Formação

São João Evangelista: o discípulo amado

Conheça quem foi São João Evangelista, conhecido como discípulo amado, saiba quando celebramos o seu dia e quais os seus escritos.

São João Evangelista: o discípulo amado
Formação

São João Evangelista: o discípulo amado

Conheça quem foi São João Evangelista, conhecido como discípulo amado, saiba quando celebramos o seu dia e quais os seus escritos.

Data da Publicação: 14/12/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC
Data da Publicação: 14/12/2023
Tempo de leitura:
Autor: Redação MBC

Conheça quem foi São João Evangelista, o discípulo amado, saiba quando celebramos o seu dia e por que seu Evangelho é o mais distinto.

O nome João carrega consigo o significado “o Senhor fez a graça”. De acordo com a tradição, ele é o discípulo amado, aquele que reclina a cabeça no peito do Mestre, permanece aos pés da cruz junto com Maria e testemunha o túmulo vazio. Desde o instante em que deixa tudo para seguir Jesus, João é uma figura presente nos momentos marcantes da vida do Mestre.

Foi também a mãe de João que pediu a Jesus que seus filhos, Tiago e João, se sentassem um à direita e um à esquerda no Reino. 1 Tal pedido evidencia a posição de João no pequeno grupo dos Doze. Além disso, o seu Evangelho é o mais distinto dos três, e o amor o tema principal dos seus escritos. Conheça, neste artigo, a vida de São João Evangelista, as características dos seus escritos e por que ele é o padroeiro dos teólogos.

Quem foi São João?

São João, o evangelista e apóstolo, nasceu na Galileia, às margens do Lago de Tiberíades, em uma família de pescadores. Irmão de Tiago Maior, João foi o mais novo dos Doze Apóstolos e também o que viveu por mais tempo. Durante a Última Ceia, teve um lugar de honra, demonstrando proximidade com Jesus; além disso, foi o único apóstolo que esteve aos pés da Cruz, junto a Maria e, após a ressurreição, o primeiro a chegar ao túmulo vazio.

Além do seu Evangelho, João deixou também outros escritos valiosos, cujo tema enfatiza sobretudo o amor. Por fim, exilado em Patmos, durante a perseguição de Domiciano, João retornou a Éfeso sob o imperador Nerva, onde faleceu já com mais de cem anos. 2

Quando é o dia de São João Evangelista?

A Igreja comemora a festa de São João Evangelista em 27 de dezembro, logo no início da Oitava de Natal. Nesse período festivo, honramos o discípulo amado, cuja proximidade íntima com Jesus o distingue. Não surpreendentemente, São João é o autor de um dos Evangelhos mais profundos, destacando-se por sua íntima ligação com o Senhor.

São João Evangelista na Bíblia, o apóstolo amado

São João Evangelista era filho de Zebedeu e irmão de Tiago. Em sua ocupação inicial como pescador às margens do lago de Tiberíades, João foi chamado por Jesus, juntamente com seu irmão, para se tornar um dos doze apóstolos:

Passando adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam com seu pai Zebedeu consertando as redes. Chamou-os, e eles abandonaram a barca e seu pai e o seguiram. 3

João pertence também ao grupo restrito, ao qual Jesus convoca em algumas ocasiões 4. Desde a cura da sogra de Pedro em Cafarnaum (Mc 1, 29) até a ressurreição da filha de Jairo (Mc 5, 37), João participou de momentos significativos com o Mestre.

Enquanto ainda falava, chegou alguém da casa do chefe da sinagoga, anunciando: “Tua filha morreu. Para que ainda incomodas o Mestre?”. Ouvindo Jesus a notícia que era transmitida, dirigiu-se ao chefe da sinagoga: “Não temas; crê somente”. E não permitiu que ninguém o acompanhasse, senão Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. 5

Ao subir o monte para a transfiguração (Mc 9, 2), João testemunhou a manifestação gloriosa de Jesus. No Monte das Oliveiras, esteve ao lado do Senhor durante o sermão profético sobre o fim dos tempos (Mc 13, 3). Sua proximidade física durante a oração de Jesus no Getsêmani, antes da Paixão (Mc 14, 33), também reflete a ligação íntima entre ambos.

