Devido à tragédia climática no RS, os prazos de entrega poderão ser afetados.
Formação

Curiosidades sobre a Bíblia: perguntas e respostas

Você já se perguntou quantos livros tem as Escrituras ou como elas se dividem? Confira neste artigo diversas curiosidades sobre a bíblia.

Curiosidades sobre a Bíblia: perguntas e respostas
Formação

Curiosidades sobre a Bíblia: perguntas e respostas

Você já se perguntou quantos livros tem as Escrituras ou como elas se dividem? Confira neste artigo diversas curiosidades sobre a bíblia.

Data da Publicação: 14/11/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC
Data da Publicação: 14/11/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC

Você já se perguntou quantos livros tem as Escrituras ou como elas se dividem? Confira neste artigo diversas curiosidades sobre a bíblia.

Já pensou na quantidade de histórias e detalhes que envolvem a Bíblia? São tantos autores, estilos de escrita, além da composição da lista dos livros. Nem todos os registros sobre a vida de Jesus se encontram na Bíblia como a conhecemos hoje. Alguém, contando com o auxílio do Espírito Santo, precisou fazer uma seleção, a fim de que somente aquilo que fosse a verdade de Cristo continuasse sendo transmitido aos fiéis.

Neste artigo, você vai descobrir várias curiosidades que permeiam a bíblia e o modo como ela foi composta ao longo do tempo. Os Santos Padres se empenharam muito na formação do cânon, para que as Sagradas Escrituras chegassem até nós da maneira que conhecemos. Assim, Santo Agostinho afirmava: “Quanto a mim, não acreditaria no Evangelho se não me movesse a isso a autoridade da Igreja católica.” 1

Curiosidades sobre a Bíblia: maior e menor livro

Qual é o maior livro da Bíblia?

O título de maior livro da Bíblia pertence ao livro dos Salmos. Os Salmos, uma coleção de orações, compõem o Saltério — “o livro em que a Palavra de Deus se torna oração do homem.” 2 Este escrito “recorda os acontecimentos salvíficos do passado, mas estende-se até à consumação da história; faz memória das promessas de Deus já realizadas, mas espera o Messias que as cumprirá definitivamente.” 3

Os Salmos se apresentam de diversas formas, como hinos, louvores, ações de graças, súplicas e cânticos, totalizando 150 composições com os mais variados temas. Além disso, eles cantam as maravilhas de Deus na história do seu povo e as experiências humanas que este mesmo povo vivia. Desse modo, ainda que narre fatos passados, o salmo “reveste-se de tal sobriedade que pode com verdade ser rezado pelos homens de qualquer condição e de todos os tempos.” 4

Qual é o menor livro da Bíblia?

O menor livro da Bíblia é a Terceira Epístola de João. Esta epístola é um dos textos mais curtos da Escritura Sagrada, com apenas 14 versículos. Ela é uma carta escrita pelo apóstolo João e procura resolver um conflito de autoridade que apareceu em uma das Igrejas da comunidade cristã primitiva, sob a autoridade de São João.

A brevidade desta epístola não diminui, portanto, a sua importância. Mesmo em seu tamanho compacto, esta carta também oferece orientações valiosas sobre a maneira como os cristãos devem apoiar e encorajar uns aos outros na fé, destacando a importância da verdade e do amor.

Você conhece a lectio divina? Descubra como é possível rezar com as Sagradas Escrituras.

Curiosidades sobre a Bíblia: livro mais antigo e mais novo

Qual é o livro mais antigo da Bíblia?

Apesar de muitos pensarem que o livro mais antigo da Bíblia é o Gênesis, talvez por narrar a criação, isso não é verdade. O livro de Jó é considerado um dos mais antigos textos escritos da Bíblia, por volta de 1400 a.C. Sua antiguidade se deve ao fato de que a história de Jó remonta a um tempo anterior à entrega das Tábuas da Lei a Moisés e à formação dos livros históricos.

O Livro de Jó é um relato profundo sobre a fé, o sofrimento e a busca por respostas diante das adversidades da vida. É a narrativa de um homem justo que enfrentou inúmeras provações e, por isso, nos ensina sobre a importância da fé e da paciência, sobretudo nas situações mais difíceis.

