Devido à tragédia climática no RS, os prazos de entrega poderão ser afetados.
Formação

Lectio Divina: o que é e como fazê-la?

Como você lê a Bíblia? Confira neste artigo a lectio divina, uma antiga prática da Igreja que nos ensina a rezar com as Sagradas Escrituras.

Lectio Divina: o que é e como fazê-la?
Formação

Lectio Divina: o que é e como fazê-la?

Como você lê a Bíblia? Confira neste artigo a lectio divina, uma antiga prática da Igreja que nos ensina a rezar com as Sagradas Escrituras.

Data da Publicação: 10/11/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC
Data da Publicação: 10/11/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC

Como você lê a Bíblia? Confira neste artigo a lectio divina, uma antiga prática da Igreja que nos ensina a rezar com as Sagradas Escrituras.

A leitura das Sagradas Escrituras é fundamental para conhecermos a vida de Cristo, seu plano de salvação e sua vontade. No entanto, não basta ler, é necessário que essas palavras evoluam para a oração e, por fim, para uma transformação de vida — uma verdadeira conversão.

Mas você já tentou ler alguma passagem bíblica e não entendeu? Muitas vezes, o desafio reside em como interpretar e aplicar a Palavra de Deus em nossa vida cotidiana. Neste artigo, você vai descobrir uma valiosa prática da Igreja que orienta a leitura das Sagradas Escrituras, ensinando não apenas a compreendê-las, mas também a transformá-las em uma experiência de oração e incorporá-las de forma prática em nossas vidas.

O que é a lectio divina?

A lectio divina é uma antiga prática da Igreja e representa uma forma tradicional de ler as Sagradas Escrituras. A expressão latina Lectio Divina sugere uma leitura orante da Palavra de Deus, uma maneira profunda e significativa de se relacionar intimamente com o Senhor.

Ao realizar a Lectio Divina, não nos vemos simplesmente como leitores de um documento histórico, mas como participantes de um diálogo com o próprio Deus. Esta leitura não é uma atividade acadêmica, mas uma postura de escuta atenta, onde Deus se comunica diretamente conosco. Nesse sentido, a Palavra de Deus é uma mensagem viva, uma comunicação pessoal endereçada a cada um de nós.

Desdobrando-se em quatro fases dinâmicas, a lectio divina vai além da simples leitura das Escrituras, tornando-se uma verdadeira escola de oração para os cristãos. Nesse contexto, a oração é vista como uma resposta amorosa a Deus, que toma a iniciativa de se comunicar conosco.

O cerne desta prática está, portanto, no diálogo com Deus: lemos Sua Palavra, falamos com Ele e, em seguida, nos recolhemos para escutar, buscando aplicar em nossa vida o que Ele nos ensina.

Conheça os três pilares da Fé Católica: Tradição, Magistério e Sagrada Escritura.

Os 4 passos da lectio divina

Leitura

O primeiro passo na Lectio Divina é a leitura das Sagradas Escrituras. No entanto, não se trata de uma leitura comum, pois estamos diante da Palavra do próprio Deus, que se comunica diretamente ao nosso coração. Essa leitura é o meio pelo qual nos conectamos ao Cristo Ressuscitado e à Sua vida.

As Escrituras representam a voz viva de Deus, o Verbo Encarnado que se dirige a cada um de nós. Portanto, é fundamental fazer essa leitura de modo espiritual, reconhecendo que as palavras têm um significado profundo e nos conduzem à presença de Cristo.

É importante neste momento imaginar-se naquela cena descrita pela Palavra — o ambiente, os personagens, os diálogos etc. — e observar tudo o que está acontecendo como se estivesse lá. Além disso, é valioso memorizar certos trechos para meditar ao longo do dia. Pois a Palavra de Deus nutre nossa alma com um vigor espiritual e ilumina nosso caminho diário.

Meditação

Após a leitura, a meditação é o estágio em que a mensagem divina é internalizada. Ao memorizar trechos específicos, facilita-se a meditação, permitindo que a verdade divina ilumine a alma. Esse processo envolve uma escuta atenta à voz de Deus, em busca da verdade do amor de Cristo, que ressoa nas Escrituras.

