Formação

Os escrúpulos e o seu remédio espiritual

Você sabe o que são escrúpulos? Conheça os seus efeitos na nossa vida espiritual e qual o melhor remédio para combatê-los.

Os escrúpulos e o seu remédio espiritual
Formação

Os escrúpulos e o seu remédio espiritual

Você sabe o que são escrúpulos? Conheça os seus efeitos na nossa vida espiritual e qual o melhor remédio para combatê-los.

Data da Publicação: 12/01/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC
Data da Publicação: 12/01/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC

Você sabe o que são escrúpulos? Conheça os seus efeitos na nossa vida espiritual e qual o melhor remédio para combatê-los.

Com frequência, deparamo-nos com a perda do sentido de pecado em diversas situações. O homem parece ter perdido a sensibilidade dada por Deus para discernir entre certo e errado, ou até mesmo para refletir sobre estas questões. A indiferença ao pecado acarreta sérios danos à nossa alma e à nossa vivência como filhos de Deus.

Por outro lado, há pessoas que enfrentam uma luta interna constante, atormentadas por escrúpulos que, de maneira orgulhosa, aumentam a percepção de sua própria miséria, ignorando a misericórdia divina. Neste artigo, abordaremos o tema dos escrúpulos, explorando suas causas, sinais e impactos na vida espiritual. Além disso, veremos como enfrentar essa doença espiritual, a fim de restaurar a luz divina necessária para o cultivo de uma verdadeira vida espiritual.

Confira um plano prático para buscar a santidade em 2024.

O que são escrúpulos?

Os escrúpulos são um grande desafio na vida espiritual, pois representam um problema grave de consciência. A pessoa escrupulosa muitas vezes não consegue discernir entre um pecado leve e um pecado grave. Ela confunde tentação e pecado, sendo incapaz de fazer essa distinção. A teologia explica escrúpulo como um medo exagerado de pecar, sem razão real para suspeitar de qualquer pecado.

Apesar de não serem pecados em si, os escrúpulos podem se transformar em obstáculos à vida espiritual, desviando-nos do caminho do bem. São sentimentos distorcidos e perversos que não têm valor intelectual nem trazem benefícios espirituais. Além disso, são erroneamente associados à retidão de consciência, quando, na verdade, podem desviar a alma do caminho da santidade e da busca pela vida interior.

O escrúpulo também está ligado ao orgulho, diferindo totalmente da delicadeza de consciência, que se baseia na razão e na tranquilidade e não causa perturbações. Os escrúpulos geram confusão e angústia na alma, levando-a para mais longe da presença de Deus.

Conheça o papel da direção espiritual na fé católica.

Qual é a sua causa?

As causas dos escrúpulos podem ser três: Deus, o demônio e nós mesmos, tanto o corpo quanto a alma.

Deus, por vezes, permite escrúpulos como uma preparação para o papel de diretor espiritual ou como uma purificação temporária, removendo a luz que nos guia. Os escrúpulos sobrenaturais, assim, desempenham papéis específicos no caminho espiritual, como a purificação de apegos excessivos à devoção sensível.

O demônio, por sua vez, também pode ser fonte de escrúpulos ao perturbar as consciências frágeis com dúvidas e receios que paralisam. Com argumentos persistentes, esses escrúpulos podem transformar algo leve em pecado mortal, já que o demônio reconhece nisso um caminho eficaz para levar a alma ao pecado real.

Por fim, nós mesmos, tanto na alma quanto no corpo, podemos contribuir com os escrúpulos, e essas são as causas mais comuns. Algumas delas incluem

  • incapacidade de distinguir entre tentação e pecado (consentimento);
  • orgulho oculto que leva ao apego teimoso a certas opiniões;
  • temor excessivo da justiça de Deus ou a falta de confiança na sua misericórdia;
  • desejo incontrolável de evitar até mesmo a simples aparência de pecado, querendo ter certeza absoluta se determinada ação é ou não pecado; e
  • isolamento como forma de fugir do pecado, como se a perfeição consistisse na melancolia e na solidão.
mulher isolada no quarto, um dos efeitos dos escrúpulos.