Foram em seguida para o lugar chamado Getsêmani, e Jesus disse a seus discípulos: “Sentai-vos aqui, enquanto vou orar”. Levou consigo Pedro, Tiago e João; e começou a ter pavor e a angustiar-se. 6

Às vésperas da Páscoa, João recebeu, junto a Pedro, a confiança de Jesus para preparar a Última Ceia (Lc 22, 8). Durante este evento, João não apenas estava próximo a Jesus, mas chegou a reclinar-se em seu peito (João 13, 23-25). Além disso, no Calvário, é ao lado de Maria, a mãe de Jesus, que ele testemunha a crucificação (João 19).

Jesus confiou a João o cuidado de Sua mãe, evidenciando a confiança mútua entre eles. Esse momento destaca a fidelidade de João e sua presença nos momentos mais marcantes da vida de Jesus.

Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis aí teu filho”. Depois disse ao discípulo: “Eis aí tua mãe”. E dessa hora em diante o discípulo a recebeu como sua mãe. 7

Após a ressurreição, ele participou da pesca milagrosa (21, 1-13) e testemunhou o túmulo vazio (Jo 20, 2.7). Mais tarde, acompanhando Pedro, ele é mencionado nas atividades iniciais da Igreja primitiva em Jerusalém. No cenário do Templo, ambos oram juntos (Atos 3,1-4.11) e testemunham corajosamente sua fé em Jesus Cristo diante do Sinédrio (Atos 4,13-19). A participação ativa de João demonstra, portanto, sua contínua dedicação à missão de espalhar os ensinamentos de Jesus após a ressurreição.

são joão evangelista reclinando a cabeça sobre o peito de Jesus

Conheça também São Lucas e São Mateus, outros dois evangelistas.

O Evangelho de João

Conhecido como o “Evangelho Espiritual” ou “Evangelho do Logos”, a obra de São João se destaca pela sua linguagem teológica única e pelo uso marcante de simbolismos. Como testemunha íntima de Jesus, não apenas ocular, ele apresenta uma perspectiva profunda sobre momentos fundamentais da vida do Mestre, diferenciando-se dos outros evangelhos.

Na simbologia cristã, São João é representado como uma águia, enfatizando sua aguçada visão espiritual e profunda compreensão da divindade de Cristo. Escrito provavelmente na Ásia, no final do primeiro século entre os anos 90 e 100 d.C, estudiosos acreditam que o Evangelho de São João destina-se tanto aos judeus convertidos como aos gentios de língua grega.

Desde o início de seu Evangelho, São João proclama a divindade de Jesus Cristo, combatendo heresias, como o gnosticismo, e complementando os relatos dos três evangelhos sinóticos de maneira histórica e teológica.

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. 8

Apesar do alto valor teológico presente na narrativa de São João, o seu evangelho também destaca a humanidade de Deus encarnado. Isso acontece quando ele conta que Jesus demonstra cansaço 9, ou quando o Senhor chora a morte de Lázaro 10, ou ainda quando diz que tem sede na cruz. 11

Além disso, o Evangelho de São João é marcadamente mariano, não apenas pela quantidade, mas pela graça singular de São João em conhecer Jesus intimamente. Apesar das poucas referências diretas a Maria, a mãe de Jesus, a narrativa das Bodas de Caná é um episódio fundamental narrado apenas por este evangelista.

Conheça os três pilares da fé: a Tradição, o Magistério e a Sagrada Escritura.

