Destaque, Formação

Exame de consciência: aprenda a fazê-lo

Um bom católico deve ter o costume de, com frequência, fazer um bom exame de consciência. Aprenda como deve fazê-lo.

Exame de consciência: aprenda a fazê-lo
Destaque, Formação

Exame de consciência: aprenda a fazê-lo

Um bom católico deve ter o costume de, com frequência, fazer um bom exame de consciência. Aprenda como deve fazê-lo.

Data da Publicação: 19/02/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação Minha Biblioteca Católica
Data da Publicação: 19/02/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação Minha Biblioteca Católica

Um bom católico deve ter o costume de, com frequência, fazer um bom exame de consciência.

De modo geral, essa é uma prática feita em preparação à confissão. Porém, a importância dela vai além do aspecto sacramental. 

Este exame é um exercício que torna a nossa consciência cada vez mais sensível, capaz de identificar com maior facilidade a verdadeira intenção por trás dos nossos pensamentos, palavras, atos e omissões. 

Por isso, a Igreja orienta que façamos o exame de consciência não apenas antes de procurar o Sacramento da Penitência, mas diariamente.

Como fazer um bom Exame de Consciência?

Basta dedicar alguns minutos antes de dormir para avaliar 3 pontos sobre a sua conduta durante o dia que passou:

  • O que fez de bom? 
  • O que fez de ruim?
  • E no que pode melhorar?

Uma dica é sempre anotar o resultado desta breve análise em um caderninho particular. 

Assim, você não precisará fazer um grande esforço para lembrar dos seus pecados — sejam eles graves ou veniais — quando for fazer um exame mais profundo em vista do Sacramento da Confissão.

À esta preparação, portanto, é recomendável dispensar um tempo maior, já que este exame deve contemplar cada um dos mandamentos da Lei de Deus e da Igreja.

Trata-se de uma série de questionamentos que vão ajudar você a enxergar não apenas os pecados em si, mas também as más inclinações que te conduziram a cometê-los.

Ao longo do exame, pergunte-se:

“Onde eu estava quando não estava com Deus?” 

Esta etapa deve levar você a perceber que cada uma das faltas cometidas — especialmente as de matéria grave — te fez perder o Céu e merecer o inferno

Esta constatação é o que chamamos de atrição

Mas os sentimentos de culpa, vergonha ou medo — que normalmente surgem quando nos deparamos com a possibilidade da condenação eterna — não são suficientes para a confissão. 

É necessário que brotem do coração duas disposições que, juntas, levam à contrição: o profundo arrependimento por ter ofendido a Deus e o firme propósito de emenda. 

Por isso, lembre-se de pedir ao Espírito Santo que ilumine sua inteligência e o auxilie a encontrar meios para combater os maus hábitos e evitar as ocasiões de pecado. 

mulher fazendo exame de consciência escrevendo num caderno.

Faça o Exame de Consciência

Oração preparatória

Meu bom Deus e Salvador, Pai de misericórdia, eis-me aqui prostrado aos vossos pés, cheio de confusão e de remorsos, qual outro filho pródigo que volta arrependido à casa paterna. Não mereço perdão, porque desgostei demasiadamente a vossa bondade infinita. Mas sei que não olhais para os meus pecados senão para perdoá-los, como Pai misericordioso que sois. Pelos méritos inefáveis do vosso Filho, crucificado e morto por meu amor, pelos méritos do seu Preciosíssimo Sangue, pelas suas lágrimas e agonia, tende piedade de mim. Dai-me luz para conhecer os meus pecados; sincero arrependimento para os aborrecer; firme propósito para nunca mais os cometer; ânimo para os acusar e para cumprir com a devida penitência. Amém.

Mandamentos da Lei de Deus

1º Mandamento
“Amar a Deus sobre todas as coisas”

Neguei a fé? Duvidei da existência de Deus? Escarneci da religião? Deixei de rezar por muito tempo? Declarei que o matrimônio, o sacerdócio, a confissão, a Santa Missa estão ultrapassados?

