Destaque, Formação

Sexta-feira Santa: liturgia e significado

Conheça as particularidades da liturgia da Sexta-feira Santa, dia em que celebramos a Paixão de Nosso Senhor no Tríduo Pascal.

Sexta-feira Santa: liturgia e significado
Destaque, Formação

Sexta-feira Santa: liturgia e significado

Conheça as particularidades da liturgia da Sexta-feira Santa, dia em que celebramos a Paixão de Nosso Senhor no Tríduo Pascal.

Data da Publicação: 28/03/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação Minha Biblioteca Católica
Data da Publicação: 28/03/2024
Tempo de leitura:
Autor: Redação Minha Biblioteca Católica

Conheça as particularidades da liturgia da Sexta-feira Santa, momento de grande importância de nosso Tríduo Pascal.

A Sexta-feira Santa possui aspectos litúrgicos que estão muito presentes na vida do católico. É dia de Jejum e Abstinência, bem como dia de introspecção. E você sabia que neste dia a Igreja não celebra a Missa? Confira as características próprias da celebração da Paixão do Senhor.

Saiba o que é o Tríduo Pascal em sua totalidade.

O que exatamente nós celebramos na Sexta-feira Santa?

Na Sexta-feira santa, até o entardecer, nós ainda estamos dentro do primeiro dia do Tríduo Pascal. Isso se deve ao fato de que, na contagem judaica, um dia inicia no entardecer, e se estende até o entardecer seguinte. Celebramos, neste dia, às 15h, a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. É o único dia do ano em que não há celebração do Sacrifício da Santa Missa. Por ser o dia da Paixão de Cristo, onde recordamos a condenação, crucificação e morte do Senhor, é um dia de penitência, sendo obrigatório ao católico o jejum e a abstinência.

Entenda em detalhes o que a Igreja nos pede a respeito do jejum e abstinência de carne.

Por que a Sexta-feira Santa é chamada de sexta-feira da Paixão?

A Sexta-feira Santa é chamada de sexta-feira da Paixão pois foi neste dia que Cristo sofreu a Sua paixão, morrendo na Cruz pela nossa salvação. A palavra Paixão, no nosso linguajar popular, pode significar um tipo de amor menos “nobre”, mais momentâneo e superficial. Na verdade, quando falamos de Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo estamos indicando a semântica de paixão vinculada à etimologia latina. Paixão significa padecimento. É o ato de sofrer, de suportar.

Narrativa Bíblica da Sexta-feira Santa

A Bíblia narra com detalhes, nos quatro Evangelhos, todo o percurso do Senhor na sua Paixão e morte. A liturgia usa a narração da Paixão segundo São João, que se concentra em dois capítulos centrais (o 18 e o 19). A narrativa de João é poética e realista. Ela avança de modo linear: prisão de Jesus (18, 1-13); interrogatório diante de Anás com a negação de Pedro (18, 14-27); interrogatório diante de Pilatos e condenação à morte (18, 28-19, 16a); crucifixão e morte (19, 16b-37); e sepultamento (19, 38-42). Nos longos interrogatórios, o narrador possibilita a meditação e consegue expor qual o sentido da Paixão e morte de Jesus. 

Na narração da Paixão de Jesus deste dia, assim como foi no Domingo de Ramos, no momento central em que Nosso Senhor entrega seu espírito e morre, a Igreja é convidada a permanecer de joelhos por instantes, e contemplar o Cristo morto pela nossa salvação.

A liturgia da Sexta-feira Santa

Neste dia, até a Vigília Pascal na noite do Sábado Santo, a Igreja não celebra nenhum sacramento, a não ser os de cura. Não há o Santo Sacrifício da Missa. A liturgia deste dia, que deve, na medida do possível, ser celebrada às 15h em nossas Igrejas, hora em que Jesus morreu na Cruz, é chamada de Celebração da Paixão do Senhor.

Cor litúrgica da Sexta-feira Santa

A cor litúrgica deste dia é o vermelho, que significa a Paixão de Cristo por nós, na sua oferta na Cruz, com seu Corpo e Sangue. O vermelho usado simboliza, verdadeiramente, o sangue precioso de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Temos missa na Sexta-feira Santa?

A Sexta-feira Santa é o único dia no ano em que não existe, em lugar nenhum, a Santa Missa. Celebramos a Paixão do Senhor, de modo litúrgico. A eucaristia que comungamos neste dia são as reservas eucarísticas da Missa da Ceia do Senhor.

Imagens encobertas

Desde o V Domingo da Quaresma, a Igreja recomenda que se cubram as imagens, em sinal de penitência, de luto, e, sobretudo, de introspecção. Pelo menos neste dia de Sexta-feira Santa, convém que seja feito o encobrimento das imagens, a fim de favorecer a piedade dos fieis. Após a celebração da Paixão do Senhor, a cruz, à qual adoramos na liturgia, pode ficar exposta para a adoração dos fieis. As demais imagens, contudo, permanecem encobertas até a Vigília Pascal.