Outros livros da Bíblia escritos por São João Evangelista

João, conhecido como o teólogo, não apenas deixou um profundo impacto com seu Evangelho, mas também contribuiu para o Novo Testamento com três Cartas e o Apocalipse. Papa Bento XVI, em uma de suas catequese sobre o evangelista, declara que o amor é o assunto que mais se destaca nos escritos de João, mas de forma concreta e não filosófica ou abstrata. 12

Apocalipse

O Apocalipse, escrito enquanto João estava exilado na ilha de Patmos, é uma revelação profética. Com suas visões simbólicas e imagens apocalípticas, o livro aborda a vitória de Cristo sobre o mal e oferece esperança aos cristãos perseguidos. João destaca a figura do Cordeiro, representando Jesus, que vence a morte e conduz à transformação final da história humana.

Situado no contexto das perseguições e tensões enfrentadas pelas sete Igrejas da Ásia, no final do século I, o Apocalipse reflete a sensibilidade pastoral de João. Ele se dirige aos cristãos perseguidos e os exorta a permanecerem firmes na fé, evitando a identificação com o mundo pagão. O propósito central do livro é revelar, a partir da morte e ressurreição de Cristo, o sentido da história humana diante das adversidades.

o cordeiro imolado, figura que São João Evangelista usa para se referir a Jesus Cristo no Apocalipse.

Cartas

Quanto às suas cartas, a primeira epístola de São João destina-se às comunidades da Ásia, ameaçadas pelas primeiras heresias. Ela aborda a natureza do amor de Deus e a importância de viver em comunhão com Ele. João também adverte contra o pecado, exorta os fiéis a amarem uns aos outros e destaca a necessidade de discernir os falsos ensinamentos.

“Aquele que não ama não conheceu a Deus, porque Deus é Amor.” 13

A segunda epístola é endereçada à “senhora eleita e a seus filhos”, provavelmente uma metáfora para uma comunidade cristã específica. A carta enfatiza a importância da verdadeira doutrina e a rejeição de falsos mestres.

“Todo aquele que avança e não permanece na doutrina de Cristo não possui Deus. Quem permanece na doutrina é que possui o Pai e o Filho.” 14

Por fim, a terceira e última carta é dirigida a Gaio, um membro proeminente da comunidade. Ela aborda a questão da hospitalidade cristã e a atitude correta em relação aos verdadeiros missionários em comparação com aqueles que propagam ensinamentos prejudiciais.

Caríssimos, não imiteis o mal, mas o bem. O que faz o bem é de Deus. Quem faz o mal não viu a Deus.” 15

Padroeiro dos teólogos e tipógrafos

São João é venerado como Padroeiro dos Teólogos devido à profundidade teológica expressa em seu Evangelho e suas cartas. Como o “Discípulo Amado” de Jesus, sua compreensão íntima do divino influenciou significativamente o pensamento teológico cristão. Sua ênfase no amor, na divindade de Cristo e na revelação espiritual distingue suas escrituras, proporcionando uma rica base espiritual para os teólogos.

Além disso, São João é considerado padroeiro dos tipógrafos por causa da tradição que o associa à disseminação da Palavra de Deus por meio da escrita. Acredita-se que, além de seu trabalho teológico significativo, ele também desempenhou um importante papel na transmissão das mensagens cristãs por escrito. Tal fato coloca-o como um modelo para aqueles envolvidos na produção e impressão de textos.

Referências

  1. Mt 20, 21-22[]
  2. VATICAN NEWS, S. João, Apóstolo e Evangelista[]
  3. Mt 4, 21-22[]
  4. Papa Bento XVI, Audiência Geral, 5 de julho de 2006[]
  5. Mc 5, 35-37[]
  6. Mc 14, 32-33[]
  7. Jo 19, 26-27[]
  8. Jo 1, 1-3 []
  9. Jo 4, 6[]
  10. Jo 11, 35[]
  11. Jo 19, 28[]
  12. Papa Bento, Audiência Geral, 9 de agosto de 2006[]
  13. I Jo, 8[]
  14. IIJo 1, 9[]
  15. IIIJo 1, 11[]

Assine nossa newsletter com conteúdos exclusivos

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.