Qual é o mais novo da Bíblia?

Entre as curiosidades da bíblia está o fato de que o livro que compõe a última parte do Novo Testamento é o mais recente: o livro do Apocalipse. Escrito por volta de 95 d.C., foi o último livro a ser incluído no cânon bíblico e seu autor é o evangelista São João. Além disso, o Apocalipse foi escrito durante um período de perseguição aos cristãos — João estava exilado na ilha de Patmos.

Desse modo, o livro conta com visões proféticas sobre o fim dos tempos e a vitória final de Cristo sobre o mal. No entanto, sua intenção não é causar medo ou espanto nos leitores. Pelo contrário, por meio de uma linguagem cheia de sinais e símbolos, sua mensagem é de esperança e encorajamento para os fiéis. Afinal, lembra-nos de que no fim dos tempos, a justiça de Deus prevalecerá sobre todas as adversidades.

Você sabe interpretar a Bíblia? Entenda como fazer isso de forma verdadeira e segura.

Curiosidades sobre a Bíblia: quantos livros tem a Bíblia?

A Bíblia compõe-se de 76 livros. Esta lista integral chama-se “Cânon” das Escrituras. E foi a Tradição Apostólica que levou a Igreja a discernir os escritos que deveriam compor a lista de livros sagrados. 5

Conheça os três pilares da fé católica: Tradição, Magistério e Sagrada Escritura.

Quantos livros tem o Antigo Testamento?

Início do livro de Jeremias, na edição da Bíblia Sagrada da MBC. Interpretar a Bíblia, curiosidades sobre a bíblia
Início do livro de Jeremias, na edição da Bíblia Sagrada da MBC.

No Antigo Testamento encontram-se 46 dos livros sagrados: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, os dois livros de Samuel, os dois livros dos Reis, os dois livros das Crônicas, Esdras e Neemias, Tobias, Judite, Ester, os dois livros dos Macabeus, Jó, os Salmos, os Provérbios, o Eclesiastes (ou Coelet), o Cântico dos Cânticos, a Sabedoria, o livro de Ben-Sirá (ou Eclesiástico), Isaías, Jeremias, as Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oseias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miqueias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

No entanto, alguns destes livros não estão presentes em todas as bíblias. Descubra por que existe essa diferença entre as Bíblias Católica e Evangélica neste artigo.

Quantos livros tem o Novo Testamento?

Já no Novo Testamento estão os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João; os Atos dos Apóstolos; as epístolas de São Paulo: aos Romanos, primeira e segunda aos Coríntios, aos Gálatas, aos Efésios, aos Filipenses, aos Colossenses, primeira e segunda aos Tessalonicenses, primeira e segunda a Timóteo, a Tito e a Filémon. Além destes, a Epístola aos Hebreus; a Epístola de Tiago, a primeira e segunda de Pedro, as três epístolas de João, a Epístola de Judas e o Apocalipse. Estes são ao todo 27 livros.

A quantidade de livros do Novo Testamento, ao contrário do Antigo, não apresenta divergências entre as bíblias católica e evangélica.

Curiosidades sobre a Bíblia: como a Bíblia é dividida?

A Sagrada Escritura é o meio pelo qual Deus fala ao homem no modo dos homens. Pois Ele quem inspirou os autores humanos ao escrevê-la. “É tão grande a força e a virtude da Palavra de Deus, que ela se torna para a Igreja apoio e vigor e, para os filhos da Igreja, solidez da fé, alimento da alma, fonte pura e perene de vida espiritual.” 6

Desse modo, a Bíblia divide-se em duas grandes partes: Antigo e Novo Testamento. Cada uma delas possui também suas divisões — as quais você vai acompanhar a seguir.

Como o Antigo Testamento é dividido?