2º Mandamento
“Não tomar o Seu santo nome em vão”

Cantei músicas blasfemas? Zombei da Igreja, das cerimônias religiosas ou de seus representantes? Falei mal do Santo Padre, o Papa? Acusei a Igreja de ser falsa ou desonesta? Acusei Deus de injusto? Roguei pragas? Contei piadas em que Deus aparece como personagem, rindo d’Ele? Jurei em falso ou à toa?

3º Mandamento
“Guardar Domingos e Festas”

Passei o Domingo na frente da televisão? Faltei a Santa Missa nesse mesmo dia? Fiz piada com a Santa Missa? Disse que “já assisti missas que chega”? Fui à Santa Missa para “cumprir a obrigação”? Dediquei uma parte do meu tempo a Deus, lendo a Bíblia e rezando? Como tenho vivido o Domingo, Dia do Senhor?

4º Mandamento
“Honrar pai e mãe”

Fui desobediente aos pais, autoridades ou superiores? Desejei-lhes algum mal, talvez a morte? Obedeci-lhes em coisas contrárias à lei de Deus? Negligenciei como pai e mãe ou irmão mais velho os deveres de educação e instrução religiosa?

5º Mandamento
“Não matar”

Tive ódio? Recusei o perdão a quem me pediu? Desejei a morte para mim ou para outros? Ensinei a praticar pecados? Seduzi alguém ao pecado? Defendi o assassinato de bebês através do aborto? Desejei a guerra, ou me entusiasmei por ela? Falei que “a Terra está cheia demais, e precisa mesmo morrer gente”?

6º e 9º Mandamentos
“Não pecar contra a castidade” e “Não desejar a mulher do próximo”

Tenho visto revistas e filmes pornográficos? Defendi ou propaguei a sua leitura? Faço ou aprovo o sexo sem o matrimônio ou fora do matrimônio? Acaso me divirto observando na rua o corpo das pessoas, e fazendo gracejos com elas, ou em conversas indecentes sobre as pessoas que passam? Tenho me vestido de maneira sensual? Provoquei os outros com meu comportamento? Fiz intriga para acabar namoros ou casamentos que eu não aprovava, ou cobiçava? Aprovo a prostituição? Sou promíscuo? Zombei da virgindade de alguém? Envergonhei-me da minha virgindade, rejeitando-a?

7º e 10º Mandamentos
“Não roubar” e “Não cobiçar as coisas alheias”

Prejudiquei alguém ou tive desejo de prejudicar, enganando no troco, nos pesos e nas medidas, ou roubando? Fiz dívidas desnecessárias à subsistência? Paguei as minhas dívidas? Comprei bebidas ou cigarros a fiado, sem ter como pagar?

Gastei meu salário com outras coisas, faltando em casa para a comida? Recusei a dar esmolas, nem que seja de comida? Roubei de Deus o dinheiro que devia dar a Ele para o sustento da Sua Igreja? Deixei de devolver algo que não me pertence? Paguei com justiça os meus empregados?

8º Mandamento
“Não levantar falso testemunho”

Falei mal dos outros pelas costas? Fui fiel à verdade ao comentar acontecimentos passados? Exagerei ou inventei qualidades para ganhar um emprego ou subir no emprego? Prejudiquei alguém com minhas palavras? Fiz alguém perder o emprego? Fiz juízo errado das pessoas? Duvidei da honestidade de alguém? Acusei algum mendigo ou pedinte de desonestidade? Revelei faltas ocultas dos outros? Ridicularizei ou humilhei alguém na frente dos outros? Fui fingido? Digo aos outros que sou católico mas não frequento a Igreja? Caluniei os sacerdotes e religiosos?

Mandamentos da Igreja

1. Recebi a Sagrada Eucaristia pelo menos uma vez ao ano, por ocasião do Tempo Pascal?

2. Guardei o jejum eucarístico de uma hora antes da comunhão eucarística?

3. Cumpri o jejum e a abstinência de carne nos dias prescritos pela Igreja?

4. Confessei-me pelo menos uma vez ao ano?

5. Tenho contribuído para as necessidades materiais da Igreja segundo as minhas possibilidades?

Aprenda também a rezar o Ato de Contrição.