Quanto às causas ligadas ao corpo, duas se destacam:

  • a primeira tem origem no jeito de ser mais frio, melancólico e hipocondríaco, especialmente quando associado a austeridades corporais excessivas. A tristeza do espírito dessas pessoas parece intensificar-se com tais práticas;
  • a segunda está relacionada à fraqueza cerebral, inata ou resultante de estudos intensivos, fervor na oração ou privação exagerada de sono. Ao agir de maneira excessiva, o fiel prepara em si as próprias causas físicas do escrúpulo, sobretudo pela desobediência e obstinação.

Vale ressaltar que o conhecimento das causas não deve gerar desespero; ao contrário, deve motivar a alma a buscar o remédio (que veremos mais adiante), depois de compreender a natureza da doença e seus efeitos.

Está pensando em iniciar uma leitura espiritual? Saiba por onde começar.

Qual é o risco dos escrúpulos para a vida espiritual?

Os escrúpulos apresentam sérios riscos para a vida espiritual, manifestando-se sobretudo em três efeitos prejudiciais. Em primeiro lugar, causam cegueira espiritual, pois distorcem a percepção do bem e do mal. Ao obscurecer os limites entre tentação e pecado, a pessoa não tem mais a capacidade de discernir entre um e outro. Sendo assim, este estado de confusão paralisa o avanço espiritual.

O segundo efeito é a falta de devoção, uma vez que os escrúpulos, sendo fontes de perturbação, comprometem a paz interior necessária para a verdadeira devoção. Enquanto a devoção requer obediência, os escrúpulos são desobedientes, enquanto a devoção é uma forma de adoração a Deus, os escrúpulos assemelham-se a uma adoração de si mesmo.

Além disso, a devoção alimenta-se das coisas divinas, enquanto os escrúpulos corrompem essa nutrição. Eles bloqueiam a luz da oração em mentes perturbadas, chegando a interromper a ação dos sacramentos. Em algumas situações, eles também obscurecem a fé, enfraquecem a esperança e afrouxam a caridade. Os escrúpulos acarretam, portanto, efeitos prejudiciais sem proporcionar os benefícios que tentações saudáveis poderiam oferecer.

Outro perigo dos escrúpulos para nossa vida interior é o relaxamento espiritual. Ao concentrar-se excessivamente em um ponto escrupuloso, a pessoa relaxa em outros deveres, exagerando a importância de certas ações. Este desequilíbrio surge do foco exagerado em uma obrigação específica, levando à negligência de outras. Dessa forma, os escrúpulos agem como uma tirania, desencadeando uma busca natural por consolo nos prazeres mundanos. O relaxamento resulta diretamente da opressão dos escrúpulos, levando a uma vida espiritual desequilibrada.

Conheça a Pequena Via de Santa Teresinha.

Como identificá-los?

Assim como reconhecemos uma doença física pelos sintomas, podemos identificar os escrúpulos pelos sinais que eles apresentam, uma vez que são uma doença espiritual. Os sintomas podem ser deduzidos com base nas suas causas, apresentadas acima, desse modo, alguns sinais evidentes de escrúpulo são

  • firmeza persistente da vontade associada especialmente à desobediência;
  • forte desejo de conhecer o estado interior, saber se está em estado de graça, a alma deseja ter plena certeza se tudo que faz agrada a Deus, querendo saber mais do que Ele nos permite;
  • mudança frequente de opinião, acompanhada de inconstância e perturbação no comportamento;
  • concentração excessiva em pensamentos em questões muito pequenas e triviais, faltando com a atenção nas coisas que são realmente importantes ;
  • medo constante de cometer pecados, mesmo em ações virtuosas;
  • atitudes corporais, como aflição, jaculatórias murmuradas e gestos nervosos;
  • desejo incessante de revisitar confissões passadas para examiná-las, a fim de encontrar possíveis escrúpulos.

Esses sintomas, sem dúvida, compõem um quadro claro dos escrúpulos. Com base neles, é possível analisar e verificar se a alma está, de fato, lidando com essa condição espiritual.