O Antigo Testamento divide-se em algumas categorias. São as seguintes:

  • Pentateuco: é a primeira parte do Antigo Testamento, composta por cinco livros: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Eles contêm os relatos da criação, a história dos patriarcas, a jornada do povo de Israel pelo deserto e a entrega da Lei no Monte Sinai.
  • Livros Históricos: incluem os livros de Josué, Juízes, Rute, os dois livros de Samuel, os dois livros de Reis, os dois de Crônicas, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester e os dois livros de Macabeus. Eles narram a história do povo de Israel desde a conquista da Terra Prometida até os eventos que levaram ao exílio babilônico.
  • Livros Sapienciais: são sete, Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Sabedoria e Eclesiástico. Eles apresentam conselhos de sabedoria e ensinamentos sobre a conduta, a moral e a relação com Deus. São uma fonte valiosa de orientação para a nossa vida cotidiana.
  • Livros Proféticos: incluem os livros de Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel , Oséias, Joel , Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias. Eles contêm mensagens de advertência, consolo e orientação divina transmitidas pelos profetas.

Saiba mais sobre a origem, a divisão e os principais temas do Antigo Testamento.

Como o Novo Testamento é dividido?

O Novo Testamento também se divide em quatro categorias principais: Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Cartas (ou Epístolas) e o Livro do Apocalipse.

  • Evangelhos: o Novo Testamento começa com os quatro Evangelhos, que são Mateus, Marcos, Lucas e João. Eles relatam a vida, os ensinamentos, os milagres, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo, cada um com uma perspectiva única.
  • Atos dos Apóstolos: o Livro de Atos descreve os eventos que se seguiram à ressurreição de Cristo, incluindo a expansão do cristianismo, as ações dos apóstolos e a formação das primeiras comunidades cristãs.
  • Cartas ou Epístolas: escritas por apóstolos como Paulo, Pedro, Tiago, João e Judas, elas se dirigem a indivíduos ou comunidades cristãs. Além disso, oferecem ensinamentos, exortações e encorajamento espiritual para os fiéis de qualquer época — inclusive para cada um de nós.
  • Livro do Apocalipse: é o último livro do Novo Testamento e contém visões proféticas sobre o fim dos tempos e a vitória final de Cristo sobre o mal. No entanto, sua mensagem é de esperança.

Conheça os evangelistas Mateus e Lucas, bem como seus escritos.

Outras curiosidades sobre a Bíblia:

Em quais idiomas a Bíblia foi escrita?

Entre as curiosidades da Bíblia, destaca-se o fato de que seus autores a escreveram originalmente em três idiomas:

  1. Hebraico: os autores escreveram a maior parte do Antigo Testamento em hebraico antigo. Isso inclui o Pentateuco, os Livros Históricos, os Livros Proféticos e parte dos Livros Sapienciais.
  2. Aramaico: os escritores usaram o aramaico para compor alguns trechos do Antigo Testamento, especialmente nos Livros de Daniel e Esdras. Isso ocorreu durante o exílio babilônico e reflete a influência dessa língua na região.
  3. Grego: os autores do Novo Testamento o escreveram em grego. Eles compuseram os Evangelhos, as Epístolas e o Livro do Apocalipse nesse idioma, o que possibilitou uma ampla disseminação da mensagem de Jesus Cristo na época.

O que significa o termo Bíblia é uma das principais curiosidades sobre a Bíblia

O que significa “Bíblia?”. A palavra “Bíblia” tem suas raízes na língua grega e deriva do termo “biblos” ou “biblion”, que se refere a um rolo de papiro ou a um livro. Esse termo, por sua vez, tem origem na cidade de Biblos, que era conhecida na antiguidade por ser um centro de comércio de papiros e outros materiais para escrita.

No entanto, com o tempo, a palavra “Bíblia” passou a designar não apenas um livro, mas sim uma coleção de livros sagrados para os cristãos, abrangendo o Antigo e o Novo Testamento.

Por que setembro é o mês da Bíblia?

Por que a Bíblia não está em ordem cronológica?

Sem dúvida, outra questão entre as curiosidades da bíblia é que sua estrutura não é cronológica. E existem algumas razões para que ela tenha esta organização específica.

Detalhe na capa do livro de Jonas da Bíblia Sagrada da MBC.
Detalhe na capa do livro de Jonas da Bíblia Sagrada da MBC.

