órfãos. Voltarei a vós. 11

Depois, quando anuncia a sua partida, Cristo encoraja os discípulos dizendo que isso é necessário, a fim de que o Espírito Santo venha

 […] convém a vós que eu vá! Porque, se eu não for, o Paráclito não virá a vós; mas se eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo a respeito do pecado, da justiça e do juízo. 12

O evangelista São Lucas recorda, nas palavras de Jesus, a necessidade de invocar o Espírito Santo, a fim de que Ele nos seja dado

Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai celestial dará o Espírito Santo aos que lho pedirem. 13

Este mesmo espírito é o responsável por nos fazer “nascer do Espírito”, como relata o evangelista São João ao narrar o diálogo entre Jesus e Nicodemos. Este nascimento é a transformação interior que o Espírito Santo deseja realizar em nós, começando no nosso batismo e depois por meio da vivência dos sacramentos, para que tenhamos comunhão com Cristo e cheguemos um dia à glória celeste.

Mas essa transformação interior realizada pelo Espírito depende também do nosso querer. As palavras de Jesus, no Evangelho de São Mateus, são firmes

Todo o que tiver falado contra o Filho do Homem será perdoado. Se, porém, falar contra o Espírito Santo, não alcançará perdão nem neste século nem no século vindouro.” 14

Isso quer dizer que se rejeitamos a salvação que Ele nos oferece, por meio do seu Espírito Santo, não podemos alcançar o perdão dos pecados, uma vez que estaremos recusando a ação transformadora do Seu Espírito em nós.

Atos dos Apóstolos

Nos Atos dos Apóstolos 15, vemos a promessa de Deus sendo cumprida em Pentecostes. Quando os discípulos estavam reunidos em Jerusalém, o Espírito Santo desceu sobre eles como línguas de fogo, de modo que “começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” 16

descida do espírito santo sobre maria e os apóstolos

Neste acontecimento, por meio do Seu Espírito, Deus capacita os apóstolos a transmitirem de maneira eficaz a mensagem do Evangelho a pessoas de diversas nações.

Profundamente impressionados, manifestavam a sua admiração: “Não são, porventura, galileus todos estes que falam? Como então todos nós os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? 17

A atuação do Espírito Santo continua na condução da Igreja primitiva. A manifestação do Espírito de Deus em Pentecostes resulta na comunhão profunda, no compartilhamento de bens e no crescimento constante da comunidade cristã. Além disso, também é o Espírito quem guia a escolha dos líderes da Igreja e direciona as atividades missionárias. 18

Ainda, a missão dos apóstolos é claramente impulsionada por esse mesmo Espírito. Jesus havia prometido que os capacitaria para testemunhar a Palavra de Deus em Jerusalém, Judeia, Samaria e até os confins da terra. 19 E, de fato, vemos o Espírito de Deus fortalecendo e guiando os apóstolos em suas viagens missionárias, nas quais enfrentavam muitos desafios, a fim de disseminar a mensagem cristã.

Em resumo, nos Atos dos Apóstolos, o Espírito Santo aparece como o prometido do Pai que capacita, unifica e guia a Igreja primitiva. Sua presença dinâmica e contínua é evidente em Pentecostes, na condução da comunidade cristã e na missão ousada dos apóstolos, demonstrando a centralidade do Espírito prometido do Pai na expansão do cristianismo.

Que tal rezar a Novena de Pentecostes?

Cartas de São Paulo

Nas cartas de Paulo, o Espírito Santo é retratado como aquele que conduz para uma vida nova, orientando os fiéis a viverem de acordo com os princípios cristãos. Paulo destaca a importância de caminhar no Espírito, evitando os desejos da carne. Essa orientação divina é fundamental para a transformação que o Espírito deseja realizar em nós.

Digo, pois: deixai-vos conduzir pelo Espírito, e não satisfareis os apetites da carne. Porque os desejos da carne se opõem aos do Espírito, e estes aos da carne; pois são contrários uns aos outros. É por isso que não fazeis o que quereríeis. 20

Além disso, Paulo enfatiza o papel do Espírito Santo no reconhecimento dos fiéis como filhos de Deus. Ele destaca que aqueles guiados pelo Espírito são verdadeiramente filhos de Deus, pois apreciam as coisas do Espírito.