O remédio para superar os escrúpulos

Uma vez que os escrúpulos afastam-nos da luz divina, distorcendo a nossa consciência, a oração emerge como o principal remédio nesse contexto, devolvendo à alma a luz de Deus. Embora o escrupuloso possa enfrentar dificuldades ao rezar, pensando que sua oração é insuficiente ou que distrações são pecados graves, retomar a oração é um caminho de humildade necessário para combater os escrúpulos.

Além disso, meditar sobre temas alegres e cultivar devoção a Nossa Senhora são práticas muito valiosas. O Rosário também torna-se um poderoso antídoto contra os escrúpulos, promovendo a reflexão sobre a fé e contribuindo para a formação de uma consciência reta. Ao contemplar os mistérios do terço, além de realizarmos um memorial da vida de Jesus, meditamos sobre diversos aspectos da nossa fé, inclusive dogmas.

mulher rezando o terço, uma ótima forma de combater os escrúpulos.

Confira aqui um guia para rezar o Rosário.

É importante também incorporar atitudes práticas que vão aos poucos eliminando os escrúpulos da alma, pois combatem os impulsos que os causam, como

  • alimentar o temor a Deus e a confiança na sua misericórdia, por meio da leitura bíblica, por exemplo;
  • evitar o ócio, as reflexões sobre os próprios escrúpulos e as conversas prolongadas com pessoas escrupulosas;
  • adotar uma boa prática de mortificação corporal;
  • evitar a timidez excessiva e o amor próprio, que se preocupa até mesmo se está ou não demonstrando aparência de pecado;
  • ter um bom diretor espiritual e obedecê-lo;
  • não trocar frequentemente de diretor nem buscar a opinião de muitas pessoas (inclusive na internet); e
  • observar o agir de pessoas virtuosas e seguir o seu proceder.

Esses são, portanto, alguns remédios que ajudam a superar os escrúpulos de forma prática e, assim, devolver à alma a luz necessária para uma verdadeira vida espiritual. Com esta luz divina, a alma desfruta de uma consciência reta, podendo até mesmo beneficiar-se das tentações — não do pecado — na sua busca pela santidade.

Saber como fazer uma boa confissão também pode ajudar a combater os escrúpulos. Confira aqui.

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Redação MBC

    O maior clube de leitores católicos do Brasil.

    Garanta seu box

    Você sabe o que são escrúpulos? Conheça os seus efeitos na nossa vida espiritual e qual o melhor remédio para combatê-los.

    Com frequência, deparamo-nos com a perda do sentido de pecado em diversas situações. O homem parece ter perdido a sensibilidade dada por Deus para discernir entre certo e errado, ou até mesmo para refletir sobre estas questões. A indiferença ao pecado acarreta sérios danos à nossa alma e à nossa vivência como filhos de Deus.

    Por outro lado, há pessoas que enfrentam uma luta interna constante, atormentadas por escrúpulos que, de maneira orgulhosa, aumentam a percepção de sua própria miséria, ignorando a misericórdia divina. Neste artigo, abordaremos o tema dos escrúpulos, explorando suas causas, sinais e impactos na vida espiritual. Além disso, veremos como enfrentar essa doença espiritual, a fim de restaurar a luz divina necessária para o cultivo de uma verdadeira vida espiritual.

    Confira um plano prático para buscar a santidade em 2024.

    O que são escrúpulos?

    Os escrúpulos são um grande desafio na vida espiritual, pois representam um problema grave de consciência. A pessoa escrupulosa muitas vezes não consegue discernir entre um pecado leve e um pecado grave. Ela confunde tentação e pecado, sendo incapaz de fazer essa distinção. A teologia explica escrúpulo como um medo exagerado de pecar, sem razão real para suspeitar de qualquer pecado.

    Apesar de não serem pecados em si, os escrúpulos podem se transformar em obstáculos à vida espiritual, desviando-nos do caminho do bem. São sentimentos distorcidos e perversos que não têm valor intelectual nem trazem benefícios espirituais. Além disso, são erroneamente associados à retidão de consciência, quando, na verdade, podem desviar a alma do caminho da santidade e da busca pela vida interior.