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, “a meditação é sobretudo uma busca. O espírito procura compreender o porquê e o como da vida cristã, para aderir e corresponder ao que o Senhor lhe pede.” 1

Na meditação, não se busca sentimentos, mas a verdade divina. Reconhecemos que o Cristo dos Evangelhos pensava em nós enquanto falava ou realizava milagres, portanto, este trecho das Escrituras torna-se um encontro pessoal com a voz de Deus: “o que Ele está dizendo a mim?”. Sendo assim, é o momento também de confrontar a Palavra divina com a própria vida 2, guiados pela iluminação do Espírito Santo.

Só é possível dar uma resposta a Deus quando se compreende o que Ele pede de maneira direta. Embora a Palavra de Deus seja para toda a humanidade, na meditação da lectio divina, busca-se entender o que o Senhor quer comunicar a cada um, individualmente, através da Sua Palavra.

Aprenda como interpretar a Bíblia.

Oração

No terceiro estágio, a oração emerge como uma resposta à verdade assimilada na meditação. A Palavra de Deus se converte em expressões de fé, esperança e caridade, tornando-se um veículo para manifestar o amor por Cristo. Nesse diálogo pessoal, as palavras não precisam ser rebuscadas; basta proferir frases simples como “Senhor, eu creio em Ti” ou “Senhor, desejo amar-Te, concede-me a graça”.

A oração vocal transforma-se em um canal para pedir a graça de crer na mensagem divina, corresponder ao amor de Deus e amá-lo verdadeiramente. A oração é um diálogo no qual se expressam as necessidades, mesmo sabendo que o Senhor as conhece. É o momento de pedir o que for necessário — amor, paciência, força, alegria, fé —, com base naquilo que o Senhor revelou durante a meditação.

O objetivo dessa oração é ser uma resposta que não se limite a palavras, mas resulte em um compromisso com Deus, a fim de gerar uma verdadeira mudança de vida — a partir da descoberta da verdade contida na Palavra de Deus.

Contemplação

Por fim, atinge-se a contemplação, é o momento de permanecer na presença amorosa de Deus. Nesse estágio da lectio divina, não há mais palavras; trata-se de um silêncio repleto de significado. Após a leitura, a meditação e a oração, recolhemo-nos na presença ativa de Deus. É o momento de Cristo agir na alma agitada que se aquieta.

Assim como o discípulo João que se reclinou no peito do mestre, permanecemos em comunhão íntima. Nesse estado contemplativo, é possível experimentar a presença de Deus — lembrando que isso não significa sentir — como uma luz divina que ilumina a compreensão e revela o conhecimento do Seu amor constante em suas vidas.

A contemplação é adentrar no mistério de Cristo, Santa Teresa a resume nestas palavras: “Outra coisa não é, a meu parecer, oração mental, senão tratar de amizade — estando muitas vezes tratando a sós — com Quem sabemos que nos ama.” 3

Confira por que setembro é o mês dedicado à Bíblia.

Uma Bíblia que auxilia a lectio divina

A lectio divina é, portanto, um meio eficaz de ouvir a palavra de Deus e traduzi-la em orações e atitudes em nossa vida diária, a fim de nos aproximarmos de Cristo e nos assemelharmos a Ele — o que é nossa missão de santidade. Sem dúvida, ao realizar bem cada passo da lectio divina, a vida do cristão começa a se transformar, pois o conhecimento de Deus abre os nossos olhos e a presença de Deus age em nossa alma.

A Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração. 4

Para auxiliar na realização dessa prática orante, a Bíblia da Minha Biblioteca Católica é um guia excepcional. Ela é inteiramente comentada pelos Santos Padres da Igreja, proporcionando uma leitura espiritual e um entendimento mais profundo.

Ao oferecer mais de 3.500 comentários patrísticos, esta obra permite aos fiéis mergulhar na sabedoria daqueles que dedicaram suas vidas ao estudo das Escrituras. Além disso, são mais de 8.500 notas de rodapé originais, referências cruzadas e índices temáticos que tornam a experiência da lectio divina mais rica e esclarecedora.

A bíblia da MBC, um ótimo instrumento para fazer a lectio divina.

A Bíblia da MBC não apenas conta a história, mas também aprofunda o entendimento, conecta passagens e contextos, facilitando a compreensão da Palavra de Deus. Com recursos como sumários específicos, introduções detalhadas, mapas ilustrativos e um lecionário dominical, ela se torna uma aliada valiosa para quem busca aprofundar sua relação com as Escrituras por meio da lectio divina.