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Redação Minha Biblioteca Católica

    O maior clube de leitores católicos do Brasil.

    Garanta seu box

    Um bom católico deve ter o costume de, com frequência, fazer um bom exame de consciência.

    De modo geral, essa é uma prática feita em preparação à confissão. Porém, a importância dela vai além do aspecto sacramental. 

    Este exame é um exercício que torna a nossa consciência cada vez mais sensível, capaz de identificar com maior facilidade a verdadeira intenção por trás dos nossos pensamentos, palavras, atos e omissões. 

    Por isso, a Igreja orienta que façamos o exame de consciência não apenas antes de procurar o Sacramento da Penitência, mas diariamente.

    Como fazer um bom Exame de Consciência?

    Basta dedicar alguns minutos antes de dormir para avaliar 3 pontos sobre a sua conduta durante o dia que passou:

    • O que fez de bom? 
    • O que fez de ruim?
    • E no que pode melhorar?

    Uma dica é sempre anotar o resultado desta breve análise em um caderninho particular. 

    Assim, você não precisará fazer um grande esforço para lembrar dos seus pecados — sejam eles graves ou veniais — quando for fazer um exame mais profundo em vista do Sacramento da Confissão.

    À esta preparação, portanto, é recomendável dispensar um tempo maior, já que este exame deve contemplar cada um dos mandamentos da Lei de Deus e da Igreja.

    Trata-se de uma série de questionamentos que vão ajudar você a enxergar não apenas os pecados em si, mas também as más inclinações que te conduziram a cometê-los.

    Ao longo do exame, pergunte-se:

    “Onde eu estava quando não estava com Deus?” 

    Esta etapa deve levar você a perceber que cada uma das faltas cometidas — especialmente as de matéria grave — te fez perder o Céu e merecer o inferno

    Esta constatação é o que chamamos de atrição

    Mas os sentimentos de culpa, vergonha ou medo — que normalmente surgem quando nos deparamos com a possibilidade da condenação eterna — não são suficientes para a confissão. 

    É necessário que brotem do coração duas disposições que, juntas, levam à contrição: o profundo arrependimento por ter ofendido a Deus e o firme propósito de emenda. 

    Por isso, lembre-se de pedir ao Espírito Santo que ilumine sua inteligência e o auxilie a encontrar meios para combater os maus hábitos e evitar as ocasiões de pecado. 

    mulher fazendo exame de consciência escrevendo num caderno.

    Faça o Exame de Consciência

    Oração preparatória

    Meu bom Deus e Salvador, Pai de misericórdia, eis-me aqui prostrado aos vossos pés, cheio de confusão e de remorsos, qual outro filho pródigo que volta arrependido à casa paterna. Não mereço perdão, porque desgostei demasiadamente a vossa bondade infinita. Mas sei que não olhais para os meus pecados senão para perdoá-los, como Pai misericordioso que sois. Pelos méritos inefáveis do vosso Filho, crucificado e morto por meu amor, pelos méritos do seu Preciosíssimo Sangue, pelas suas lágrimas e agonia, tende piedade de mim. Dai-me luz para conhecer os meus pecados; sincero arrependimento para os aborrecer; firme propósito para nunca mais os cometer; ânimo para os acusar e para cumprir com a devida penitência. Amém.

    Mandamentos da Lei de Deus

    1º Mandamento
    “Amar a Deus sobre todas as coisas”

    Neguei a fé? Duvidei da existência de Deus? Escarneci da religião? Deixei de rezar por muito tempo? Declarei que o matrimônio, o sacerdócio, a confissão, a Santa Missa estão ultrapassados?

    2º Mandamento
    “Não tomar o Seu santo nome em vão”

    Cantei músicas blasfemas? Zombei da Igreja, das cerimônias religiosas ou de seus representantes? Falei mal do Santo Padre, o Papa? Acusei a Igreja de ser falsa ou desonesta? Acusei Deus de injusto? Roguei pragas? Contei piadas em que Deus aparece como personagem, rindo d’Ele? Jurei em falso ou à toa?