A Bíblia organiza seus livros com base em temas e gêneros, não seguindo estritamente uma linha do tempo. Ela os agrupa em categorias como história, poesia, profecia, ensinamentos e cartas, o que auxilia os leitores a encontrar histórias e ensinamentos relevantes de maneira mais eficaz.

Além disso, a Bíblia é, em primeiro lugar, uma obra teológica. Sua organização tem o objetivo de transmitir a verdade de Cristo para a nossa salvação, e isso é mais importante que uma narrativa estritamente histórica e cronológica.

A organização não linear destaca também conselhos espirituais atemporais. Desse modo, os eventos podem não seguir uma sequência linear, mas isso não impede que os leitores apliquem os ensinamentos de Cristo em diferentes contextos de suas vidas em qualquer época. O intuito é conhecer a Cristo e imitá-lo.

A disposição dos livros da Bíblia também teve influência da Tradição da Igreja e da aceitação dos escritos ao longo do tempo. Tudo isso resultou na ordem tradicional dos livros que conhecemos hoje.

Quando os livros da Bíblia foram definidos?

Antes de tudo, é importante lembrar que o longo processo de definição do Cânon das Sagradas Escrituras não foi um evento isolado, mas sim um desenvolvimento histórico que envolveu a Tradição da Igreja e o Magistério. Estes dois, juntamente com a Sagrada Escritura, formam os três pilares da fé católica.

Desse modo, a Igreja Católica desempenhou um papel fundamental na decisão de quais livros seriam os verdadeiramente inspirados e dignos de compor as Escrituras Sagradas. Sem dúvida, isso não poderia acontecer do dia para noite. Esse processo histórico e documentado revela a sabedoria e a orientação divina no estabelecimento da lista canônica, proporcionando uma base sólida para a fé.

O processo de definição dos livros do Novo Testamento, por exemplo, estendeu-se ao longo dos primeiros séculos da era cristã. Durante o período neotestamentário (c. 35-90 d.C.), não havia um consenso formal sobre quais escritos eram canônicos. Os Padres Apostólicos (90-160 d.C.) testemunharam uma aceitação gradual de alguns livros, mas persistiam ainda algumas divergências. 7

A consciência de um cânone emergiu de maneira mais clara no final do século II, com figuras como Tertuliano e Clemente de Alexandria usando pela primeira vez a expressão “Novo Testamento”. No Concílio de Nicéia (325), ocorreram questionamentos sobre a canonicidade de certos livros, como “Tiago” e “II Pedro”. Somente por volta de 397 d.C., durante o Concílio de Cartago, a autoridade da Igreja fechou o cânone do Novo Testamento, sendo Atanásio o primeiro a listar os 27 livros atuais, em 367. 7

A melhor Bíblia Católica

Para auxiliar a sua leitura bíblica e enriquecer o seu conhecimento da Palavra de Deus, a Bíblia da MBC é uma preciosa companhia. Cada página é enriquecida com a sabedoria dos Santos Padres da Igreja, oferecendo mais de 3.500 comentários patrísticos e quase 9.000 notas de rodapé originais.

Biblia da MBC, com comentários dos Santos Padres para ajudar a interpretar a Bíblia, curiosidades sobre a bíblia

Essa compilação inédita não apenas ampliará seu entendimento sobre a mensagem divina transmitida pelos autores, mas também lançará luz sobre a maneira como os livros foram escritos e compostos ao longo dos tempos.

Além disso, ela conta com recursos valiosos, como referências cruzadas em todo o texto, sumários, introduções em todos os livros, mapas ilustrativos, biografias de personagens, índice temático — e muito mais —, tornando a sua experiência de leitura e oração muito mais rica. Sem dúvida, esta Bíblia também responderá muitas outras curiosidades.

A Bíblia da MBC oferece uma verdadeira imersão espiritual e histórica, permitindo que você se oriente por fontes sólidas e ricas, enquanto segura em mãos uma obra de singular beleza: uma catedral materializada em forma editorial.

Conheça a Bíblia da MBC e torne a sua experiência de leitura muito mais rica.