    Redação MBC

    Redação MBC

    O maior clube de leitores católicos do Brasil.

    Garanta seu box

    Conheça quem foi São João Evangelista, o discípulo amado, saiba quando celebramos o seu dia e por que seu Evangelho é o mais distinto.

    O nome João carrega consigo o significado “o Senhor fez a graça”. De acordo com a tradição, ele é o discípulo amado, aquele que reclina a cabeça no peito do Mestre, permanece aos pés da cruz junto com Maria e testemunha o túmulo vazio. Desde o instante em que deixa tudo para seguir Jesus, João é uma figura presente nos momentos marcantes da vida do Mestre.

    Foi também a mãe de João que pediu a Jesus que seus filhos, Tiago e João, se sentassem um à direita e um à esquerda no Reino. 1 Tal pedido evidencia a posição de João no pequeno grupo dos Doze. Além disso, o seu Evangelho é o mais distinto dos três, e o amor o tema principal dos seus escritos. Conheça, neste artigo, a vida de São João Evangelista, as características dos seus escritos e por que ele é o padroeiro dos teólogos.

    Quem foi São João?

    São João, o evangelista e apóstolo, nasceu na Galileia, às margens do Lago de Tiberíades, em uma família de pescadores. Irmão de Tiago Maior, João foi o mais novo dos Doze Apóstolos e também o que viveu por mais tempo. Durante a Última Ceia, teve um lugar de honra, demonstrando proximidade com Jesus; além disso, foi o único apóstolo que esteve aos pés da Cruz, junto a Maria e, após a ressurreição, o primeiro a chegar ao túmulo vazio.

    Além do seu Evangelho, João deixou também outros escritos valiosos, cujo tema enfatiza sobretudo o amor. Por fim, exilado em Patmos, durante a perseguição de Domiciano, João retornou a Éfeso sob o imperador Nerva, onde faleceu já com mais de cem anos. 2

    Quando é o dia de São João Evangelista?

    A Igreja comemora a festa de São João Evangelista em 27 de dezembro, logo no início da Oitava de Natal. Nesse período festivo, honramos o discípulo amado, cuja proximidade íntima com Jesus o distingue. Não surpreendentemente, São João é o autor de um dos Evangelhos mais profundos, destacando-se por sua íntima ligação com o Senhor.

    São João Evangelista na Bíblia, o apóstolo amado

    São João Evangelista era filho de Zebedeu e irmão de Tiago. Em sua ocupação inicial como pescador às margens do lago de Tiberíades, João foi chamado por Jesus, juntamente com seu irmão, para se tornar um dos doze apóstolos:

    Passando adiante, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João, que estavam com seu pai Zebedeu consertando as redes. Chamou-os, e eles abandonaram a barca e seu pai e o seguiram. 3

    João pertence também ao grupo restrito, ao qual Jesus convoca em algumas ocasiões 4. Desde a cura da sogra de Pedro em Cafarnaum (Mc 1, 29) até a ressurreição da filha de Jairo (Mc 5, 37), João participou de momentos significativos com o Mestre.

    Enquanto ainda falava, chegou alguém da casa do chefe da sinagoga, anunciando: “Tua filha morreu. Para que ainda incomodas o Mestre?”. Ouvindo Jesus a notícia que era transmitida, dirigiu-se ao chefe da sinagoga: “Não temas; crê somente”. E não permitiu que ninguém o acompanhasse, senão Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago. 5

    Ao subir o monte para a transfiguração (Mc 9, 2), João testemunhou a manifestação gloriosa de Jesus. No Monte das Oliveiras, esteve ao lado do Senhor durante o sermão profético sobre o fim dos tempos (Mc 13, 3). Sua proximidade física durante a oração de Jesus no Getsêmani, antes da Paixão (Mc 14, 33), também reflete a ligação íntima entre ambos.

