Formação

Virtudes teologais: o que um católico precisa saber sobre elas

Descubra o que e quais são as virtudes teologais, como são adquiridas e qual a sua importância na vida espiritual do cristão.

Virtudes teologais: o que um católico precisa saber sobre elas
Formação

Virtudes teologais: o que um católico precisa saber sobre elas

Descubra o que e quais são as virtudes teologais, como são adquiridas e qual a sua importância na vida espiritual do cristão.

Data da Publicação: 15/01/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC
Data da Publicação: 15/01/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC

Descubra o que e quais são as virtudes teologais, como são adquiridas e qual a sua importância na vida espiritual do cristão.

Quando a Igreja inicia o processo de canonização de um possível santo, ela investiga a sua vida, a fim de determinar se ele viveu a santidade em sua existência terrena. Esse discernimento é realizado, sobretudo, com base nos frutos produzidos pela pessoa. A Igreja observa também se as virtudes heroicas estão presentes na vida do candidato para determinar se ele é um santo digno dos altares.

Algumas dessas virtudes podem ser alcançadas mediante esforço humano, enquanto outras só se tornam possíveis pela atuação da graça divina na alma. Neste artigo, exploraremos as virtudes teologais, aquelas que transcendem as capacidades meramente humanas, sendo acessíveis somente quando infundidas por Deus na nossa alma.

Saiba mais sobre como uma pessoa se torna santa.

O que são Virtudes?

Antes de entender o que são as virtudes teologais, é importante saber o que é uma virtude; o que faz uma pessoa ser virtuosa. O Catecismo da Igreja Católica define a virtude como uma

disposição habitual e firme para praticar o bem. Permite à pessoa não somente praticar atos bons, mas dar o melhor de si mesma. Uma pessoa virtuosa tende para o bem com todas as suas forças sensíveis e espirituais. 1

Sendo assim, a virtude é uma inclinação para o bem, e uma pessoa virtuosa é aquela que sempre procura e opta pelo bem. As virtudes são qualidades morais que moldam as nossas ações para a busca do bem e, consequentemente, da vontade divina. O fim de uma vida virtuosa é, portanto, tornar-se semelhante a Deus — o Sumo Bem. 2

Desse modo, podemos dividir as virtudes em duas categorias:

  • Virtudes Humanas, adquiridas, como o próprio nome sugere, pelo esforço humano; e
  • Virtudes Teologais, dadas por Deus como auxílio à natureza humana para viver em comunhão com Ele.

Neste artigo, vamos explorar as virtudes teologais.

O que são as Virtudes Teologais?

As virtudes teologais também são conhecidas como virtudes católicas, infusas ou teológicas. Virtudes católicas por serem próprias do fiel cristão, infusas devido à sua origem em Deus pela graça, e teológicas por que se tornaram conhecidas pela revelação divina.

As virtudes teológicas fundamentam, animam e caracterizam o agir moral do cristão, informam e vivificam todas as virtudes morais. […] São infundidas por Deus na alma dos fiéis para que os tornem capazes de proceder como filhos seus e assim mereçam a vida eterna. 3

Estas virtudes estão diretamente ligadas a Deus, uma vez que só Ele pode infundi-las nas almas, a fim de que vivam em comunhão com a Santíssima Trindade. Deus Uno e Trino é, portanto, a origem, o motivo e o objeto dessas virtudes. 4 Sendo assim, elas não são outra coisa senão a presença e a ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano. 3

Quais são as virtudes teologais?

São três as virtudes teologais: a fé, a esperança e a caridade. Elas são infundidas por Deus e se adaptam às faculdades do homem, levando-o à participação na vida divina. Além disso, são estas três que orientam e vivificam todas as virtudes morais.