Referências

  1. CIC, 119[]
  2. CIC, 2587[]
  3. CIC, 2586[]
  4. CIC, 2588[]
  5. CIC, 120[]
  6. CIC, 131[]
  7. IN PULVEREM REVERTERIS. O cânone do Novo Testamento e seus processos históricos (Dave Armstrong).[][]

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Avatar

    Redação MBC

    O que você vai encontrar neste artigo?

    Você já se perguntou quantos livros tem as Escrituras ou como elas se dividem? Confira neste artigo diversas curiosidades sobre a bíblia.

    Já pensou na quantidade de histórias e detalhes que envolvem a Bíblia? São tantos autores, estilos de escrita, além da composição da lista dos livros. Nem todos os registros sobre a vida de Jesus se encontram na Bíblia como a conhecemos hoje. Alguém, contando com o auxílio do Espírito Santo, precisou fazer uma seleção, a fim de que somente aquilo que fosse a verdade de Cristo continuasse sendo transmitido aos fiéis.

    Neste artigo, você vai descobrir várias curiosidades que permeiam a bíblia e o modo como ela foi composta ao longo do tempo. Os Santos Padres se empenharam muito na formação do cânon, para que as Sagradas Escrituras chegassem até nós da maneira que conhecemos. Assim, Santo Agostinho afirmava: “Quanto a mim, não acreditaria no Evangelho se não me movesse a isso a autoridade da Igreja católica.” 1

    Curiosidades sobre a Bíblia: maior e menor livro

    Qual é o maior livro da Bíblia?

    O título de maior livro da Bíblia pertence ao livro dos Salmos. Os Salmos, uma coleção de orações, compõem o Saltério — “o livro em que a Palavra de Deus se torna oração do homem.” 2 Este escrito “recorda os acontecimentos salvíficos do passado, mas estende-se até à consumação da história; faz memória das promessas de Deus já realizadas, mas espera o Messias que as cumprirá definitivamente.” 3

    Os Salmos se apresentam de diversas formas, como hinos, louvores, ações de graças, súplicas e cânticos, totalizando 150 composições com os mais variados temas. Além disso, eles cantam as maravilhas de Deus na história do seu povo e as experiências humanas que este mesmo povo vivia. Desse modo, ainda que narre fatos passados, o salmo “reveste-se de tal sobriedade que pode com verdade ser rezado pelos homens de qualquer condição e de todos os tempos.” 4

    Qual é o menor livro da Bíblia?

    O menor livro da Bíblia é a Terceira Epístola de João. Esta epístola é um dos textos mais curtos da Escritura Sagrada, com apenas 14 versículos. Ela é uma carta escrita pelo apóstolo João e procura resolver um conflito de autoridade que apareceu em uma das Igrejas da comunidade cristã primitiva, sob a autoridade de São João.

    A brevidade desta epístola não diminui, portanto, a sua importância. Mesmo em seu tamanho compacto, esta carta também oferece orientações valiosas sobre a maneira como os cristãos devem apoiar e encorajar uns aos outros na fé, destacando a importância da verdade e do amor.

    Você conhece a lectio divina? Descubra como é possível rezar com as Sagradas Escrituras.

    Curiosidades sobre a Bíblia: livro mais antigo e mais novo

    Qual é o livro mais antigo da Bíblia?

    Apesar de muitos pensarem que o livro mais antigo da Bíblia é o Gênesis, talvez por narrar a criação, isso não é verdade. O livro de Jó é considerado um dos mais antigos textos escritos da Bíblia, por volta de 1400 a.C. Sua antiguidade se deve ao fato de que a história de Jó remonta a um tempo anterior à entrega das Tábuas da Lei a Moisés e à formação dos livros históricos.

    O Livro de Jó é um relato profundo sobre a fé, o sofrimento e a busca por respostas diante das adversidades da vida. É a narrativa de um homem justo que enfrentou inúmeras provações e, por isso, nos ensina sobre a importância da fé e da paciência, sobretudo nas situações mais difíceis.

    Qual é o mais novo da Bíblia?

    Entre as curiosidades da bíblia está o fato de que o livro que compõe a última parte do Novo Testamento é o mais recente: o livro do Apocalipse. Escrito por volta de 95 d.C., foi o último livro a ser incluído no cânon bíblico e seu autor é o evangelista São João. Além disso, o Apocalipse foi escrito durante um período de perseguição aos cristãos — João estava exilado na ilha de Patmos.