    O escrúpulo também está ligado ao orgulho, diferindo totalmente da delicadeza de consciência, que se baseia na razão e na tranquilidade e não causa perturbações. Os escrúpulos geram confusão e angústia na alma, levando-a para mais longe da presença de Deus.

    Conheça o papel da direção espiritual na fé católica.

    Qual é a sua causa?

    As causas dos escrúpulos podem ser três: Deus, o demônio e nós mesmos, tanto o corpo quanto a alma.

    Deus, por vezes, permite escrúpulos como uma preparação para o papel de diretor espiritual ou como uma purificação temporária, removendo a luz que nos guia. Os escrúpulos sobrenaturais, assim, desempenham papéis específicos no caminho espiritual, como a purificação de apegos excessivos à devoção sensível.

    O demônio, por sua vez, também pode ser fonte de escrúpulos ao perturbar as consciências frágeis com dúvidas e receios que paralisam. Com argumentos persistentes, esses escrúpulos podem transformar algo leve em pecado mortal, já que o demônio reconhece nisso um caminho eficaz para levar a alma ao pecado real.

    Por fim, nós mesmos, tanto na alma quanto no corpo, podemos contribuir com os escrúpulos, e essas são as causas mais comuns. Algumas delas incluem

    • incapacidade de distinguir entre tentação e pecado (consentimento);
    • orgulho oculto que leva ao apego teimoso a certas opiniões;
    • temor excessivo da justiça de Deus ou a falta de confiança na sua misericórdia;
    • desejo incontrolável de evitar até mesmo a simples aparência de pecado, querendo ter certeza absoluta se determinada ação é ou não pecado; e
    • isolamento como forma de fugir do pecado, como se a perfeição consistisse na melancolia e na solidão.
    mulher isolada no quarto, um dos efeitos dos escrúpulos.

    Quanto às causas ligadas ao corpo, duas se destacam:

    • a primeira tem origem no jeito de ser mais frio, melancólico e hipocondríaco, especialmente quando associado a austeridades corporais excessivas. A tristeza do espírito dessas pessoas parece intensificar-se com tais práticas;
    • a segunda está relacionada à fraqueza cerebral, inata ou resultante de estudos intensivos, fervor na oração ou privação exagerada de sono. Ao agir de maneira excessiva, o fiel prepara em si as próprias causas físicas do escrúpulo, sobretudo pela desobediência e obstinação.

    Vale ressaltar que o conhecimento das causas não deve gerar desespero; ao contrário, deve motivar a alma a buscar o remédio (que veremos mais adiante), depois de compreender a natureza da doença e seus efeitos.

    Está pensando em iniciar uma leitura espiritual? Saiba por onde começar.

    Qual é o risco dos escrúpulos para a vida espiritual?

    Os escrúpulos apresentam sérios riscos para a vida espiritual, manifestando-se sobretudo em três efeitos prejudiciais. Em primeiro lugar, causam cegueira espiritual, pois distorcem a percepção do bem e do mal. Ao obscurecer os limites entre tentação e pecado, a pessoa não tem mais a capacidade de discernir entre um e outro. Sendo assim, este estado de confusão paralisa o avanço espiritual.

    O segundo efeito é a falta de devoção, uma vez que os escrúpulos, sendo fontes de perturbação, comprometem a paz interior necessária para a verdadeira devoção. Enquanto a devoção requer obediência, os escrúpulos são desobedientes, enquanto a devoção é uma forma de adoração a Deus, os escrúpulos assemelham-se a uma adoração de si mesmo.

    Além disso, a devoção alimenta-se das coisas divinas, enquanto os escrúpulos corrompem essa nutrição. Eles bloqueiam a luz da oração em mentes perturbadas, chegando a interromper a ação dos sacramentos. Em algumas situações, eles também obscurecem a fé, enfraquecem a esperança e afrouxam a caridade. Os escrúpulos acarretam, portanto, efeitos prejudiciais sem proporcionar os benefícios que tentações saudáveis poderiam oferecer.