    3º Mandamento
    “Guardar Domingos e Festas”

    Passei o Domingo na frente da televisão? Faltei a Santa Missa nesse mesmo dia? Fiz piada com a Santa Missa? Disse que “já assisti missas que chega”? Fui à Santa Missa para “cumprir a obrigação”? Dediquei uma parte do meu tempo a Deus, lendo a Bíblia e rezando? Como tenho vivido o Domingo, Dia do Senhor?

    4º Mandamento
    “Honrar pai e mãe”

    Fui desobediente aos pais, autoridades ou superiores? Desejei-lhes algum mal, talvez a morte? Obedeci-lhes em coisas contrárias à lei de Deus? Negligenciei como pai e mãe ou irmão mais velho os deveres de educação e instrução religiosa?

    5º Mandamento
    “Não matar”

    Tive ódio? Recusei o perdão a quem me pediu? Desejei a morte para mim ou para outros? Ensinei a praticar pecados? Seduzi alguém ao pecado? Defendi o assassinato de bebês através do aborto? Desejei a guerra, ou me entusiasmei por ela? Falei que “a Terra está cheia demais, e precisa mesmo morrer gente”?

    6º e 9º Mandamentos
    “Não pecar contra a castidade” e “Não desejar a mulher do próximo”

    Tenho visto revistas e filmes pornográficos? Defendi ou propaguei a sua leitura? Faço ou aprovo o sexo sem o matrimônio ou fora do matrimônio? Acaso me divirto observando na rua o corpo das pessoas, e fazendo gracejos com elas, ou em conversas indecentes sobre as pessoas que passam? Tenho me vestido de maneira sensual? Provoquei os outros com meu comportamento? Fiz intriga para acabar namoros ou casamentos que eu não aprovava, ou cobiçava? Aprovo a prostituição? Sou promíscuo? Zombei da virgindade de alguém? Envergonhei-me da minha virgindade, rejeitando-a?

    7º e 10º Mandamentos
    “Não roubar” e “Não cobiçar as coisas alheias”

    Prejudiquei alguém ou tive desejo de prejudicar, enganando no troco, nos pesos e nas medidas, ou roubando? Fiz dívidas desnecessárias à subsistência? Paguei as minhas dívidas? Comprei bebidas ou cigarros a fiado, sem ter como pagar?

    Gastei meu salário com outras coisas, faltando em casa para a comida? Recusei a dar esmolas, nem que seja de comida? Roubei de Deus o dinheiro que devia dar a Ele para o sustento da Sua Igreja? Deixei de devolver algo que não me pertence? Paguei com justiça os meus empregados?

    8º Mandamento
    “Não levantar falso testemunho”

    Falei mal dos outros pelas costas? Fui fiel à verdade ao comentar acontecimentos passados? Exagerei ou inventei qualidades para ganhar um emprego ou subir no emprego? Prejudiquei alguém com minhas palavras? Fiz alguém perder o emprego? Fiz juízo errado das pessoas? Duvidei da honestidade de alguém? Acusei algum mendigo ou pedinte de desonestidade? Revelei faltas ocultas dos outros? Ridicularizei ou humilhei alguém na frente dos outros? Fui fingido? Digo aos outros que sou católico mas não frequento a Igreja? Caluniei os sacerdotes e religiosos?

    Mandamentos da Igreja

    1. Recebi a Sagrada Eucaristia pelo menos uma vez ao ano, por ocasião do Tempo Pascal?

    2. Guardei o jejum eucarístico de uma hora antes da comunhão eucarística?

    3. Cumpri o jejum e a abstinência de carne nos dias prescritos pela Igreja?

    4. Confessei-me pelo menos uma vez ao ano?

    5. Tenho contribuído para as necessidades materiais da Igreja segundo as minhas possibilidades?

    Aprenda também a rezar o Ato de Contrição.

    Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

      Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.