    Desse modo, o livro conta com visões proféticas sobre o fim dos tempos e a vitória final de Cristo sobre o mal. No entanto, sua intenção não é causar medo ou espanto nos leitores. Pelo contrário, por meio de uma linguagem cheia de sinais e símbolos, sua mensagem é de esperança e encorajamento para os fiéis. Afinal, lembra-nos de que no fim dos tempos, a justiça de Deus prevalecerá sobre todas as adversidades.

    Você sabe interpretar a Bíblia? Entenda como fazer isso de forma verdadeira e segura.

    Curiosidades sobre a Bíblia: quantos livros tem a Bíblia?

    A Bíblia compõe-se de 76 livros. Esta lista integral chama-se “Cânon” das Escrituras. E foi a Tradição Apostólica que levou a Igreja a discernir os escritos que deveriam compor a lista de livros sagrados. 5

    Conheça os três pilares da fé católica: Tradição, Magistério e Sagrada Escritura.

    Quantos livros tem o Antigo Testamento?

    Início do livro de Jeremias, na edição da Bíblia Sagrada da MBC. Interpretar a Bíblia, curiosidades sobre a bíblia
    Início do livro de Jeremias, na edição da Bíblia Sagrada da MBC.

    No Antigo Testamento encontram-se 46 dos livros sagrados: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, os dois livros de Samuel, os dois livros dos Reis, os dois livros das Crônicas, Esdras e Neemias, Tobias, Judite, Ester, os dois livros dos Macabeus, Jó, os Salmos, os Provérbios, o Eclesiastes (ou Coelet), o Cântico dos Cânticos, a Sabedoria, o livro de Ben-Sirá (ou Eclesiástico), Isaías, Jeremias, as Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oseias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miqueias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

    No entanto, alguns destes livros não estão presentes em todas as bíblias. Descubra por que existe essa diferença entre as Bíblias Católica e Evangélica neste artigo.

    Quantos livros tem o Novo Testamento?

    Já no Novo Testamento estão os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João; os Atos dos Apóstolos; as epístolas de São Paulo: aos Romanos, primeira e segunda aos Coríntios, aos Gálatas, aos Efésios, aos Filipenses, aos Colossenses, primeira e segunda aos Tessalonicenses, primeira e segunda a Timóteo, a Tito e a Filémon. Além destes, a Epístola aos Hebreus; a Epístola de Tiago, a primeira e segunda de Pedro, as três epístolas de João, a Epístola de Judas e o Apocalipse. Estes são ao todo 27 livros.

    A quantidade de livros do Novo Testamento, ao contrário do Antigo, não apresenta divergências entre as bíblias católica e evangélica.

    Curiosidades sobre a Bíblia: como a Bíblia é dividida?

    A Sagrada Escritura é o meio pelo qual Deus fala ao homem no modo dos homens. Pois Ele quem inspirou os autores humanos ao escrevê-la. “É tão grande a força e a virtude da Palavra de Deus, que ela se torna para a Igreja apoio e vigor e, para os filhos da Igreja, solidez da fé, alimento da alma, fonte pura e perene de vida espiritual.” 6

    Desse modo, a Bíblia divide-se em duas grandes partes: Antigo e Novo Testamento. Cada uma delas possui também suas divisões — as quais você vai acompanhar a seguir.

    Como o Antigo Testamento é dividido?

    O Antigo Testamento divide-se em algumas categorias. São as seguintes:

    • Pentateuco: é a primeira parte do Antigo Testamento, composta por cinco livros: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Eles contêm os relatos da criação, a história dos patriarcas, a jornada do povo de Israel pelo deserto e a entrega da Lei no Monte Sinai.
    • Livros Históricos: incluem os livros de Josué, Juízes, Rute, os dois livros de Samuel, os dois livros de Reis, os dois de Crônicas, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester e os dois livros de Macabeus. Eles narram a história do povo de Israel desde a conquista da Terra Prometida até os eventos que levaram ao exílio babilônico.
    • Livros Sapienciais: são sete, Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Sabedoria e Eclesiástico. Eles apresentam conselhos de sabedoria e ensinamentos sobre a conduta, a moral e a relação com Deus. São uma fonte valiosa de orientação para a nossa vida cotidiana.
    • Livros Proféticos: incluem os livros de Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel , Oséias, Joel , Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias. Eles contêm mensagens de advertência, consolo e orientação divina transmitidas pelos profetas.