As 3 Virtudes Teologais

A virtude teologal da fé 

Na busca pela perfeição, a fé é fundamental, sendo o ponto de partida para o desenvolvimento das demais virtudes. Como definição, lemos no Catecismo da Igreja Católica que

A fé é uma virtude teológica pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos disse e revelou e que a santa Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria verdade. 5

A fé não é apenas um assentimento intelectual, mas um comprometimento ativo de conhecer e realizar a vontade divina. Assim, o homem livremente entrega-se a Deus, a fim de viver pela fé, e isso se concretiza nas obras de caridade — pois sem a expressão prática na esperança e no amor, a fé torna-se ineficaz. Como lembra-nos a carta de Tiago

A fé, se não tiver obras, está completamente morta. 6

Desse modo, o discípulo de Cristo é chamado não apenas a preservar e viver a fé, mas também a professá-la, testemunhá-la e propagá-la, mesmo enfrentando perseguições. O testemunho de fé é parte integrante da nossa vida espiritual, garantindo-nos a segurança de sermos reconhecidos por Deus:

Portanto, quem der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante de meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus. 7
pessoas rezando na igreja, uma representação da fé, uma das virtudes teologais.

A virtude teologal da esperança

A esperança, como virtude teológica, orienta-nos na busca do Reino dos céus e da vida eterna como a suprema felicidade. Ela reside na confiança nas promessas de Cristo e na dependência da graça do Espírito Santo, não em nossas próprias forças.

A virtude da esperança não apenas reflete o anseio inato por felicidade, pois Deus o colocou no coração de todo homem 8, mas também resgata e realiza as esperanças do povo eleito, encontrando em Abraão seu modelo. A esperança cristã é ancorada na promessa divina, manifestando-se nas bem-aventuranças anunciadas por Jesus, que elevam as nossas aspirações para o céu.

Ela serve, portanto, como âncora inabalável da alma 9, protege no combate da salvação e proporciona alegria, mesmo em meio à tribulação. Nutrida na oração, sobretudo do Pai-Nosso, que expressa tudo o que desejamos, a esperança nos impulsiona a permanecer firmes até o fim, confiantes na recompensa eterna prometida por Deus para aqueles que O amam e seguem Sua vontade.

Entenda o que significa cada uma das partes que rezamos na oração do Pai Nosso.

A virtude teologal da caridade

Cristo traz a caridade como o novo mandamento, exemplificando-a ao amar os discípulos até o fim. A caridade é a plenitude da Lei, guardando os mandamentos divinos. Por definição,

A caridade é a virtude teológica pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas por Ele mesmo, e ao próximo como a nós mesmos, por amor de Deus. 10

Inspirada nos ensinamentos de Cristo, a caridade vai além, alcançando até os inimigos e os mais distantes. São Paulo descreve sua natureza paciente, bondosa, desinteressada e perdoadora. 11 Sem ela, todas as virtudes perdem significado. Por isso, é superior a todas, sendo a maior das virtudes teológicas.

A caridade anima e inspira todas as virtudes, tornando-se o vínculo da perfeição. A sua prática não apenas enriquece a vida moral, mas também liberta o cristão para obedecer por amor, não por temor ou busca de recompensa, conduzindo-o a uma relação de filiação, respondendo ao amor divino. Santo Agostinho afirma que o fim último de todas as nossas obras é o amor e nele um dia descansaremos. 12

a caridade, a maior das virtudes teologais, é o próprio Deus.

Agora que você já sabe o que são as virtudes teologais, que tal rezar o Ato de fé, esperança e caridade?

Qual é o papel das virtudes teologais na nossa vida espiritual?

As virtudes teologais, fé, esperança e caridade, desempenham um importante papel na nossa vida espiritual, orientando-nos em direção a uma relação mais profunda com Deus e ao cumprimento da sua vontade. A fé, como alicerce, liga-nos às verdades reveladas, sendo o ponto de partida para a união com o Pai. A esperança, por sua vez, direciona nossos desejos para o Reino dos céus, proporcionando ânimo e resistência em meio às adversidades. A caridade, que é manifestação suprema do amor, transcende todas as virtudes, impulsionando-nos a amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Nascemos para amar a Deus, servi-lo e retornarmos a Ele. Neste caminho, elas são direcionamentos práticos para vivermos uma vida cristã autêntica. As virtudes teologais são a fonte que anima e inspira todas as outras virtudes morais, elevando nossa capacidade humana de amar aos padrões divinos. A sua prática liberta-nos, desse modo, para uma obediência motivada pelo amor, transformando nossa relação com Deus da servidão para a liberdade dos filhos amados. Portanto, as virtudes teologais enriquecem a nossa vida espiritual e moldam o nosso agir, conduzindo-nos na busca constante pela união eterna com Deus.