    Foram em seguida para o lugar chamado Getsêmani, e Jesus disse a seus discípulos: “Sentai-vos aqui, enquanto vou orar”. Levou consigo Pedro, Tiago e João; e começou a ter pavor e a angustiar-se. 6

    Às vésperas da Páscoa, João recebeu, junto a Pedro, a confiança de Jesus para preparar a Última Ceia (Lc 22, 8). Durante este evento, João não apenas estava próximo a Jesus, mas chegou a reclinar-se em seu peito (João 13, 23-25). Além disso, no Calvário, é ao lado de Maria, a mãe de Jesus, que ele testemunha a crucificação (João 19).

    Jesus confiou a João o cuidado de Sua mãe, evidenciando a confiança mútua entre eles. Esse momento destaca a fidelidade de João e sua presença nos momentos mais marcantes da vida de Jesus.

    Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis aí teu filho”. Depois disse ao discípulo: “Eis aí tua mãe”. E dessa hora em diante o discípulo a recebeu como sua mãe. 7

    Após a ressurreição, ele participou da pesca milagrosa (21, 1-13) e testemunhou o túmulo vazio (Jo 20, 2.7). Mais tarde, acompanhando Pedro, ele é mencionado nas atividades iniciais da Igreja primitiva em Jerusalém. No cenário do Templo, ambos oram juntos (Atos 3,1-4.11) e testemunham corajosamente sua fé em Jesus Cristo diante do Sinédrio (Atos 4,13-19). A participação ativa de João demonstra, portanto, sua contínua dedicação à missão de espalhar os ensinamentos de Jesus após a ressurreição.

    são joão evangelista reclinando a cabeça sobre o peito de Jesus

    Conheça também São Lucas e São Mateus, outros dois evangelistas.

    O Evangelho de João

    Conhecido como o “Evangelho Espiritual” ou “Evangelho do Logos”, a obra de São João se destaca pela sua linguagem teológica única e pelo uso marcante de simbolismos. Como testemunha íntima de Jesus, não apenas ocular, ele apresenta uma perspectiva profunda sobre momentos fundamentais da vida do Mestre, diferenciando-se dos outros evangelhos.

    Na simbologia cristã, São João é representado como uma águia, enfatizando sua aguçada visão espiritual e profunda compreensão da divindade de Cristo. Escrito provavelmente na Ásia, no final do primeiro século entre os anos 90 e 100 d.C, estudiosos acreditam que o Evangelho de São João destina-se tanto aos judeus convertidos como aos gentios de língua grega.

    Desde o início de seu Evangelho, São João proclama a divindade de Jesus Cristo, combatendo heresias, como o gnosticismo, e complementando os relatos dos três evangelhos sinóticos de maneira histórica e teológica.

    No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. 8

    Apesar do alto valor teológico presente na narrativa de São João, o seu evangelho também destaca a humanidade de Deus encarnado. Isso acontece quando ele conta que Jesus demonstra cansaço 9, ou quando o Senhor chora a morte de Lázaro 10, ou ainda quando diz que tem sede na cruz. 11

    Além disso, o Evangelho de São João é marcadamente mariano, não apenas pela quantidade, mas pela graça singular de São João em conhecer Jesus intimamente. Apesar das poucas referências diretas a Maria, a mãe de Jesus, a narrativa das Bodas de Caná é um episódio fundamental narrado apenas por este evangelista.

    Conheça os três pilares da fé: a Tradição, o Magistério e a Sagrada Escritura.

    Outros livros da Bíblia escritos por São João Evangelista

    João, conhecido como o teólogo, não apenas deixou um profundo impacto com seu Evangelho, mas também contribuiu para o Novo Testamento com três Cartas e o Apocalipse. Papa Bento XVI, em uma de suas catequese sobre o evangelista, declara que o amor é o assunto que mais se destaca nos escritos de João, mas de forma concreta e não filosófica ou abstrata. 12

    Apocalipse

    O Apocalipse, escrito enquanto João estava exilado na ilha de Patmos, é uma revelação profética. Com suas visões simbólicas e imagens apocalípticas, o livro aborda a vitória de Cristo sobre o mal e oferece esperança aos cristãos perseguidos. João destaca a figura do Cordeiro, representando Jesus, que vence a morte e conduz à transformação final da história humana.