Liturgia da Palavra

A celebração da Paixão do Senhor inicia-se, abruptamente, com a entrada do sacerdote que, prostrando-se no chão, fica em silêncio, em sinal de luto e de penitência. Após, ocorre a liturgia da Palavra, com ênfase para a narração da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Oração dos fiéis

O mistério da Cruz do Senhor atinge toda a humanidade, em todos os tempos e culturas. Na liturgia da Sexta-feira Santa, a Igreja reza pelas necessidades de todo o mundo. A Oração Universal feita nesta liturgia consiste em 10 orações que resumem as intenções do mundo todo. Essa oração é composta por uma introdução e a oração propriamente dita. Reza-se pelos judeus, pelos cristãos, pela Igreja, pelos ateus,…

Adoração da Cruz na Sexta-feira Santa 

Após a Oração Universal ocorre a Adoração da Santa Cruz. Essa Adoração consiste em adorar não a um pedaço de madeira com uma imagem de gesso. Adoramos, na liturgia, o Cristo crucificado. Adoramos o mistério celebrado, que a liturgia possibilita vivenciar verdadeiramente. Durante a celebração, neste momento, a Igreja permanece em profunda adoração e silêncio, contemplando o madeiro com o Crucificado. Caso a quantidade de pessoas permita, pode-se fazer uma procissão para o popular beijo à Cruz, que consiste em adorar a Cristo, com genuflexão, e beijar a cruz devotamente.

Crucifixo: saiba porque devemos ter este sacramental em casa.

Comunhão

Após a adoração à Cruz, na quarta parte da celebração da Paixão do Senhor, há a comunhão eucarística, com a reserva que foi depositada no altar da reposição na Quinta-feira Santa. É o mistério da Paixão do Senhor que nos alcança através do Corpo e Sangue de Cristo.

A Sexta-feira Santa na nossa vida espiritual

Popularmente, neste dia, muitos católicos acorrem às igrejas para participar da celebração da Paixão do Senhor. Na verdade, é feriado nacional precisamente para favorecer a contemplação e a oração, tão importantes neste dia santo. É dia de jejum e abstinência. Mais do que participar das devoções populares tão fortes neste dia (Via Sacra, Procissão do Encontro, Procissão dos Passo, Sete dores de Nossa Senhora), é importante mergulhar na celebração da Paixão a fim de viver o mistério do Calvário de modo real.

A Cruz do Senhor é o sinal do católico. Não há como imaginar nossa fé distante da Cruz. Não podemos correr o risco de, como todos os apóstolos e discípulos do Senhor, fugir da cruz por covardia. Permaneçamos firmes, com os olhos fixos no Senhor. “Se com Ele nós morremos, com Ele reinaremos”. Da Cruz, vamos à luz.

Por fim, deixamos abaixo um episódio do Tertúlia, o nosso podcast em parceria com a Lumine, sobre a Paixão de Cristo segundo a medicina. Vale a pena assistir e meditar nesta Sexta-feira Santa!

Redação Minha Biblioteca Católica

O maior clube de leitores católicos do Brasil.

Conheça as particularidades da liturgia da Sexta-feira Santa, momento de grande importância de nosso Tríduo Pascal.

A Sexta-feira Santa possui aspectos litúrgicos que estão muito presentes na vida do católico. É dia de Jejum e Abstinência, bem como dia de introspecção. E você sabia que neste dia a Igreja não celebra a Missa? Confira as características próprias da celebração da Paixão do Senhor.

Saiba o que é o Tríduo Pascal em sua totalidade.

O que exatamente nós celebramos na Sexta-feira Santa?

Na Sexta-feira santa, até o entardecer, nós ainda estamos dentro do primeiro dia do Tríduo Pascal. Isso se deve ao fato de que, na contagem judaica, um dia inicia no entardecer, e se estende até o entardecer seguinte. Celebramos, neste dia, às 15h, a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. É o único dia do ano em que não há celebração do Sacrifício da Santa Missa. Por ser o dia da Paixão de Cristo, onde recordamos a condenação, crucificação e morte do Senhor, é um dia de penitência, sendo obrigatório ao católico o jejum e a abstinência.

Entenda em detalhes o que a Igreja nos pede a respeito do jejum e abstinência de carne.

Por que a Sexta-feira Santa é chamada de sexta-feira da Paixão?

A Sexta-feira Santa é chamada de sexta-feira da Paixão pois foi neste dia que Cristo sofreu a Sua paixão, morrendo na Cruz pela nossa salvação. A palavra Paixão, no nosso linguajar popular, pode significar um tipo de amor menos “nobre”, mais momentâneo e superficial. Na verdade, quando falamos de Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo estamos indicando a semântica de paixão vinculada à etimologia latina. Paixão significa padecimento. É o ato de sofrer, de suportar.

Narrativa Bíblica da Sexta-feira Santa

A Bíblia narra com detalhes, nos quatro Evangelhos, todo o percurso do Senhor na sua Paixão e morte. A liturgia usa a narração da Paixão segundo São João, que se concentra em dois capítulos centrais (o 18 e o 19). A narrativa de João é poética e realista. Ela avança de modo linear: prisão de Jesus (18, 1-13); interrogatório diante de Anás com a negação de Pedro (18, 14-27); interrogatório diante de Pilatos e condenação à morte (18, 28-19, 16a); crucifixão e morte (19, 16b-37); e sepultamento (19, 38-42). Nos longos interrogatórios, o narrador possibilita a meditação e consegue expor qual o sentido da Paixão e morte de Jesus. 