    Saiba mais sobre a origem, a divisão e os principais temas do Antigo Testamento.

    Como o Novo Testamento é dividido?

    O Novo Testamento também se divide em quatro categorias principais: Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Cartas (ou Epístolas) e o Livro do Apocalipse.

    • Evangelhos: o Novo Testamento começa com os quatro Evangelhos, que são Mateus, Marcos, Lucas e João. Eles relatam a vida, os ensinamentos, os milagres, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo, cada um com uma perspectiva única.
    • Atos dos Apóstolos: o Livro de Atos descreve os eventos que se seguiram à ressurreição de Cristo, incluindo a expansão do cristianismo, as ações dos apóstolos e a formação das primeiras comunidades cristãs.
    • Cartas ou Epístolas: escritas por apóstolos como Paulo, Pedro, Tiago, João e Judas, elas se dirigem a indivíduos ou comunidades cristãs. Além disso, oferecem ensinamentos, exortações e encorajamento espiritual para os fiéis de qualquer época — inclusive para cada um de nós.
    • Livro do Apocalipse: é o último livro do Novo Testamento e contém visões proféticas sobre o fim dos tempos e a vitória final de Cristo sobre o mal. No entanto, sua mensagem é de esperança.

    Conheça os evangelistas Mateus e Lucas, bem como seus escritos.

    Outras curiosidades sobre a Bíblia:

    Em quais idiomas a Bíblia foi escrita?

    Entre as curiosidades da Bíblia, destaca-se o fato de que seus autores a escreveram originalmente em três idiomas:

    1. Hebraico: os autores escreveram a maior parte do Antigo Testamento em hebraico antigo. Isso inclui o Pentateuco, os Livros Históricos, os Livros Proféticos e parte dos Livros Sapienciais.
    2. Aramaico: os escritores usaram o aramaico para compor alguns trechos do Antigo Testamento, especialmente nos Livros de Daniel e Esdras. Isso ocorreu durante o exílio babilônico e reflete a influência dessa língua na região.
    3. Grego: os autores do Novo Testamento o escreveram em grego. Eles compuseram os Evangelhos, as Epístolas e o Livro do Apocalipse nesse idioma, o que possibilitou uma ampla disseminação da mensagem de Jesus Cristo na época.

    O que significa o termo Bíblia é uma das principais curiosidades sobre a Bíblia

    O que significa “Bíblia?”. A palavra “Bíblia” tem suas raízes na língua grega e deriva do termo “biblos” ou “biblion”, que se refere a um rolo de papiro ou a um livro. Esse termo, por sua vez, tem origem na cidade de Biblos, que era conhecida na antiguidade por ser um centro de comércio de papiros e outros materiais para escrita.

    No entanto, com o tempo, a palavra “Bíblia” passou a designar não apenas um livro, mas sim uma coleção de livros sagrados para os cristãos, abrangendo o Antigo e o Novo Testamento.

    Por que setembro é o mês da Bíblia?

    Por que a Bíblia não está em ordem cronológica?

    Sem dúvida, outra questão entre as curiosidades da bíblia é que sua estrutura não é cronológica. E existem algumas razões para que ela tenha esta organização específica.

    Detalhe na capa do livro de Jonas da Bíblia Sagrada da MBC.
    Detalhe na capa do livro de Jonas da Bíblia Sagrada da MBC.

    A Bíblia organiza seus livros com base em temas e gêneros, não seguindo estritamente uma linha do tempo. Ela os agrupa em categorias como história, poesia, profecia, ensinamentos e cartas, o que auxilia os leitores a encontrar histórias e ensinamentos relevantes de maneira mais eficaz.