Saiba mais sobre a Bíblia da MBC e mergulhe numa experiência única de fé e conhecimento.

Referências

  1. CIC, 2705[]
  2. CIC, 2706[]
  3. CIC, 2709[]
  4. Hb 4, 12[]

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Avatar

    Redação MBC

    Como você lê a Bíblia? Confira neste artigo a lectio divina, uma antiga prática da Igreja que nos ensina a rezar com as Sagradas Escrituras.

    A leitura das Sagradas Escrituras é fundamental para conhecermos a vida de Cristo, seu plano de salvação e sua vontade. No entanto, não basta ler, é necessário que essas palavras evoluam para a oração e, por fim, para uma transformação de vida — uma verdadeira conversão.

    Mas você já tentou ler alguma passagem bíblica e não entendeu? Muitas vezes, o desafio reside em como interpretar e aplicar a Palavra de Deus em nossa vida cotidiana. Neste artigo, você vai descobrir uma valiosa prática da Igreja que orienta a leitura das Sagradas Escrituras, ensinando não apenas a compreendê-las, mas também a transformá-las em uma experiência de oração e incorporá-las de forma prática em nossas vidas.

    O que é a lectio divina?

    A lectio divina é uma antiga prática da Igreja e representa uma forma tradicional de ler as Sagradas Escrituras. A expressão latina Lectio Divina sugere uma leitura orante da Palavra de Deus, uma maneira profunda e significativa de se relacionar intimamente com o Senhor.

    Ao realizar a Lectio Divina, não nos vemos simplesmente como leitores de um documento histórico, mas como participantes de um diálogo com o próprio Deus. Esta leitura não é uma atividade acadêmica, mas uma postura de escuta atenta, onde Deus se comunica diretamente conosco. Nesse sentido, a Palavra de Deus é uma mensagem viva, uma comunicação pessoal endereçada a cada um de nós.

    Desdobrando-se em quatro fases dinâmicas, a lectio divina vai além da simples leitura das Escrituras, tornando-se uma verdadeira escola de oração para os cristãos. Nesse contexto, a oração é vista como uma resposta amorosa a Deus, que toma a iniciativa de se comunicar conosco.

    O cerne desta prática está, portanto, no diálogo com Deus: lemos Sua Palavra, falamos com Ele e, em seguida, nos recolhemos para escutar, buscando aplicar em nossa vida o que Ele nos ensina.

    Conheça os três pilares da Fé Católica: Tradição, Magistério e Sagrada Escritura.

    Os 4 passos da lectio divina

    Leitura

    O primeiro passo na Lectio Divina é a leitura das Sagradas Escrituras. No entanto, não se trata de uma leitura comum, pois estamos diante da Palavra do próprio Deus, que se comunica diretamente ao nosso coração. Essa leitura é o meio pelo qual nos conectamos ao Cristo Ressuscitado e à Sua vida.

    As Escrituras representam a voz viva de Deus, o Verbo Encarnado que se dirige a cada um de nós. Portanto, é fundamental fazer essa leitura de modo espiritual, reconhecendo que as palavras têm um significado profundo e nos conduzem à presença de Cristo.

    É importante neste momento imaginar-se naquela cena descrita pela Palavra — o ambiente, os personagens, os diálogos etc. — e observar tudo o que está acontecendo como se estivesse lá. Além disso, é valioso memorizar certos trechos para meditar ao longo do dia. Pois a Palavra de Deus nutre nossa alma com um vigor espiritual e ilumina nosso caminho diário.

    Meditação

    Após a leitura, a meditação é o estágio em que a mensagem divina é internalizada. Ao memorizar trechos específicos, facilita-se a meditação, permitindo que a verdade divina ilumine a alma. Esse processo envolve uma escuta atenta à voz de Deus, em busca da verdade do amor de Cristo, que ressoa nas Escrituras.

    De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, “a meditação é sobretudo uma busca. O espírito procura compreender o porquê e o como da vida cristã, para aderir e corresponder ao que o Senhor lhe pede.” 1

    Na meditação, não se busca sentimentos, mas a verdade divina. Reconhecemos que o Cristo dos Evangelhos pensava em nós enquanto falava ou realizava milagres, portanto, este trecho das Escrituras torna-se um encontro pessoal com a voz de Deus: “o que Ele está dizendo a mim?”. Sendo assim, é o momento também de confrontar a Palavra divina com a própria vida 2, guiados pela iluminação do Espírito Santo.