Você sabe a importância da direção espiritual na nossa vida de fé?

Existe diferença entre as virtudes e os dons do Espírito Santo?

Enquanto as virtudes representam uma inclinação ao bem, podendo ser desenvolvidas pelo esforço humano, como é o caso das virtudes cardeais, os dons do Espírito Santo assumem uma natureza distinta:

são disposições permanentes que tornam o homem dócil aos impulsos do Espírito Santo. 13

Embora tanto as virtudes teologais quanto os dons do Espírito Santo sejam infundidos por Deus e não possam ser alcançados apenas pelo esforço humano, há ainda uma distinção fundamental entre eles.

As virtudes teologais referem-se ao modo como nos relacionamos com Deus. Elas moldam o agir moral do cristão e animam outras virtudes morais, sendo fundamentais para uma vida espiritual. Essas virtudes são como disposições habituais da alma, capacitando o indivíduo a agir de maneira alinhada com a vontade divina.

Por outro lado, os dons do Espírito Santo — sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus — são capacidades especiais concedidas por Ele para tornar a pessoa dócil aos seus impulsos. Sendo assim, os dons capacitam a pessoa a responder prontamente às inspirações divinas, aprofundando e aperfeiçoando as virtudes teologais já presentes.

Você já conhece a Ladainha do Espírito Santo? Confira aqui e reze esta tradicional prece à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade.

Referências

  1. CIC, 1803[]
  2. CIC 1803[]
  3. CIC, 1813[][]
  4. CIC, 1812[]
  5. CIC, 1814[]
  6. Tg 2, 17[]
  7. (Mt 10, 32-33[]
  8. CIC, 1818[]
  9. Hb 6, 19[]
  10. CIC, 1822[]
  11. ICor 13, 4-7[]
  12. CIC, 1829[]
  13. CIC, 1830[]

Redação MBC

O maior clube de leitores católicos do Brasil.

Garanta seu box

Descubra o que e quais são as virtudes teologais, como são adquiridas e qual a sua importância na vida espiritual do cristão.

Quando a Igreja inicia o processo de canonização de um possível santo, ela investiga a sua vida, a fim de determinar se ele viveu a santidade em sua existência terrena. Esse discernimento é realizado, sobretudo, com base nos frutos produzidos pela pessoa. A Igreja observa também se as virtudes heroicas estão presentes na vida do candidato para determinar se ele é um santo digno dos altares.

Algumas dessas virtudes podem ser alcançadas mediante esforço humano, enquanto outras só se tornam possíveis pela atuação da graça divina na alma. Neste artigo, exploraremos as virtudes teologais, aquelas que transcendem as capacidades meramente humanas, sendo acessíveis somente quando infundidas por Deus na nossa alma.

Saiba mais sobre como uma pessoa se torna santa.

O que são Virtudes?

Antes de entender o que são as virtudes teologais, é importante saber o que é uma virtude; o que faz uma pessoa ser virtuosa. O Catecismo da Igreja Católica define a virtude como uma

disposição habitual e firme para praticar o bem. Permite à pessoa não somente praticar atos bons, mas dar o melhor de si mesma. Uma pessoa virtuosa tende para o bem com todas as suas forças sensíveis e espirituais. 1

Sendo assim, a virtude é uma inclinação para o bem, e uma pessoa virtuosa é aquela que sempre procura e opta pelo bem. As virtudes são qualidades morais que moldam as nossas ações para a busca do bem e, consequentemente, da vontade divina. O fim de uma vida virtuosa é, portanto, tornar-se semelhante a Deus — o Sumo Bem. 2

Desse modo, podemos dividir as virtudes em duas categorias:

  • Virtudes Humanas, adquiridas, como o próprio nome sugere, pelo esforço humano; e
  • Virtudes Teologais, dadas por Deus como auxílio à natureza humana para viver em comunhão com Ele.