    Além disso, a Bíblia é, em primeiro lugar, uma obra teológica. Sua organização tem o objetivo de transmitir a verdade de Cristo para a nossa salvação, e isso é mais importante que uma narrativa estritamente histórica e cronológica.

    A organização não linear destaca também conselhos espirituais atemporais. Desse modo, os eventos podem não seguir uma sequência linear, mas isso não impede que os leitores apliquem os ensinamentos de Cristo em diferentes contextos de suas vidas em qualquer época. O intuito é conhecer a Cristo e imitá-lo.

    A disposição dos livros da Bíblia também teve influência da Tradição da Igreja e da aceitação dos escritos ao longo do tempo. Tudo isso resultou na ordem tradicional dos livros que conhecemos hoje.

    Quando os livros da Bíblia foram definidos?

    Antes de tudo, é importante lembrar que o longo processo de definição do Cânon das Sagradas Escrituras não foi um evento isolado, mas sim um desenvolvimento histórico que envolveu a Tradição da Igreja e o Magistério. Estes dois, juntamente com a Sagrada Escritura, formam os três pilares da fé católica.

    Desse modo, a Igreja Católica desempenhou um papel fundamental na decisão de quais livros seriam os verdadeiramente inspirados e dignos de compor as Escrituras Sagradas. Sem dúvida, isso não poderia acontecer do dia para noite. Esse processo histórico e documentado revela a sabedoria e a orientação divina no estabelecimento da lista canônica, proporcionando uma base sólida para a fé.

    O processo de definição dos livros do Novo Testamento, por exemplo, estendeu-se ao longo dos primeiros séculos da era cristã. Durante o período neotestamentário (c. 35-90 d.C.), não havia um consenso formal sobre quais escritos eram canônicos. Os Padres Apostólicos (90-160 d.C.) testemunharam uma aceitação gradual de alguns livros, mas persistiam ainda algumas divergências. 7

    A consciência de um cânone emergiu de maneira mais clara no final do século II, com figuras como Tertuliano e Clemente de Alexandria usando pela primeira vez a expressão “Novo Testamento”. No Concílio de Nicéia (325), ocorreram questionamentos sobre a canonicidade de certos livros, como “Tiago” e “II Pedro”. Somente por volta de 397 d.C., durante o Concílio de Cartago, a autoridade da Igreja fechou o cânone do Novo Testamento, sendo Atanásio o primeiro a listar os 27 livros atuais, em 367. 7

    A melhor Bíblia Católica

    Para auxiliar a sua leitura bíblica e enriquecer o seu conhecimento da Palavra de Deus, a Bíblia da MBC é uma preciosa companhia. Cada página é enriquecida com a sabedoria dos Santos Padres da Igreja, oferecendo mais de 3.500 comentários patrísticos e quase 9.000 notas de rodapé originais.

    Biblia da MBC, com comentários dos Santos Padres para ajudar a interpretar a Bíblia, curiosidades sobre a bíblia

    Essa compilação inédita não apenas ampliará seu entendimento sobre a mensagem divina transmitida pelos autores, mas também lançará luz sobre a maneira como os livros foram escritos e compostos ao longo dos tempos.

    Além disso, ela conta com recursos valiosos, como referências cruzadas em todo o texto, sumários, introduções em todos os livros, mapas ilustrativos, biografias de personagens, índice temático — e muito mais —, tornando a sua experiência de leitura e oração muito mais rica. Sem dúvida, esta Bíblia também responderá muitas outras curiosidades.

    A Bíblia da MBC oferece uma verdadeira imersão espiritual e histórica, permitindo que você se oriente por fontes sólidas e ricas, enquanto segura em mãos uma obra de singular beleza: uma catedral materializada em forma editorial.

    Conheça a Bíblia da MBC e torne a sua experiência de leitura muito mais rica.



    Referências

    1. CIC, 119[]
    2. CIC, 2587[]
    3. CIC, 2586[]
    4. CIC, 2588[]
    5. CIC, 120[]
    6. CIC, 131[]
    7. IN PULVEREM REVERTERIS. O cânone do Novo Testamento e seus processos históricos (Dave Armstrong).[][]
    Avatar

    Redação MBC

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.