Na narração da Paixão de Jesus deste dia, assim como foi no Domingo de Ramos, no momento central em que Nosso Senhor entrega seu espírito e morre, a Igreja é convidada a permanecer de joelhos por instantes, e contemplar o Cristo morto pela nossa salvação.

A liturgia da Sexta-feira Santa

Neste dia, até a Vigília Pascal na noite do Sábado Santo, a Igreja não celebra nenhum sacramento, a não ser os de cura. Não há o Santo Sacrifício da Missa. A liturgia deste dia, que deve, na medida do possível, ser celebrada às 15h em nossas Igrejas, hora em que Jesus morreu na Cruz, é chamada de Celebração da Paixão do Senhor.

Cor litúrgica da Sexta-feira Santa

A cor litúrgica deste dia é o vermelho, que significa a Paixão de Cristo por nós, na sua oferta na Cruz, com seu Corpo e Sangue. O vermelho usado simboliza, verdadeiramente, o sangue precioso de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Temos missa na Sexta-feira Santa?

A Sexta-feira Santa é o único dia no ano em que não existe, em lugar nenhum, a Santa Missa. Celebramos a Paixão do Senhor, de modo litúrgico. A eucaristia que comungamos neste dia são as reservas eucarísticas da Missa da Ceia do Senhor.

Imagens encobertas

Desde o V Domingo da Quaresma, a Igreja recomenda que se cubram as imagens, em sinal de penitência, de luto, e, sobretudo, de introspecção. Pelo menos neste dia de Sexta-feira Santa, convém que seja feito o encobrimento das imagens, a fim de favorecer a piedade dos fieis. Após a celebração da Paixão do Senhor, a cruz, à qual adoramos na liturgia, pode ficar exposta para a adoração dos fieis. As demais imagens, contudo, permanecem encobertas até a Vigília Pascal.

Liturgia da Palavra

A celebração da Paixão do Senhor inicia-se, abruptamente, com a entrada do sacerdote que, prostrando-se no chão, fica em silêncio, em sinal de luto e de penitência. Após, ocorre a liturgia da Palavra, com ênfase para a narração da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Oração dos fiéis

O mistério da Cruz do Senhor atinge toda a humanidade, em todos os tempos e culturas. Na liturgia da Sexta-feira Santa, a Igreja reza pelas necessidades de todo o mundo. A Oração Universal feita nesta liturgia consiste em 10 orações que resumem as intenções do mundo todo. Essa oração é composta por uma introdução e a oração propriamente dita. Reza-se pelos judeus, pelos cristãos, pela Igreja, pelos ateus,…

Adoração da Cruz na Sexta-feira Santa 

Após a Oração Universal ocorre a Adoração da Santa Cruz. Essa Adoração consiste em adorar não a um pedaço de madeira com uma imagem de gesso. Adoramos, na liturgia, o Cristo crucificado. Adoramos o mistério celebrado, que a liturgia possibilita vivenciar verdadeiramente. Durante a celebração, neste momento, a Igreja permanece em profunda adoração e silêncio, contemplando o madeiro com o Crucificado. Caso a quantidade de pessoas permita, pode-se fazer uma procissão para o popular beijo à Cruz, que consiste em adorar a Cristo, com genuflexão, e beijar a cruz devotamente.

Crucifixo: saiba porque devemos ter este sacramental em casa.

Comunhão

Após a adoração à Cruz, na quarta parte da celebração da Paixão do Senhor, há a comunhão eucarística, com a reserva que foi depositada no altar da reposição na Quinta-feira Santa. É o mistério da Paixão do Senhor que nos alcança através do Corpo e Sangue de Cristo.

A Sexta-feira Santa na nossa vida espiritual

Popularmente, neste dia, muitos católicos acorrem às igrejas para participar da celebração da Paixão do Senhor. Na verdade, é feriado nacional precisamente para favorecer a contemplação e a oração, tão importantes neste dia santo. É dia de jejum e abstinência. Mais do que participar das devoções populares tão fortes neste dia (Via Sacra, Procissão do Encontro, Procissão dos Passo, Sete dores de Nossa Senhora), é importante mergulhar na celebração da Paixão a fim de viver o mistério do Calvário de modo real.

A Cruz do Senhor é o sinal do católico. Não há como imaginar nossa fé distante da Cruz. Não podemos correr o risco de, como todos os apóstolos e discípulos do Senhor, fugir da cruz por covardia. Permaneçamos firmes, com os olhos fixos no Senhor. “Se com Ele nós morremos, com Ele reinaremos”. Da Cruz, vamos à luz.

Por fim, deixamos abaixo um episódio do Tertúlia, o nosso podcast em parceria com a Lumine, sobre a Paixão de Cristo segundo a medicina. Vale a pena assistir e meditar nesta Sexta-feira Santa!

Redação Minha Biblioteca Católica

O maior clube de leitores católicos do Brasil.

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.