Neste artigo, vamos explorar as virtudes teologais.

O que são as Virtudes Teologais?

As virtudes teologais também são conhecidas como virtudes católicas, infusas ou teológicas. Virtudes católicas por serem próprias do fiel cristão, infusas devido à sua origem em Deus pela graça, e teológicas por que se tornaram conhecidas pela revelação divina.

As virtudes teológicas fundamentam, animam e caracterizam o agir moral do cristão, informam e vivificam todas as virtudes morais. […] São infundidas por Deus na alma dos fiéis para que os tornem capazes de proceder como filhos seus e assim mereçam a vida eterna. 3

Estas virtudes estão diretamente ligadas a Deus, uma vez que só Ele pode infundi-las nas almas, a fim de que vivam em comunhão com a Santíssima Trindade. Deus Uno e Trino é, portanto, a origem, o motivo e o objeto dessas virtudes. 4 Sendo assim, elas não são outra coisa senão a presença e a ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano. 3

Quais são as virtudes teologais?

São três as virtudes teologais: a fé, a esperança e a caridade. Elas são infundidas por Deus e se adaptam às faculdades do homem, levando-o à participação na vida divina. Além disso, são estas três que orientam e vivificam todas as virtudes morais.

As 3 Virtudes Teologais

A virtude teologal da fé 

Na busca pela perfeição, a fé é fundamental, sendo o ponto de partida para o desenvolvimento das demais virtudes. Como definição, lemos no Catecismo da Igreja Católica que

A fé é uma virtude teológica pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos disse e revelou e que a santa Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria verdade. 5

A fé não é apenas um assentimento intelectual, mas um comprometimento ativo de conhecer e realizar a vontade divina. Assim, o homem livremente entrega-se a Deus, a fim de viver pela fé, e isso se concretiza nas obras de caridade — pois sem a expressão prática na esperança e no amor, a fé torna-se ineficaz. Como lembra-nos a carta de Tiago

A fé, se não tiver obras, está completamente morta. 6

Desse modo, o discípulo de Cristo é chamado não apenas a preservar e viver a fé, mas também a professá-la, testemunhá-la e propagá-la, mesmo enfrentando perseguições. O testemunho de fé é parte integrante da nossa vida espiritual, garantindo-nos a segurança de sermos reconhecidos por Deus:

Portanto, quem der testemunho de mim diante dos homens, também eu darei testemunho dele diante de meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus. 7
pessoas rezando na igreja, uma representação da fé, uma das virtudes teologais.

A virtude teologal da esperança

A esperança, como virtude teológica, orienta-nos na busca do Reino dos céus e da vida eterna como a suprema felicidade. Ela reside na confiança nas promessas de Cristo e na dependência da graça do Espírito Santo, não em nossas próprias forças.

A virtude da esperança não apenas reflete o anseio inato por felicidade, pois Deus o colocou no coração de todo homem 8, mas também resgata e realiza as esperanças do povo eleito, encontrando em Abraão seu modelo. A esperança cristã é ancorada na promessa divina, manifestando-se nas bem-aventuranças anunciadas por Jesus, que elevam as nossas aspirações para o céu.

Ela serve, portanto, como âncora inabalável da alma 9, protege no combate da salvação e proporciona alegria, mesmo em meio à tribulação. Nutrida na oração, sobretudo do Pai-Nosso, que expressa tudo o que desejamos, a esperança nos impulsiona a permanecer firmes até o fim, confiantes na recompensa eterna prometida por Deus para aqueles que O amam e seguem Sua vontade.

Entenda o que significa cada uma das partes que rezamos na oração do Pai Nosso.

A virtude teologal da caridade

Cristo traz a caridade como o novo mandamento, exemplificando-a ao amar os discípulos até o fim. A caridade é a plenitude da Lei, guardando os mandamentos divinos. Por definição,

A caridade é a virtude teológica pela qual amamos a Deus sobre todas as coisas por Ele mesmo, e ao próximo como a nós mesmos, por amor de Deus. 10

Inspirada nos ensinamentos de Cristo, a caridade vai além, alcançando até os inimigos e os mais distantes. São Paulo descreve sua natureza paciente, bondosa, desinteressada e perdoadora. 11 Sem ela, todas as virtudes perdem significado. Por isso, é superior a todas, sendo a maior das virtudes teológicas.