De fato, se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras da carne, vivereis, pois todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. 21

Outro aspecto destacado nas cartas de Paulo é que o Espírito Santo concede carismas, ou dons espirituais, para a edificação da Igreja. Desse modo, esses dons capacitam os fiéis a desempenharem papéis específicos na comunidade cristã, contribuindo para o crescimento e fortalecimento da Igreja.

Há diversidade de dons, mas um só Espírito. Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor. A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum. A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito; a outro, a fé, pelo mesmo Espírito; a outro, a graça de curar as doenças, no mesmo Espírito […] 22

O que é o Espírito Santo: seu papel na condução da Igreja

Jesus sobe aos céus, mas não abandona os seus, Ele envia o Espírito Santo para guiar a Igreja.

O protagonista de toda a missão eclesial é o Espírito Santo. É Ele que conduz a Igreja pelos caminhos da missão 23

A manifestação pública da Igreja no dia de Pentecostes é marcada pela vinda do Espírito Santo, que a santifica continuamente. Esse evento inaugura a difusão do Evangelho entre os gentios, evidenciando a natureza missionária intrínseca da Igreja, enviada por Cristo a todas as nações para fazer discípulos.

Desse modo, conduzida pelo Espírito Santo, a Igreja, que continua a missão de Cristo ao anunciar a Boa-Nova, percorrendo o mesmo caminho de pobreza, obediência e serviço de Nosso Senhor. E, para que ela cumpra bem a sua missão, o Espírito de Deus a enriquece e guia com diversos dons e carismas, que capacitam os fiéis a anunciar e instaurar o Reino de Deus em todos os lugares.

Além disso, o Espírito Santo atua como guia não apenas na missão geral da Igreja, mas também na liderança específica, inspirando e orientando o sucessor de Pedro na terra, o Papa. Portanto, é evidente que a terceira pessoa da Santíssima Trindade é a força vital que orienta, capacita e inspira toda Igreja, dando a graça e a força de que necessita para manter-se fiel aos preceitos divinos.

Ele é o Senhor que dá a vida

O Espírito Santo de Deus é aquele mesmo que soprou vida nas narinas do primeiro homem, sendo assim é também aquele que “sopra” sobre a nossa vida espiritual, a fim de nos assemelhar a Cristo — fim último de nossa vida.

A  Igreja é o Templo do Espírito Santo. O Espírito é como que a alma do Corpo Místico, princípio da sua vida, da unidade na diversidade e da riqueza dos seus dons e carismas. 24

A nossa vida interior é iluminada e fortalecida pelo Espírito Santo, a fim de que dê frutos em cada aspecto da nossa existência. O Espírito de Deus é o responsável pela nossa comunhão íntima com o Pai. Precisamos da ação do Seu Espírito em nós para cultivar as virtudes, que moldam nosso caráter, e receber os dons que nos impulsionam.

Os dons do Espírito Santo, como sabedoria, entendimento e fortaleza, são presentes especiais concedidos aos fiéis para enriquecer a sua vida espiritual e servir aos outros. Esses dons capacitam-nos a viver de acordo com os ensinamentos e valores cristãos, auxiliando-nos na busca por uma vida virtuosa.

Portanto, a relação entre o Espírito Santo e a vida interior, as virtudes e os dons é intrínseca. Ele impulsiona a vida espiritual, inspirando virtudes que moldam o caráter e infundindo na nossa alma os dons que nos permitem viver em conformidade com os princípios do Evangelho. Essa dinâmica espiritual reflete a profunda atuação do Espírito de Deus na formação e no enriquecimento da vida cristã.

Saiba mais sobre o Espírito Santo nas nossas vidas.

Referências

  1. CIC, 683[]
  2. CIC, 253[]
  3. CIC, 254[]
  4. I Cor 12,3[]
  5. CIC, 1108[]
  6. Nm 11, 29[]
  7. Gn 1, 2[]
  8. Ez 37[]
  9. Ez 37, 9.141[]
  10. CIC, 320[]
  11. Jo 14, 16-18[]
  12. Jo 16, 8[]
  13. Lc 11, 13[]
  14. Mt 12, 32[]
  15. At 2[]
  16. At 2, 4[]
  17. At 2, 7-8[]
  18. At 2, 41-47[]
  19. At 1, 8[]
  20. Gl 5, 16-17[]
  21. Rm 8, 14[]
  22. ICor 12, 4-5.7-9[]
  23. CIC, 852[]
  24. CIC, 809[]

Redação Minha Biblioteca Católica

O maior clube de leitores católicos do Brasil.

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.