    Só é possível dar uma resposta a Deus quando se compreende o que Ele pede de maneira direta. Embora a Palavra de Deus seja para toda a humanidade, na meditação da lectio divina, busca-se entender o que o Senhor quer comunicar a cada um, individualmente, através da Sua Palavra.

    Aprenda como interpretar a Bíblia.

    Oração

    No terceiro estágio, a oração emerge como uma resposta à verdade assimilada na meditação. A Palavra de Deus se converte em expressões de fé, esperança e caridade, tornando-se um veículo para manifestar o amor por Cristo. Nesse diálogo pessoal, as palavras não precisam ser rebuscadas; basta proferir frases simples como “Senhor, eu creio em Ti” ou “Senhor, desejo amar-Te, concede-me a graça”.

    A oração vocal transforma-se em um canal para pedir a graça de crer na mensagem divina, corresponder ao amor de Deus e amá-lo verdadeiramente. A oração é um diálogo no qual se expressam as necessidades, mesmo sabendo que o Senhor as conhece. É o momento de pedir o que for necessário — amor, paciência, força, alegria, fé —, com base naquilo que o Senhor revelou durante a meditação.

    O objetivo dessa oração é ser uma resposta que não se limite a palavras, mas resulte em um compromisso com Deus, a fim de gerar uma verdadeira mudança de vida — a partir da descoberta da verdade contida na Palavra de Deus.

    Contemplação

    Por fim, atinge-se a contemplação, é o momento de permanecer na presença amorosa de Deus. Nesse estágio da lectio divina, não há mais palavras; trata-se de um silêncio repleto de significado. Após a leitura, a meditação e a oração, recolhemo-nos na presença ativa de Deus. É o momento de Cristo agir na alma agitada que se aquieta.

    Assim como o discípulo João que se reclinou no peito do mestre, permanecemos em comunhão íntima. Nesse estado contemplativo, é possível experimentar a presença de Deus — lembrando que isso não significa sentir — como uma luz divina que ilumina a compreensão e revela o conhecimento do Seu amor constante em suas vidas.

    A contemplação é adentrar no mistério de Cristo, Santa Teresa a resume nestas palavras: “Outra coisa não é, a meu parecer, oração mental, senão tratar de amizade — estando muitas vezes tratando a sós — com Quem sabemos que nos ama.” 3

    Confira por que setembro é o mês dedicado à Bíblia.

    Uma Bíblia que auxilia a lectio divina

    A lectio divina é, portanto, um meio eficaz de ouvir a palavra de Deus e traduzi-la em orações e atitudes em nossa vida diária, a fim de nos aproximarmos de Cristo e nos assemelharmos a Ele — o que é nossa missão de santidade. Sem dúvida, ao realizar bem cada passo da lectio divina, a vida do cristão começa a se transformar, pois o conhecimento de Deus abre os nossos olhos e a presença de Deus age em nossa alma.

    A Palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração. 4

    Para auxiliar na realização dessa prática orante, a Bíblia da Minha Biblioteca Católica é um guia excepcional. Ela é inteiramente comentada pelos Santos Padres da Igreja, proporcionando uma leitura espiritual e um entendimento mais profundo.

    Ao oferecer mais de 3.500 comentários patrísticos, esta obra permite aos fiéis mergulhar na sabedoria daqueles que dedicaram suas vidas ao estudo das Escrituras. Além disso, são mais de 8.500 notas de rodapé originais, referências cruzadas e índices temáticos que tornam a experiência da lectio divina mais rica e esclarecedora.

    A bíblia da MBC, um ótimo instrumento para fazer a lectio divina.

    A Bíblia da MBC não apenas conta a história, mas também aprofunda o entendimento, conecta passagens e contextos, facilitando a compreensão da Palavra de Deus. Com recursos como sumários específicos, introduções detalhadas, mapas ilustrativos e um lecionário dominical, ela se torna uma aliada valiosa para quem busca aprofundar sua relação com as Escrituras por meio da lectio divina.

    Saiba mais sobre a Bíblia da MBC e mergulhe numa experiência única de fé e conhecimento.

    Referências

    1. CIC, 2705[]
    2. CIC, 2706[]
    3. CIC, 2709[]
    4. Hb 4, 12[]
    Avatar

    Redação MBC

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.