A caridade anima e inspira todas as virtudes, tornando-se o vínculo da perfeição. A sua prática não apenas enriquece a vida moral, mas também liberta o cristão para obedecer por amor, não por temor ou busca de recompensa, conduzindo-o a uma relação de filiação, respondendo ao amor divino. Santo Agostinho afirma que o fim último de todas as nossas obras é o amor e nele um dia descansaremos. 12

a caridade, a maior das virtudes teologais, é o próprio Deus.

Agora que você já sabe o que são as virtudes teologais, que tal rezar o Ato de fé, esperança e caridade?

Qual é o papel das virtudes teologais na nossa vida espiritual?

As virtudes teologais, fé, esperança e caridade, desempenham um importante papel na nossa vida espiritual, orientando-nos em direção a uma relação mais profunda com Deus e ao cumprimento da sua vontade. A fé, como alicerce, liga-nos às verdades reveladas, sendo o ponto de partida para a união com o Pai. A esperança, por sua vez, direciona nossos desejos para o Reino dos céus, proporcionando ânimo e resistência em meio às adversidades. A caridade, que é manifestação suprema do amor, transcende todas as virtudes, impulsionando-nos a amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

Nascemos para amar a Deus, servi-lo e retornarmos a Ele. Neste caminho, elas são direcionamentos práticos para vivermos uma vida cristã autêntica. As virtudes teologais são a fonte que anima e inspira todas as outras virtudes morais, elevando nossa capacidade humana de amar aos padrões divinos. A sua prática liberta-nos, desse modo, para uma obediência motivada pelo amor, transformando nossa relação com Deus da servidão para a liberdade dos filhos amados. Portanto, as virtudes teologais enriquecem a nossa vida espiritual e moldam o nosso agir, conduzindo-nos na busca constante pela união eterna com Deus.

Você sabe a importância da direção espiritual na nossa vida de fé?

Existe diferença entre as virtudes e os dons do Espírito Santo?

Enquanto as virtudes representam uma inclinação ao bem, podendo ser desenvolvidas pelo esforço humano, como é o caso das virtudes cardeais, os dons do Espírito Santo assumem uma natureza distinta:

são disposições permanentes que tornam o homem dócil aos impulsos do Espírito Santo. 13

Embora tanto as virtudes teologais quanto os dons do Espírito Santo sejam infundidos por Deus e não possam ser alcançados apenas pelo esforço humano, há ainda uma distinção fundamental entre eles.

As virtudes teologais referem-se ao modo como nos relacionamos com Deus. Elas moldam o agir moral do cristão e animam outras virtudes morais, sendo fundamentais para uma vida espiritual. Essas virtudes são como disposições habituais da alma, capacitando o indivíduo a agir de maneira alinhada com a vontade divina.

Por outro lado, os dons do Espírito Santo — sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência, piedade e temor de Deus — são capacidades especiais concedidas por Ele para tornar a pessoa dócil aos seus impulsos. Sendo assim, os dons capacitam a pessoa a responder prontamente às inspirações divinas, aprofundando e aperfeiçoando as virtudes teologais já presentes.

Você já conhece a Ladainha do Espírito Santo? Confira aqui e reze esta tradicional prece à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade.

Referências

  1. CIC, 1803[]
  2. CIC 1803[]
  3. CIC, 1813[][]
  4. CIC, 1812[]
  5. CIC, 1814[]
  6. Tg 2, 17[]
  7. (Mt 10, 32-33[]
  8. CIC, 1818[]
  9. Hb 6, 19[]
  10. CIC, 1822[]
  11. ICor 13, 4-7[]
  12. CIC, 1829[]
  13. CIC, 1830[]

Redação MBC

O maior clube de leitores católicos do Brasil.

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.