    Situado no contexto das perseguições e tensões enfrentadas pelas sete Igrejas da Ásia, no final do século I, o Apocalipse reflete a sensibilidade pastoral de João. Ele se dirige aos cristãos perseguidos e os exorta a permanecerem firmes na fé, evitando a identificação com o mundo pagão. O propósito central do livro é revelar, a partir da morte e ressurreição de Cristo, o sentido da história humana diante das adversidades.

    o cordeiro imolado, figura que São João Evangelista usa para se referir a Jesus Cristo no Apocalipse.

    Cartas

    Quanto às suas cartas, a primeira epístola de São João destina-se às comunidades da Ásia, ameaçadas pelas primeiras heresias. Ela aborda a natureza do amor de Deus e a importância de viver em comunhão com Ele. João também adverte contra o pecado, exorta os fiéis a amarem uns aos outros e destaca a necessidade de discernir os falsos ensinamentos.

    “Aquele que não ama não conheceu a Deus, porque Deus é Amor.” 13

    A segunda epístola é endereçada à “senhora eleita e a seus filhos”, provavelmente uma metáfora para uma comunidade cristã específica. A carta enfatiza a importância da verdadeira doutrina e a rejeição de falsos mestres.

    “Todo aquele que avança e não permanece na doutrina de Cristo não possui Deus. Quem permanece na doutrina é que possui o Pai e o Filho.” 14

    Por fim, a terceira e última carta é dirigida a Gaio, um membro proeminente da comunidade. Ela aborda a questão da hospitalidade cristã e a atitude correta em relação aos verdadeiros missionários em comparação com aqueles que propagam ensinamentos prejudiciais.

    Caríssimos, não imiteis o mal, mas o bem. O que faz o bem é de Deus. Quem faz o mal não viu a Deus.” 15

    Padroeiro dos teólogos e tipógrafos

    São João é venerado como Padroeiro dos Teólogos devido à profundidade teológica expressa em seu Evangelho e suas cartas. Como o “Discípulo Amado” de Jesus, sua compreensão íntima do divino influenciou significativamente o pensamento teológico cristão. Sua ênfase no amor, na divindade de Cristo e na revelação espiritual distingue suas escrituras, proporcionando uma rica base espiritual para os teólogos.

    Além disso, São João é considerado padroeiro dos tipógrafos por causa da tradição que o associa à disseminação da Palavra de Deus por meio da escrita. Acredita-se que, além de seu trabalho teológico significativo, ele também desempenhou um importante papel na transmissão das mensagens cristãs por escrito. Tal fato coloca-o como um modelo para aqueles envolvidos na produção e impressão de textos.

    Referências

    1. Mt 20, 21-22[]
    2. VATICAN NEWS, S. João, Apóstolo e Evangelista[]
    3. Mt 4, 21-22[]
    4. Papa Bento XVI, Audiência Geral, 5 de julho de 2006[]
    5. Mc 5, 35-37[]
    6. Mc 14, 32-33[]
    7. Jo 19, 26-27[]
    8. Jo 1, 1-3 []
    9. Jo 4, 6[]
    10. Jo 11, 35[]
    11. Jo 19, 28[]
    12. Papa Bento, Audiência Geral, 9 de agosto de 2006[]
    13. I Jo, 8[]
    14. IIJo 1, 9[]
    15. IIIJo 1, 11[]

    Cadastre-se para receber nossos conteúdos exclusivos e fique por dentro de todas as novidades!

    Insira seu nome e e-mail para receber atualizações da MBC.
    Selecione os conteúdos que mais te interessam e fique por dentro de todas as novidades!

    Ao clicar em quero assinar você declara aceita receber conteúdos em seu email e concorda com a nossa política de privacidade.