    Outro perigo dos escrúpulos para nossa vida interior é o relaxamento espiritual. Ao concentrar-se excessivamente em um ponto escrupuloso, a pessoa relaxa em outros deveres, exagerando a importância de certas ações. Este desequilíbrio surge do foco exagerado em uma obrigação específica, levando à negligência de outras. Dessa forma, os escrúpulos agem como uma tirania, desencadeando uma busca natural por consolo nos prazeres mundanos. O relaxamento resulta diretamente da opressão dos escrúpulos, levando a uma vida espiritual desequilibrada.

    Conheça a Pequena Via de Santa Teresinha.

    Como identificá-los?

    Assim como reconhecemos uma doença física pelos sintomas, podemos identificar os escrúpulos pelos sinais que eles apresentam, uma vez que são uma doença espiritual. Os sintomas podem ser deduzidos com base nas suas causas, apresentadas acima, desse modo, alguns sinais evidentes de escrúpulo são

    • firmeza persistente da vontade associada especialmente à desobediência;
    • forte desejo de conhecer o estado interior, saber se está em estado de graça, a alma deseja ter plena certeza se tudo que faz agrada a Deus, querendo saber mais do que Ele nos permite;
    • mudança frequente de opinião, acompanhada de inconstância e perturbação no comportamento;
    • concentração excessiva em pensamentos em questões muito pequenas e triviais, faltando com a atenção nas coisas que são realmente importantes ;
    • medo constante de cometer pecados, mesmo em ações virtuosas;
    • atitudes corporais, como aflição, jaculatórias murmuradas e gestos nervosos;
    • desejo incessante de revisitar confissões passadas para examiná-las, a fim de encontrar possíveis escrúpulos.

    Esses sintomas, sem dúvida, compõem um quadro claro dos escrúpulos. Com base neles, é possível analisar e verificar se a alma está, de fato, lidando com essa condição espiritual.

    O remédio para superar os escrúpulos

    Uma vez que os escrúpulos afastam-nos da luz divina, distorcendo a nossa consciência, a oração emerge como o principal remédio nesse contexto, devolvendo à alma a luz de Deus. Embora o escrupuloso possa enfrentar dificuldades ao rezar, pensando que sua oração é insuficiente ou que distrações são pecados graves, retomar a oração é um caminho de humildade necessário para combater os escrúpulos.

    Além disso, meditar sobre temas alegres e cultivar devoção a Nossa Senhora são práticas muito valiosas. O Rosário também torna-se um poderoso antídoto contra os escrúpulos, promovendo a reflexão sobre a fé e contribuindo para a formação de uma consciência reta. Ao contemplar os mistérios do terço, além de realizarmos um memorial da vida de Jesus, meditamos sobre diversos aspectos da nossa fé, inclusive dogmas.

    mulher rezando o terço, uma ótima forma de combater os escrúpulos.

    Confira aqui um guia para rezar o Rosário.

    É importante também incorporar atitudes práticas que vão aos poucos eliminando os escrúpulos da alma, pois combatem os impulsos que os causam, como

    • alimentar o temor a Deus e a confiança na sua misericórdia, por meio da leitura bíblica, por exemplo;
    • evitar o ócio, as reflexões sobre os próprios escrúpulos e as conversas prolongadas com pessoas escrupulosas;
    • adotar uma boa prática de mortificação corporal;
    • evitar a timidez excessiva e o amor próprio, que se preocupa até mesmo se está ou não demonstrando aparência de pecado;
    • ter um bom diretor espiritual e obedecê-lo;
    • não trocar frequentemente de diretor nem buscar a opinião de muitas pessoas (inclusive na internet); e
    • observar o agir de pessoas virtuosas e seguir o seu proceder.

    Esses são, portanto, alguns remédios que ajudam a superar os escrúpulos de forma prática e, assim, devolver à alma a luz necessária para uma verdadeira vida espiritual. Com esta luz divina, a alma desfruta de uma consciência reta, podendo até mesmo beneficiar-se das tentações — não do pecado — na sua busca pela santidade.

    Saber como fazer uma boa confissão também pode ajudar a combater os escrúpulos. Confira aqui.

    Redação MBC

    O maior clube de leitores católicos do Brasil.

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.